CONFIRMADO: Injeções de COVID-19 alteram o ciclo menstrual das mulheres, revela estudo

Mas os novos dados da pesquisa aumentam as evidências crescentes que mostram que, se não diretamente a fertilidade

CONFIRMADO: Injeções de COVID-19 alteram o ciclo menstrual das mulheres, revela estudo

Uma das primeiras preocupações levantadas sobre as vacinas COVID-19 da Pfizer e da Moderna, que foram fabricadas e projetadas com tecnologia genética, foi a possibilidade de que essas vacinas pudessem interromper a fertilidade humana.

Parte dessa preocupação é baseada em pesquisas que mostram que as nanopartículas lipídicas contendo mRNA das injeções podem viajar pelo corpo e interagir com diferentes órgãos, incluindo os ovários.

Tais preocupações foram rapidamente suprimidas pela grande mídia. Mas os novos dados da pesquisa aumentam as evidências crescentes que mostram que, se não diretamente a fertilidade, as injeções PODEM afetar a saúde das mulheres, alterando seu ciclo menstrual.

Quase METADE de todas as mulheres pesquisadas sofreram alterações em seu ciclo menstrual após as injeções de COVID


Um artigo de 11 de julho de 2022 publicado no site Science (título: “Milhares relatam padrões de menstruação incomuns após a vacinação com COVID-19”) aponta para a tendência preocupante de mudanças no ciclo menstrual após as injeções de COVID. Eles citam dados de pesquisas com base em uma amostra geral de 165.000 entrevistados.

Reportando no Science Advances, depois de disponibilizar seu artigo em fevereiro como uma pré-impressão, os pesquisadores da pesquisa descobriram que, com base em dados anteriores, quase metade (42%) das mulheres que responderam sangraram mais do que o normal durante o período pós-vacina. 

Em outro subconjunto da pesquisa, dois terços das mulheres na pós-menopausa relataram sangramento, assim como 40% dos indivíduos submetidos à terapia hormonal de afirmação de gênero. (Relacionado: Mulheres em todo mundo estão sofrendo mudanças menstruais após vacinas COVID)

Os autores concluem que “o aumento do sangramento pode ocorrer após as vacinas SARS-CoV-2 ”, reconhecendo que sua amostra pode não ser verdadeiramente representativa da população maior e que a estatística de 42% é muito maior do que outros estudos que também revelaram irregularidades menstruais pós-vacina.

Apesar da crescente evidência de que essas injeções podem alterar pelo menos temporariamente o período de uma mulher, os pesquisadores, juntamente com o artigo da Science , continuam insistindo que as injeções de COVID em geral não demonstraram afetar negativamente a fertilidade.

“Geralmente”, escrevem os autores em seu preprint, “mudanças no sangramento menstrual não são incomuns nem perigosas, mas a atenção a essas experiências é necessária para construir confiança na medicina”. 

De fato, algumas pesquisas, incluindo um estudo de coorte prospectivo de janeiro de 2022 publicado no Journal of American Epidemiology , sugerem que a infecção pelo próprio SARS-CoV-2, em oposição à vacinação para COVID-19, pode estar associada a um declínio de curto prazo na fertilidade masculina.

No entanto, essa ainda é uma área relativamente incipiente da pesquisa sobre a COVID, e é necessário um trabalho investigativo futuro para nos dar mais clareza sobre se e como essas injeções podem afetar a saúde reprodutiva. Especialmente porque – como observa o artigo da Science – “ensaios clínicos de vacinas COVID-19 não procuraram efeitos no ciclo menstrual”.

Se não for a injeção... aqui estão outras sete coisas que podem afetar o ciclo menstrual de uma mulher


Como mulher, seu ciclo menstrual pode oferecer boas pistas para seu equilíbrio hormonal e saúde e bem-estar geral. As irregularidades menstruais “geralmente não são graves”, diz a Mayo Clinic, mas podem “às vezes sinalizar problemas de saúde”. Aqui estão sete possíveis causas de períodos anormais, além de vacinas, gravidez e amamentação:

  • Transtornos alimentares (por exemplo, anorexia nervosa)
  • Perda de peso extrema
  • Exercício excessivo
  • Síndrome dos ovários policísticos (SOP)
  • Insuficiência ovariana prematura (também conhecida como insuficiência ovariana primária, refere-se à perda da função ovariana normal antes dos 40 anos)
  • Doença inflamatória pélvica (PID), que é uma infecção potencialmente fatal dos órgãos reprodutivos
  • Miomas uterinos (crescimentos não cancerosos no útero), que podem causar menstruações intensas e/ou prolongadas

Se você tiver alguma dúvida sobre seu ciclo menstrual, converse com um profissional de saúde confiável. 

Um dos muitos efeitos colaterais das vacinas do Covid-19, afeta uma quantidade significante de mulheres no mundo todo. Segundo relatos nas redes sociais, muitas mulheres e meninas enfrentaram efeitos colaterais como aumento do fluxo menstrual, escapes fora do comum e existem até mesmo queixas sobre o atraso da menstruação após a aplicação da primeira dose da vacina. 

Este artigo está originalmente em: naturalhealth365
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Sugestão de suplemento

Postar um comentário

0 Comentários

Fechar Menu