O impacto do alho na saúde: anticâncer, hipertensão e controle de açúcar no sangue

O alho, inclui propriedades antibacterianas, anti-trombóticas, anti-artríticas e redutoras de açúcar no sangue


O poder do alho: anticâncer, hipertensão e controle de açúcar no sangue

O alho, um alimento consumido pelos humanos há milênios, é amplamente reconhecido pelos seus benefícios à saúde. O principal composto ativo do alho é a alicina, um composto de enxofre produzido na presença de oxigênio e uma enzima específica do alho. No entanto, busque um olho de qualidade, de preferência orgânico ou suplemento para colher os melhores resultados.

Um número crescente de pesquisas confirma que o alho contém uma variedade de componentes ativos que podem efetivamente inibir a ocorrência e o desenvolvimento do câncer - além de combater e prevenir outras inúmeras doenças.

Ao longo dos anos, numerosos relatórios de investigação publicados em revistas conceituadas confirmam consistentemente os vários efeitos farmacológicos benéficos do alho. Isso inclui propriedades antibacterianas, anti-trombóticas, anti-artríticas e redutoras de açúcar no sangue. Notavelmente, vários estudos sugerem que o consumo de alho pode efetivamente reduzir o risco de câncer.

Pesquisa confirma as potentes propriedades anticancerígenas do alho


Em Setembro, uma revisão abrangente publicada conduziu uma meta-análise de 61 artigos de investigação, confirmando o alho como uma rica fonte de compostos com potencial antitumoral. Descobriu-se que o extrato de alho e vários de seus componentes individuais, particularmente compostos organossulfurados (OSCs, na sigla em inglês) como a alicina, exibem atividades citotóxicas, citostáticas, antiangiogênicas e antimetastáticas em vários modelos in vitro e in vivo de câncer colorretal.

Em março, uma revisão publicada afirmou que a ação anticancerígena do alho está entre as mais estudadas entre os seus vários efeitos farmacológicos benéficos. Foi demonstrado que o alho reduz significativamente o risco de câncer. Vários constituintes derivados do alho e suas nanoformulações foram testados quanto à eficácia contra vários tipos de câncer, incluindo oral, pele, ovário, próstata, mama, pulmão, gástrico, colorretal, fígado e pâncreas.

Uma revisão abrangente publicada no European Journal of Nutrition em 2021 revisou evidências epidemiológicas e experimentais sobre diferentes tipos de alho e suas atividades anticancerígenas e antioxidantes. O artigo destacou que o alho e seus ricos flavonóides e compostos organossulfurados possuem potentes propriedades anticancerígenas. 

Estudos em animais e células sugeriram que o alho e seus compostos organossulfurados podem inibir a carcinogênese através de várias vias, incluindo a indução de apoptose, a supressão da proliferação celular, a eliminação de espécies reativas de oxigênio (ROS, na sigla em inglês), a redução do tamanho do tumor e o aumento da atividade de enzimas como a glutationa S-transferase.

Estudos epidemiológicos indicaram uma associação significativa entre o consumo de alho e um risco reduzido de cancro colorretal, mas as evidências para o cancro do estômago, da mama e da próstata são inconsistentes. Os estudos também sugeriram que a presença e a potência do componente ativo do alho, o organossulfurado, estão relacionadas com a preparação e a forma do alho. Os investigadores recomendam mais estudos epidemiológicos e moleculares para explorar o impacto do alho nos níveis de açúcar no sangue e nos seus mecanismos antioxidantes.

Um estudo envolvendo 41.837 mulheres com idades entre 55 e 69 anos descobriu que aquelas que consumiam uma ou duas porções de alho por semana tinham um risco 35% menor de desenvolver câncer de cólon.

Além de suas propriedades anticancerígenas, pesquisas confirmaram a eficácia do alho na proteção das células endoteliais e na redução da pressão arterial. Um estudo publicado na revista Integrated Blood Pressure Control verificou que o alho pode efetivamente reduzir a pressão alta. 

A pesquisa descobriu que os polissulfetos derivados do alho melhoram a resposta do endotélio ao óxido nítrico (NO, na sigla em inglês) e estimulam a produção do gasotransmissor vascular sulfeto de hidrogênio (H2S, na sigla em inglês), induzindo assim o relaxamento das células musculares lisas, a vasodilatação e a redução da pressão arterial.

O estudo sugeriu ainda que certos fatores dietéticos e genéticos podem impactar a eficiência das vias de sinalização de H2S e NO, contribuindo para o desenvolvimento da hipertensão. Além disso, a deficiência de enxofre pode desempenhar um papel crucial no desenvolvimento da hipertensão, e a suplementação com compostos organossulfurados através do consumo de alho pode efetivamente aliviar os seus sintomas.

Resumindo, a alicina encontrada no alho apresenta os seguintes cinco efeitos benéficos:


  • Anticâncer: A alicina pode inibir o crescimento e a metástase das células cancerígenas e melhorar a função do sistema imunológico.
  • Vasodilatador e reduz a pressão arterial: A alicina pode relaxar as paredes dos vasos sanguíneos, reduzir a pressão arterial e melhorar a circulação sanguínea.
  • Melhora a sensibilidade à insulina e controla o açúcar no sangue: A alicina pode promover a secreção e a ação da insulina, reduzindo assim os níveis de açúcar no sangue. É benéfico para indivíduos com diabetes.
  • Melhora a função sexual: A alicina, um vasodilatador, pode aliviar os sintomas da impotência masculina e melhorar a função sexual, uma vez que a impotência está frequentemente associada à má circulação sanguínea.
  • Antiinflamatório e antioxidante: a alicina pode combater os danos dos radicais livres, salvaguardando as funções do fígado e dos rins.
  • Além da alicina, o alho também contém outros nutrientes essenciais, como vitamina C, vários compostos de enxofre e cisteína, que são benéficos para a saúde. A cisteína pode ser convertida em glutationa, o antioxidante mais importante do nosso corpo.


Seja cauteloso ao consumi-lo se você for uma destas pessoas: aqueles com tendência a úlceras gastrointestinais, tendências hemorrágicas, que tomam medicamentos anticoagulantes ou que estão se preparando para uma cirurgia devem limitar a ingestão de alho. O alho possui efeitos anticoagulantes, que podem agravar o sangramento. Mulheres grávidas e lactantes também devem ter cautela, pois o alho pode afetar o sabor do leite materno, impactando potencialmente a saúde do feto ou do bebê.

Suplementos de alho como alternativa: Se não gosta de comer alho, pode optar pelos suplementos de alho, disponíveis em diversas formas e doses. No entanto, é crucial priorizar a qualidade e a segurança. É aconselhável utilizá-los sob orientação de um médico.

  • Sugestão de suplemento: Óleo de Alho 1500mg - 100 Cápsulas - Suplemento alimentar de óleo de alho. 100% Natural: Livre de glúten, lactose, açúcar, sabores artificiais e transgênicos. Importado dos EUA.

Em resumo, o alho é um alimento saudável com vários benefícios, incluindo a prevenção do cancro, a redução do açúcar no sangue e a melhoria da função sexual. Incorporar alho em nossa dieta com moderação pode contribuir para o bem-estar geral. 

No entanto, é fundamental não depender apenas de um tipo de alimento, pois a alimentação é apenas um dos muitos fatores que influenciam a saúde; prestar atenção a outros hábitos de saúde, como exercícios, sono e estresse, é igualmente vital para promover a saúde e a longevidade. Referência: Epoch Times
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico

Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.