Estudo confirma que anticorpos de pessoas recuperadas de Covid podem substituir completamente "vacinações" e "reforços".

Os anticorpos isolados do sangue humano são extremamente eficazes contra o vírus SARS-CoV-2

Estudo confirma que anticorpos de pessoas recuperadas de Covid podem substituir completamente "vacinações" e "reforços".

Uma equipe de pesquisa da Universidade de Tel Aviv, em Israel, mostrou que os anticorpos isolados do sangue humano são extremamente eficazes contra o vírus SARS-CoV-2 - especialmente contra suas novas formas de mutação (Delta, Ômicron). A eficácia deve ser de 95% e funcionar bem, especialmente em grupos de risco.

Os pesquisadores Natalia Freund, Michael Mor e Ruofan Lee, do Departamento de Microbiologia Clínica e Imunologia, publicaram um estudo na revista Communications Biology. Porque é mais uma vez tão difícil para os poucos meios de comunicação nomear e vincular o estudo corretamente é um mistério. 

Pesquisamos e encontramos: Flexibilidade conformacional na neutralização do SARS-CoV-2 por anticorpos anti-SARS-CoV-2 naturalmente elicitados . O estudo passou pelo processo de revisão por pares, o relatório está disponível aqui .

O sistema imunológico humano forneceu a solução


Especificamente, os cientistas israelenses lidaram com o que garantiu a sobrevivência da humanidade por milhares de anos: o sistema imunológico humano. De várias amostras, eles isolaram meticulosamente os anticorpos que os humanos produzem para combater efetivamente a infecção pelo vírus.

Segundo os pesquisadores , essa descoberta elimina a necessidade de constantes "vacinações" e "reforços". Os sistemas imunológicos dos grupos de risco, em particular, poderiam ser fortalecidos com eficiência com o método descrito e uma proteção real construída.

"No estudo atual, fomos capazes de mostrar que dois outros anticorpos, TAU-1109 e TAU-2310, que se ligam à proteína do pico viral em uma região diferente da região onde a maioria dos anticorpos foram concentrados anteriormente (e, portanto, nas menos eficazes na neutralização da cepa original) são muito eficazes na neutralização das variantes Delta e Omicron. De acordo com nossos resultados, a eficácia do primeiro anticorpo, TAU-1109, é de 92% na neutralização da cepa Omicron e 90% na neutralização da cepa Delta. O segundo anticorpo, TAU-2310, neutraliza a variante omicron com 84% de potência e a variante delta com 97% de potência.”
De acordo com o Dra. Freund pode relacionar a surpreendente potência desses anticorpos com a evolução do vírus: "A infectividade do vírus aumentava a cada variante porque cada vez mudava a sequência de aminoácidos daquela parte da proteína spike que se liga ao receptor ACE2, causando ao aumento da infecciosidade, evitando os anticorpos naturais produzidos após a vacinação. Em contraste, os anticorpos TAU-1109 e TAU-2310 não se ligam ao sítio de ligação do receptor ACE2, mas a uma região diferente da proteína spike - uma região do pico viral que por algum motivo não sofre muitas mutações - e são portanto, eficaz na neutralização de mais variantes de vírus. Essas descobertas vieram quando testamos todas as cepas conhecidas de COVID".

Verificado e confirmado por outros institutos


Os pesquisadores também enviaram os anticorpos para outras universidades, a Universidade da Califórnia em San Diego e a Universidade Bar-Ilan. Em ambas as instituições, os achados e a eficácia dos anticorpos foram confirmados.

Resta saber se essa notícia chegará aos meios de comunicação de massa. Uma alternativa à "vacinação" contraria os contratos do governo com os "fabricantes de vacinas", e grandes indústrias perderiam bilhões em vendas - até todo o dinheiro distribuído gratuitamente entre aqueles que lucram com o comércio e uso dos chamados "testes". É muito mais provável que a descoberta seja ignorada e mantida em silêncio, embora a grande mídia tenha sido informada por um comunicado de imprensa da embaixada israelense.  
(Fonte: Report24)

Considerações

A imunidade adquirida naturalmente é mais poderosa do que a imunidade induzida por vacina para muitas doenças infecciosas e, na maioria das vezes, essas imunidades duram a vida toda. Isso significa que a imunidade natural, desenvolveu proteção duradoura contra a COVID, isso quer dizer que uma variante, possivelmente também será superada por uma imunidade natural já memorizada tal infecção do que uma dependente de vacina? A verdade que não é admitida, é que variantes são um produto das vacinações em massa.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu