ALERTA DE AVC: vacina da gripe e reforço bivalente COVID em simultâneo ligada a AVC

Estudo oficial revelou que receber a vacina contra a gripe e o reforço bivalente Covid da Pfizer ao mesmo tempo, pode aumentar o risco de derrame.


ALERTA DE AVC: vacina da gripe e o reforço bivalente COVID ligada a AVC

Após três anos de pandemia, parece que os “teóricos da conspiração” e os cautelosos chamados de “anti-vacinas” estavam certos novamente. Recentemente, um pequeno estudo oficial revelou que receber a vacina contra a gripe e o reforço bivalente Covid da Pfizer ao mesmo tempo, pode aumentar o risco de derrame.

Em dezembro de 2022, a reguladora americana FDA (equivalente à decaída Anvisa do Brasil) admitiu que a vacina COVID-19 da Pfizer havia sido associada à coagulação sanguínea em indivíduos mais velhos com base nos resultados de um dos maiores estudos com idosos com 65 anos ou mais. Em janeiro de 2023, o CDC e o FDA anunciaram que iriam investigar a ligação entre o reforço de mRNA COVID-19 da Pfizer e derrames isquêmicos em pessoas com 65 anos ou mais.

A gigante farmacêutica está piorando muito o problema dos derrames, empurrando seus reforços bivalentes COVID e vacinas contra a gripe nas massas. A reguladora FDA agora adverte que receber a vacina contra a gripe em uníssono com uma injeção de reforço da Pfizer COVID pode aumentar o risco de derrame.

A vacina anual contra a gripe e o reforço COVID podem ser uma combinação letal


Dizer que o mundo está se tornando mais bizarro a cada dia seria um eufemismo. É bastante desconcertante que o FDA esteja admitindo que a vacina anual contra a gripe tomada ao mesmo tempo ou quase ao mesmo tempo que uma injeção de reforço COVID aumenta a chance de um derrame potencialmente mortal. A declaração é uma admissão não tão silenciosa de que os teóricos da conspiração sempre estiveram certos. Só o tempo dirá o quão mortal é realmente a injeção de reforço COVID.

O estudo oficial que destaca os perigos potenciais de tomar a vacina de reforço bivalente COVID da Pfizer em uníssono com a vacina anual contra a gripe é pequeno em tamanho, mas bastante importante no contexto da saúde humana. Sabemos que as injeções de Covid, foram a maior enganação do século, um total crime contra a humanidade. Muitos sofreram problemas cardíacos, miocardite/ pericardite e muito mais.

Volte para dezembro de 2022 e o FDA reconheceu oficialmente que a injeção da Pfizer estava ligada a coágulos sanguíneos em pacientes mais velhos, após revisar os resultados de um estudo considerável focado em idosos com 65 anos ou mais. Avançando para janeiro de 2023, o FDA e o CDC admitiram que mergulhariam fundo nas supostas ligações entre as injeções de reforço da Pfizer e derrames da variedade isquêmica em idosos.

Dissecando a declaração do CDC sobre possíveis derrames


A declaração oficial divulgada pelo CDC indica que o uso da injeção Pfizer atualizada, quando analisada no contexto da vacina, segurança e sua ligação, revela que há razão suficiente para análises adicionais para determinar se o AVC isquêmico é muito mais provável de ocorrer em pacientes de idade 65 anos ou mais depois de receber o reforço bivalente e a vacina anual contra a gripe.

A declaração do CDC detalhou como há motivos para acreditar que os idosos que recebem o reforço bivalente têm maior probabilidade de sofrer um derrame isquêmico nas três semanas seguintes à injeção. No entanto, o CDC também observou que as chances de tal derrame diminuem significativamente após a marca de três semanas a partir do ponto em que o paciente recebeu a vacina de reforço COVID e a vacina anual contra a gripe.

A resposta da Pfizer à declaração do CDC


A Pfizer respondeu rapidamente ao comunicado emitido pelo CDC, negando as acusações sem exceção. O porta-voz da Pfizer insistiu que não há nem mesmo a menor evidência que vincule os derrames isquêmicos à injeção de seu reforço bivalente COVID ou quase ao mesmo tempo que a injeção da vacina anual contra a gripe.

No entanto, aqueles com lealdade à verdade são rápidos em contrariar a narrativa da Pfizer com a admissão do FDA de que a grande maioria dos pacientes que sofreram um derrame também receberam a vacina contra a gripe no mesmo dia em que receberam a vacina bivalente de reforço COVID.

Cuidado com os reforços de COVID


Embora a Pfizer e o CDC estejam claramente em desacordo em relação à segurança das vacinas de reforço COVID bivalentes quando tomadas na época ou perto da vacina contra a gripe anual, é claro que tomar essas duas vacinas no mesmo período de tempo pode não ser o ideal para a saúde humana. Existe um potencial muito real de que tomar a vacina contra a gripe no mesmo dia ou quase no mesmo dia que a injeção de reforço bivalente da Pfizer COVID tenha o potencial de ser um fator que contribui para o AVC isquêmico subsequente.

A declaração do CDC contrasta diretamente com a narrativa do Dr. Ashish Jha, o coordenador de resposta à Covid da Casa Branca, que insistiu que os contribuintes trabalhadores dos Estados Unidos recebessem a vacina anual contra a gripe e o reforço bivalente da COVID, falhando em abordar o potencial momento mortal dessas injeções.

Tendo dito tudo isso, como você se protege de danos depende inteiramente de você. Mas, infelizmente, as agências governamentais de “saúde” quase nunca mencionam o valor de (naturalmente) fortalecer o sistema imunológico com dieta saudável e estratégias de suplementação. Faça sua própria pesquisa neste site e em muitos outros para descobrir a verdade.

Simplificando, existem opções muito mais seguras disponíveis para você. Você não precisa confiar em se injetar com substâncias estranhas para manter a saúde ideal. - Referência: naturalhealth365.com
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico



Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.