Notícias Recentes

Como o herpes adormecido pode voltar à vida

Como o herpes adormecido pode volta à vida

Herpes é uma doença causada por dois tipos de vírus: o Vírus Varicela-Zóster (VVZ), que causa catapora (varicela) e também o popularmente conhecido cobreiro (herpes zóster) e os herpesvírus tipo 1 e tipo 2, que causam o chamado herpes simplex.

Dois terços da população mundial com menos de 50 anos têm o vírus altamente infeccioso da herpes, que provoca feridas ao redor da boca, segundo a Organização Mundial da Saúde. Ao todo, mais de 3,7 bilhões de pessoas portam o vírus simples tipo 1 (HSV-1), geralmente depois de um contágio na infância. Também há 417 milhões de pessoas na faixa etária dos 17 aos 49 anos que têm o outro tipo de doença, o HSV-2, que provoca herpes genital.

As pessoas que têm herpes podem não perceber, pois uma infecção por herpes é assintomática quando está inativa ou latente. Quando uma infecção está ativa, qualquer uma das formas é contagiosa. O HSV-1 é transmitido principalmente pelo contato oral-oral ou oral-genital, bem como pelo contato com a pele ao redor da boca, feridas ou saliva de uma pessoa com uma infecção ativa. O HSV-2 é transmitido através do contato genital-genital.

O herpes em seu estágio ativo, ou lítico, pode produzir úlceras dolorosas - feridas abertas - e bolhas ao redor da boca, órgãos genitais e ânus.


"Qualquer problema que o herpes causa é por causa da reativação da latência", diz Luis M. Schang, Ph.D,autor sênior do resumo dessas descobertas acrescentando que "a latência e a regulação de genes são um grande problema, porque não sabemos o suficiente".

As infecções por herpes podem levar a outras condições mais graves, como ceratite nos olhos ou encefalite . O HSV também pode ser fatal quando um recém-nascido o contrai. Além disso, entre pessoas com sistema imunológico comprometido, os sintomas da infecção por herpes podem ser mais graves e frequentes.

As infecções por herpes podem levar a outras condições mais graves, como ceratite nos olhos ou encefalite . O HSV também pode ser fatal quando um recém-nascido o contrai. Além disso, entre pessoas com sistema imunológico comprometido, os sintomas da infecção por herpes podem ser mais graves e frequentes. Recomendado: Vacina contra Herpes é responsável por causar grande numero de doenças.


Ativando o herpes


Pesquisas anteriores investigaram os mecanismos que permitem ligar e desligar genes individuais do herpes. A equipe de 
Luis M. Schang, Ph.D descobriu, no entanto, que o problema pode não envolver genes individuais do herpes, mas todo o genoma do herpes sendo ativado, permitindo a expressão de genes individuais. O artigo revela como isso pode ocorrer. Recomendado: Açafrão (Cúrcuma) mata vírus, incluindo da hepatite, herpes, chikungunya, influenza-A, HIV e HPV
Sem ondulação, o DNA dentro de uma única célula teria cerca de 1 metro de comprimento, enquanto as células nervosas têm apenas um centésimo de milímetro de diâmetro. Após a invasão pelo HSV, uma célula nervosa responde envolvendo o DNA viral com muita força em torno das histonas, proteínas em forma de pequenos carretéis, que são então empacotados dentro das fibras da cromatina.

Assim preso na cromatina, o vírus fica inativo. No entanto, às vezes as células nervosas não conseguem embrulhar o DNA do herpes com força suficiente, deixando parte dele exposta à química das células.

Quando isso ocorre, o DNA exposto pode se reativar e os genes individuais do vírus podem iniciar infecções líticas que produzem sintomas de herpes.

Com essa visão de Lwis M. Schang e colegas, os pesquisadores podem se aprofundar no porquê, quando e como esse agrupamento apertado pode ser desfeito, revelando pelo menos um dos segredos dessa infecção implacável.

Produtos que recomendamos para você!


Receba as últimas notícias do Coletividade Evolutiva em primeira mão. Siga-nos nas redes sociais! Facebook - Twitter - Instagram - Receber por e-mail - Ajudar o Site