Algo sério está para acontecer no Brasil: movimento de militares no Brasil pode ser “Lei marcial chegando”?

“A lei marcial está chegando na próxima semana”, diz o observador do Brasil Matt Tyrmand.


Algo sério está para acontecer no Brasil: movimentação de militares no Brasil pode ser “Lei marcial chegando”?

Veículos militares foram vistos se mobilizando no Brasil quando o presidente Bolsonaro se reuniu com líderes militares em uma cerimônia para promover novos generais em Brasília na quinta-feira. “A lei marcial está chegando na próxima semana”, diz o observador do Brasil Matt Tyrmand. Elon Musk observou que o Twitter pode ter interferido nas eleições brasileiras.

“Tenho fontes no terreno dizendo que os reservistas [militares] estão sendo ativados agora, começando ontem em cidades menores e médias”, disse o jornalista Matthew Tyrmand a Steve Bannon em 2 de dezembro. 

“Você já pode ver vídeos de tanques sendo transportados para pontos estratégicos em todo o país. Acho que até quarta ou quinta que vem, (os generais) vão colocar uma carta na frente do Bolsonaro e dizer, assine isso e acione a gente. Acreditamos que temos que agir agora, de acordo com a constituição, e ir atrás dessas máquinas (de votação), prender esses juízes, e então o castelo de cartas cairá.”

Milhões de brasileiros têm pedido que o Exército intervenha de acordo com o Artigo 142 da constituição brasileira para impedir que o criminoso comunista condenado Luiz Inácio Lula da Silva se torne presidente com o apoio dos cartéis de drogas e do PCC.

Se os militares realmente se mobilizarem para impedir o roubo do criminoso condenado Lula da Silva, certamente terão o apoio do povo brasileiro. Nenhum simpatizante de Lula foi visto por um mês, desde que milhões de brasileiros começaram a protestar após as “eleições” totalmente digitais roubadas de 30 de outubro, relata o The Gateway Pundit

Mais e mais vídeos parecem mostrar blindados pesados, obuses e APCs se posicionando em todo o Brasil.


Três relatórios separados descobriram que as eleições não puderam ser verificadas, uma vez que muitas das máquinas de votação não podem ser auditadas. A auditoria militar exigida por lei não pôde ser concluída porque a Justiça Eleitoral pró-Lula se nega a entregar o código-fonte das máquinas. 

Lula da Silva é um criminoso condenado que passou dois anos na prisão por corrupção no enorme escândalo da “Lava Jato” antes que seus próprios indicados à Suprema Corte desocupassem as acusações, para permitir que ele concorresse, relata o The Gateway Pundit

Há relatos não confirmados de forças armadas destacadas nas cidades: Veículos policiais e militares em Juíz de Fora, no sudeste do Brasil:



Embora a maioria dos vídeos mostre armaduras pesadas sendo carregadas nas costas, alguns mostram veículos totalmente tripulados e prontos para o combate.


 

Como que para contrariar o povo brasileiro, o STF também anulou ontem as acusações de corrupção contra o comparsa de Lula, André Vargas, também preso por três anos na Lava Jato , para permitir que ele aderisse ao golpe comunista, relata o The Gateway Pundit.

Indígenas protestando pela democracia e contra a fraude eleitoral ocuparam o aeroporto de Brasiliá. A grande mídia cultural imperialista está ignorando os apelos dos indígenas por soberania e mostrando seu verdadeiro racismo.


Na “ TV Bolsonaro ”, um vídeo mostrava o presidente Jair Bolsonaro elogiando o golpe militar anticomunista de 1964. ATUALIZAÇÃO: A “TV Bolsonaro” foi suspensa durante a noite!

Na quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o alto escalão em Brasília para uma cerimônia de posse de novos generais:



Na noite de sexta-feira, o Supremo Tribunal Federal derrubou o processo do presidente Bolsonaro para censurar o ministro trapaceiro Alexandre de Moraes, que está por trás das fraudes e manipulações.

Lula quer convidar o ditador venezuelano Nicolás Maduro para sua posse, mas uma portaria do presidente Bolsonaro impede a entrada do tirano venezuelano no país, informa o Brasil em inglês . Elon Musk entrou na conversa, discutindo com o jornalista australiano Avi Yemeni, levantando a possibilidade de o Twitter ter interferido nas eleições brasileiras:


Matthew Tyrmand e Steve Bannon em “War Room”:

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Suplemento Multivitamínico



Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.