Suíça nega uso das vacinas Covid-19 da Oxford / AstraZeneca, enquanto isso os brasileiros são feitos de cobaias

Vacinação: Suíça nega uso das vacinas Covid-19 da Oxford / AstraZeneca, enquanto isso os brasileiros são feitos de cobaias - A Suíça se recusou a autorizar o uso da vacina Oxford / AstraZeneca e se tornou o único país da Europa continental a fazê-lo,

Fabio Allves
Suíça nega uso das vacinas Covid-19 da Oxford / AstraZeneca, enquanto isso os brasileiros são feitos de cobaias

A Suíça se recusou a autorizar o uso da vacina Oxford / AstraZeneca depois que a França, a Suécia e a Alemanha desaconselharam a administração da substância experimental para maiores de 65 anos e Emmanuel Macron alegou que é "quase ineficaz" para a faixa etária. Então a Suíça pediu mais informações sobre a vacina. O regulador  suíço citou dados insuficientes para chegar a conclusões sólidas sobre a eficácia da vacina Covid-19. A aprovação da vacina era amplamente esperada por muitos na Suíça.

Enquanto isso, a politicagem em torno de vacinas Covid-19 no Brasil, tomou a frente do racional para o irracional em substâncias de vacinas Covid-19 experimental, sem dados de segurança ou eficacia a longo prazo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pelo que parece, foi colocada contra a parede, e  cedeu, liberando para os estados brasileiros começaram usar a substância experimental da AstraZeneca/Oxford e CoronaVac, para uso "emergencial autorizado", que em minha opinião, é uso experimental em massa.  

“Para a vacina da AstraZeneca / Oxford, os dados disponíveis e avaliados pela reguladora da Suíça é que até o momento ainda não são suficientes para aprovação”, disse SwissMedic nesta quarta-feira. “Para obter dados adicionais sobre segurança, eficácia e qualidade, são necessários dados de novos estudos.” Isso pode ter repercussões no plano de vacinação do país.
“Para obter uma avaliação conclusiva, o requerente deverá, entre outras coisas, apresentar dados adicionais de eficácia de um estudo de Fase III em andamento na América do Norte e do Sul, e estes deverão ser analisados”.

O país anunciou especificamente que havia pedido milhões de doses da vacina COVID-19 de outros fabricantes. O governo suíço assinou um acordo com Curevac da Alemanha e o governo sueco para a ordem de 5 milhões de doses de vacina, um pacto inicial com o fabricante de vacinas dos Estados Unidos Novavax por 6 milhões de doses, e garantiu mais 6 milhões de doses da Moderna.

“A ideia por trás da aquisição de vacinas de diferentes fabricantes é garantir que doses suficientes de uma vacina aprovada estejam disponíveis ao público, mesmo se houver problemas de entrega”, afirmou o Ministério da Saúde Federal.

O veredicto foi seguido pela empresa anglo-sueca que recebeu a autorização da vacina AstraZeneca para uso em toda a UE. A Suíça não é seu membro - pelo regulador do bloco na última sexta-feira. Uma controvérsia começou no continente e alguns países dentro do bloco, como Alemanha, França e Itália, sugeriram que ele seja usado apenas para pessoas com menos de 65 anos.
Continue lendo após publicidade
Continue lendo após publicidade

Compartilhe : Suíça nega uso das vacinas Covid-19 da Oxford / AstraZeneca, enquanto isso os brasileiros são feitos de cobaias

[Coletividade Evolutiva] Coronavírus | Covid-19 | descobrindo | saúde | Sociedade | Vacina | Vacinação

Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. Por favor, considere apoiar o nosso site.

Autor: Fabio Allves
Criador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade e despertar. Desde meu autoconhecimento há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Questionando as raízes que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. Tem como objetivo trazer às informações que está livremente correndo nas mãos do público, para ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar.