Menino de 13 anos de idade morre três dias após receber a segunda dose da "vacina" Pfizer (mRNA)

Vacinação: Menino de 13 anos de idade morre três dias após receber a segunda dose da "vacina" Pfizer (mRNA) - Um menino de 13 anos de idade de Michigan (Estados Unidos), morreu durante o sono

Fabio Allves
Menino de 13 anos de idade morre três dias após receber a segunda dose da "vacina" Pfizer (mRNA)

Ontem publicamos que crianças tem 50 vezes mais chances de morrer pela vacina COVID-19 do que pelo próprio vírus. Os fatos vão ficando cada vez mais concretos - Um menino de 13 anos de idade de Michigan (Estados Unidos), morreu durante o sono apenas três dias após receber sua segunda dose do veneno disfarçado de "cura" contra o coronavírus COVID-19 .

Jacob Clynick recebeu sua segunda dose da vacina COVID da Pfizer em um Walgreens em Zilwaukee, Condado de Saginaw, Central Michigan, em 13 de junho . De acordo com Tammy Burages, tia de Clynick, os únicos efeitos colaterais que ele experimentou inicialmente foram fadiga e febre. Eles são agora tratados como normais. (mas não são).

Mas em 15 de junho, Clynick começou a reclamar de uma dor de estômago. Burages disse que a família considerou a dor de estômago não severa o suficiente para justificar atenção médica. Clynick morreu algum tempo depois de ir para a cama.

“Ele faleceu no meio da noite em casa”, disse Burages.
“Ele adorava contar piadas cafonas para o pai e sempre tinha muitas para distribuir”, disse Burages. “Ele encontrou o lado engraçado de cada situação e o mundo será um pouco menos divertido sem ele.”

Clynick, que morava em Zilwaukee, tinha acabado de concluir a oitava série. De acordo com sua família, ele era muito saudável e não tinha condições médicas subjacentes conhecidas. Ele estava ansioso para começar as aulas no outono como um calouro do ensino médio na Carrollton High School.

A investigação da causa da morte de Clynick causada pela vacina será apenas mais uma que eles vão descartar como sempre

Em uma declaração conjunta, o diretor médico e o oficial do Departamento de Saúde do Condado de Saginaw disseram que estão conduzindo uma investigação para descobrir se há uma conexão entre a morte súbita de Clynick e a vacinação . Esta investigação será chefiada pelo Instituto de Ciência Forense e Medicina de Michigan (MIFSM), em cooperação com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

“Enquanto isso, o departamento de saúde continua a incentivar as famílias a falar com seus médicos para avaliar seus próprios riscos e benefícios da vacinação”, diz o comunicado conjunto.

“Podemos verificar se estamos gerenciando a investigação e essa é a extensão do que posso compartilhar”, disse o Diretor de Operações do MIFSM, Randy Pfau. Outros médicos do instituto disseram que estão se comunicando regularmente com o CDC sobre o caso.

“Ainda é uma investigação em andamento”, disse Pfau. “Eu sei que os médicos estão trabalhando neste caso como uma prioridade.” Ele acrescentou que a investigação completa pode levar de três a cinco meses para ser concluída.

De acordo com Becky Naessens, diretora da funerária da Deisler Funeral Homes, nenhuma causa de morte foi listada no atestado de óbito de Clynick porque ainda não existe uma.

“Dependendo do condado e de quais laboratórios ... os legistas usam, pode levar semanas ou meses, para ser sincera”, disse ela, antes que qualquer informação sobre sua morte fosse divulgada ao público.

O funeral de Clynick foi realizado apenas em 26 de junho. Quase duas semanas após sua morte e apenas três dias depois que um comitê consultivo do CDC reconheceu uma "provável associação" entre as vacinas Pfizer e Moderna COVID-19 e um risco de problemas cardíacos em jovens adultos e adolescentes como Clynick.

Infelizmente para a família de Clynick, sua causa de morte ainda não é clara. Uma autópsia foi realizada, mas suas conclusões ainda não foram reveladas. Burages disse que espera que os investigadores encontrem pelo menos algumas pistas, mas ela está perdendo as esperanças.

“Essa é uma daquelas coisas que eu suspeito que eles nunca serão realmente capazes de dizer, 'Oh, foi o tiro' ou 'Não foi o tiro'”, disse ela.

“Deve haver algo que torna as crianças mais suscetíveis a ter uma reação cardíaca séria, e eu acho que Jacob era um desses tipos. Então, o que quer que seja essa coisa séria, qualquer que seja o problema de saúde subjacente, é algo que talvez a autópsia nos diga ”, acrescentou Burages. Ela lamentou o fato de que a investigação levará meses e muito mais crianças como Clynick serão vacinadas antes que seus resultados sejam revelados ao público.

Tudo o que Burages espera agora é que, um dia, ela e o resto da família de Clynick tenham respostas que possam ser de alguma utilidade para outras famílias que estão tentando decidir se vacinam ou não seus filhos.

“Se há fatores que podem tornar mais arriscado para algumas crianças [tomar a vacina], espero que as autoridades de saúde possam descobrir o que são ”, disse ela.
CONTINUE LENDO APÓS PUBLICIDADE
CONTINUE LENDO APÓS PUBLICIDADE

Compartilhe :Menino de 13 anos de idade morre três dias após receber a segunda dose da "vacina" Pfizer (mRNA)

MARCADORES [Coletividade Evolutiva] Coronavírus | Covid-19 | Governo | Notícias alternativas | saúde | Vacina | Vacinação


Autor: Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar. REDES:Telegram -Instagram -BomPerfil -Likabout