Mostrando postagens com marcador saúde-e-medicina. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador saúde-e-medicina. Mostrar todas as postagens

Exposição ao glifosato aumenta risco de câncer em mais de 40%

Exposição ao glifosato aumenta risco de câncer em mais de 40%

As recentes vitórias de pessoas que processaram a Monsanto por conta de ter contraído câncer, advindo do herbicida Roundup – quem tem o ingrediente ativo glifosato da Monsanto, agora sobre controle da empresa farmacêutica Bayer, ganharam milhões de dólares, e ganharam manchetes em vários jornais em do mundo, mesmo assim a Monsanto e os órgãos reguladores como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) continuam a negar que o herbicida é altamente prejudicial para o meio ambiente em geral e para a saúde humana. Segundo a Anvisa está realizando uma consulta pública para reavaliar o grau de usa para os agrotóxicos, uma coisa que tá mais que claro, está assassinando pessoas, levando a obter um maldito câncer. 

Além de vários estudos, fatos reais, e a Organização Mundial de Saúde (OMS), declararem que o herbicida é carcinogênico, mesmo assim continuam a negar os fatos, as evidências, e os processos, e as vidas humanas e meio ambientes destruídos - com uma nova meta-análise que mostra novamente quão forte é a ligação entre a exposição a herbicidas à base de glifosato como o Roundup tem o maior risco de obter câncer de linfoma não-Hodgkin. 

O novo estudo, que é uma revisão abrangente que abrange estudos epidemiológicos que foram publicados de 2001 a 2018, descobriu que aqueles com alta exposição ao glifosato têm um risco 41% maior de desenvolver linfoma não-Hodgkin
Consultar mais informações

Dr. Lair Ribeiro denúncia a indústria farmacêutica ...Indústria da doença

Dr. Lair Ribeiro denúncia a indústria farmacêutica ...Indústria da doença

Como tenho relatado aqui no Coletividade Evolutiva, já algum tempo, a Grande Pharma (indústria farmacêutica) lucra bilhões de dólares todos os anos com medicamentes, ineficazes para curar, porém eficazes para deixá-lo mais doente. Para que você possa ter uma ideia do que estou falando aqui, a própria Organização Mundial de saúde (OMS) diz que 70 mil pessoas morrem por ano, por conta de medicamentos. 

A Grande Pharma, indústria farmacológica, médicos, seguradoras, gerentes de benefícios farmacêuticos, e empresas de relações-públicas e escritores fantasmas da indústria farmacológica, órgãos reguladores, políticos etç.... Pesquisadores, centros médicos, organizações de pesquisa clínica e revistas médicas também lucram com o financiamento da indústria farmacológica. Os únicos perdedores no jogo, são as próprias pessoas que recebem uma provável sentença vitalícia para consumir drogas caras e perigosas, e fatais por fim. 

Até mesmo os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA tem operado como o padrão para os esforços de medicamentos de vacinação. No entanto, uma análise detalhada do comportamento da agência - e das declarações dos denunciantes internos - revela que, para todos os efeitos, o CDC funciona como uma subsidiária de uma indústria farmacêutica voraz”em parceria com a Administração de Comida e Droga dos EUA (FDA). E numerosos “ partidos externos e interesses desonestos ” que todos se beneficiam de seu endosso de uma ortodoxia vacinal altamente lucrativa. O poderoso "evangelho" da vacina tem atraído reguladores, associações de médicos, médicos, jornais científicos, a imprensa popular e outros "em uma espécie de dogma de consenso”Que se tornou“ mais importante do que qualquer outra coisa que [essas instituições deveriam] proteger ”.
Consultar mais informações

Estudo encontrar ligação entre o açúcar e depressão

Estudo encontrar ligação entre o açúcar e a depressão

Ultimamente, a ciência tem realmente acumulado evidências contra o consumo de açúcares em excesso.

Além de estar ligada a condições como obesidade , diabetes , doenças inflamatórias , a ingestão de altos níveis de açúcar tem sido associada a doenças mentais como a depressão. Em um estudo publicado  na Scientific Reports que acompanhou mais de 8.000 adultos com mais de 22 anos, pesquisadores da University College London descobriram que homens que relataram consumir alimentos que continham 67 gramas de açúcar por dia ou mais tinham 23% mais chances de serem diagnosticados depressão após cinco anos a partir do início do estudo.

Os pesquisadores seguiram uma coorte chamada Whitehall Study II , que rastreou dados de saúde e estresse para funcionários públicos entre 35 e 55 anos em Londres, a partir de 1985. A cada poucos anos, os participantes preenchiam pesquisas sobre suas dietas e outros indicadores de saúde. - incluindo se foram ou não diagnosticados clinicamente com condições de saúde mental, como depressão e ansiedade. Os participantes não tinham nenhuma doença mental diagnosticada para começar, e os pesquisadores usaram seus questionários de alimentos para estimar quanto açúcar cada pessoa estava comendo por dia.Recomendado:Estas 3 ervas tratam a depressão naturalmente

Após os primeiros cinco anos de acompanhamento, os homens que comeram mais açúcar, que os autores classificam como 67 gramas ou mais por dia - quase o dobro da ingestão de açúcar recomendada pela American Heart Association, e cerca de três e meio de tamanho normal. Barras de chocolate - tinham taxas mais altas de diagnósticos de saúde mental do que aquelas que comiam menos açúcar, independentemente de estarem ou não acima do peso. Mesmo durante anos, quando os participantes relataram comer menos açúcar, os níveis de doença mental permaneceram os mesmos, o que sugere que os hábitos anteriores de açúcar levaram a depressão ou ansiedade e não o contrário. Neste estudo, a relação entre açúcar e doença mental não foi bem definida entre as mulheres.
Consultar mais informações

Estudo: Polifenóis em ameixa apresentam propriedades anticancerígenas

Estudo: Polifenóis em ameixa apresentam propriedades anticancerígenas

Os Pesquisadores analisaram o potencial dos polifenóis da ameixa. O objetivo deste estudo foi determinar os mecanismos que se desenvolvem e que contribuem para as propriedades anti-inflamatórias e antitumorígenas de polifenóis de ameixeira ( Prunus salicina - também é conhecida como ameixeira-japonesa), incluindo ácido clorogênico e ácido neoclorogênico , em ratos tratados com azoximetano (AOM) .

  • A prevenção nutricional de focos de criptas aberrantes, que são lesões microscópicas no revestimento do cólon e do reto, por polifenóis, pode ser um passo crucial para a prevenção do câncer na dieta.
  • No estudo, os pesquisadores examinaram as propriedades antiinflamatórias e antitumorigênicas dos polifenóis de ameixeiras, como o ácido clorogênico e o ácido neoclorogênico, em ratos tratados com azoximetano.
  • Eles hipotetizaram que os polifenóis de ameixa poderiam suprimir a formação de focos de criptas aberrantes induzida por azoximetano através de alterações na via da proteína quinase B (AKT) / alvo de rapamicina em mamíferos (mTOR) e micro-RNAs relativos.
  • Para testar esta hipótese, eles trataram ratos com bebida de ameixa ou uma bebida de controle durante 10 semanas e administraram azoximetano na segunda e terceira semana.
Consultar mais informações

Altos níveis de alumínio encontrado em cérebros de crianças autistas (Entenda o por que)

Altos níveis de alumínio encontrado em cérebros de crianças autistas

O autismo é um transtorno cerebral que causa sintomas que tipicamente se tornam visíveis até aos três anos de idade. Isso afeta a capacidade de uma criança comunicar-se verbalmente e não verbalmente e também afeta interações e relacionamentos sociais. Além disso, o autismo pode reduzir dramaticamente o interesse de uma criança em se socializar e pode causar preocupação com certas atividades, brinquedos ou rotinas. 

Por isso, quando falamos que as vacinas contém altos níveis de adjuvantes altamente prejudiciais, não falamos por nós mesmo, mas como este, mostramos os fatos científicos, incluindo o preocupante alumínio nas vacinas, como revela esse estudo – mostra claramente que existe um problema muito sério com as vacinas de supostamente imunizar as crianças, e que está sendo negligenciado pela indústria das vacinas, e pelos órgão reguladores, ou até mesmo está sendo intencionalmente ignorados para levar a uma geração  altamente epidêmica de transtorno do deficit de atenção com hiperatividade (TDAH)

 Washington, DC - 4 de junho de 2019 - Altas concentrações de alumínio caracterizam os cérebros de crianças autistas, de acordo com um estudo de 2018 publicado no Journal of Trace Elements em Medicine and Biology . [1]

Pesquisadores da Universidade de Keele, no Reino Unido, examinaram o tecido cerebral de indivíduos falecidos com diagnóstico de autismo, encontram alguns dos maiores valores de alumínio no tecido cerebral humano já registrados. A pesquisa investigou tecido cerebral de dez doadores, representando todos os doadores disponíveis no Banco do cérebro autista, e uma observação destacada foi a localização do alumínio em células primariamente não-neuronais, com evidências de que essas células se movem do sangue e da linfa para o tecido cerebral.

Fontes de alumínio ingerido incluem fórmulas infantis, alimentos em embalagens de alumínio e alimentos cozidos em panelas ou folhas de alumínio. No entanto, em geral, menos de 1% do alumínio dietético é absorvido. [2] Uma fonte altamente provável de alumínio no cérebro de crianças autistas é a vacina. Uma criança totalmente vacinada recebe quase 5.000 micrograma (mcg) de alumínio aos 18 meses de idade. [3] A quantidade de alumínio nas oito doses administradas no check-up de dois meses do bebê é de 1.225 mcg. 3 Por contraste, o alumínio máximo permitido por dia para alimentação intravenosa em crianças é de 25 mcg.
Consultar mais informações

Uma histerectomia (a remoção cirúrgica do útero) pode afetar negativamente a função cerebral?

Uma histerectomia (a remoção cirúrgica do útero) pode afetar negativamente a função cerebral?

Uma histerectomia é uma operação cirúrgica que remove o útero da mulher. Especialistas acreditam que uma em cada três mulheres passa pelo processo quando chega aos 60 anos. Os profissionais de saúde apresentarão muitas razões pelas quais precisam remover o útero de seus pacientes do sexo feminino, como para tratar câncer, miomas uterinos e outros problemas de saúde no sistema reprodutivo .

No entanto, pesquisadores que analisaram o assunto alertam que uma em cada cinco dessas cirurgias não é necessária.

Ratos submetidos à histerectomia vivenciaram problemas em sua memória espacial


Um estudo recente da Universidade Estadual do Arizona (ASU) investigou os efeitos colaterais potenciais da histerectomia . Usando modelos animais, os pesquisadores removeram os ovários, o útero ou ambos os órgãos reprodutivos de ratos fêmeas.

Depois de submetidos a operações cirúrgicas, os animais passaram por um labirinto que serviu como um teste de memória espacial. A memória espacial é a capacidade de um organismo de encontrar uma maneira de contornar um ambiente. Também permite que o animal se lembre desse caminho para uso no futuro.

Os resultados do experimento mostraram que a remoção do útero de ratas por meio de histerectomia e a preservação de seus ovários causaram graves problemas em sua memória espacial. As questões se mostraram particularmente incapacitantes durante momentos estressantes que afetaram a mente dos animais.

Os pesquisadores da ASU descobriram esse déficit apenas em ratos fêmeas que perderam o útero, mas mantiveram seus ovários , o que é semelhante a histerectomias parciais em mulheres . Ratos que tiveram o útero e os ovários removidos por meio de histerectomia total não apresentaram problemas com a memória espacial.
Consultar mais informações

Estudo: Glifosato ligado a casos graves de doença hepática

Estudo: Glifosato ligado a casos graves de doença hepática

Acontece que o principal ingrediente encontrado no produto herbicida popular, o Roundup está matando mais do que apenas ervas daninhas. De fato, a doença hepática tornou-se uma grande preocupação para qualquer pessoa exposta a essa substância tóxica. 

Atualmente, o glifosato (o principal ingrediente do Roundup) é o herbicida mais usado no mundo. E, para quem não sabe, esse herbicida foi patenteado nos anos 1970 pela Monsanto- uma das corporações mais odiadas do mundo. . Hoje, as vendas desse herbicida são responsáveis ​​por cerca de metade da receita da empresa a cada ano. 

No passado, o glifosato tem sido associado a doenças do fígado e problemas renais em animais. Mas um novo estudo, que é o primeiro de seu tipo, descobriu que o ingrediente tem efeitos adversos no fígado humano . 

Conduzido por pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia em San Diego e publicado em GastroenterologiaClínica e Hepatologia , o pesquisador-chefe Paul J. Mills queria descobrir se a exposição ao herbicida glifosato contribuiu para a doença hepática. 

Evidências de que o glifosato - em nossa oferta de alimentos - desencadeia doença hepática 


Este estudo recente analisou a quantidade de glifosato encontrada nas amostras de urina de dois grupos de pacientes - um grupo tinha esteato-hepatite não alcoólica (NASH), um tipo de doençahepática gordurosa não alcoólica , e o outro grupo não apresentava doença hepática. Não importa a etnia, idade, IMC ou raça, o grupo de pacientes que tiveram esteato-hepatite (NASH) mostrou uma quantidade significativamente maior de resíduos de glifosato na urina.
Consultar mais informações

Quimioterapia coloca familiares e profissionais de saúde em alto risco

Quimioterapia coloca familiares e profissionais de saúde em alto risco

Um estudo publicado no Journal of Oncology Pharmacy Practice em 2012, descobriu que os membros da família que vivem com alguém rendido sob quimioterapia são expostos aos mesmos produtos químicos tóxicos que o paciente através de suas excreções urinárias e outras. Os profissionais de saúde também correm o risco de exposição da mesma maneira, bem como através do contato direto com a medicação em si.

Natural Health 365 relatou:

Pesquisadores analisaram amostras de urina de pacientes que receberam a droga antineoplásica ciclofosfamida - nas últimas 48 horas. A equipe também analisou amostras de membros da família - além de testar a limpeza de amostras de suas casas.

Usando cromatografia gasosa e espectroscopia de massa, os pesquisadores descobriram ciclofosfamida em todas as amostras de urina - os pacientes tratados e os membros da família também. Segundo os cientistas, entre 9 e 34 por cento da dose original de ciclofosfamida foi excretada na urina.

Além disso, eles encontraram contaminação superficial nas residências de pacientes tratados com ciclofosfamida - com 8 das 12 amostras contendo o medicamento.

Os pesquisadores afirmaram que a contaminação das superfícies - e a exposição dos membros da família - ocorreu através da exposição a excreções de produtos de resíduos dos pacientes de quimioterapia.
Consultar mais informações

Portal Drauzio Varela nega nosso artigo que confirma alumínio nas vacinas e autismo – porem veja os fatos incontestáveis

Portal Drauzio Varela nega nosso artigo que confirma alumínio nas vacinas e autismo – porem veja você os fatos incontestáveis

Em um artigo já publicado aqui no Coletividade Evolutiva, sobre o título - Estudo confirma alumínio nas vacinas causa autismo  - foi contestado pelo portal Drauzio Varela, combinado a uma plataforma chamada Drops, que segundo eles é a primeira plataforma brasileira dedicada exclusivamente a checar o grau de veracidade de notícias sobre saúde veiculadas na imprensa e nas redes sociais, baseados no fact checking e na busca por evidências científicas em publicações indexadas e instituições de referência. 

Apesar deles refutarem que o alumínio nas vacinas causa autismo nas crianças, eles pelo menos admitiram uma verdade , que as vacinas contem diversas substância prejudiciais , incluindo o alumínio, que não sai do corpo, permanece e vai parar no cérebro, e que segundo o site, são substâncias químicas controladas para não causar danos e sim conservar o produto no corpo. Mas a verdade é que qualquer substância química que seja estranha em nosso corpo pode sim causar danos, seja ela pouca ou não, mais cedo ou mais tarde os efeitos surgirão isso é fato. 

A verdade é que todos aqueles que contradiz a narrativas das agências governamentais e não governamentais como a pôr exemplo, a indústria das vacinas, são perseguidos calados, e caluniados, e destruídos, como aconteceu com a Dr. Judy Anne Mikovits, e muitos outros que trouxeram a luz da verdade sobre os malefícios do sistema.

Eles pegaram como base a pesquisa de Andrew Jeremy Wakefield ex-pesquisador e ex-cirurgião britânico que teve um artigo publicado na revista científica The Lanced em 1998, que afirmava ter encontrado relação entre o mercúrio (outra substância altamente perigosa adicionada as vacinas) utilizado na vacina tríplice viral MMR para (sarampo, caxumba e rubéola) e o autismo, que logo foi perseguido e considerado fraudulento, mas por quem, se não pela própria indústria das vacinas, que logo financiou estudos para entrar em controvérsia com a descoberta de Andrew, e desfazer a verdade que alertou o publico na época, mas muitos voltaram a ser convencidos pelo o marketing da indústria e seus lobistas. 
Consultar mais informações

Autoridades de saúde publica em Nova Hampshire (EUA) Admitem publicamente que a vacina MMR causa sarampo

Autoridades de saúde publica em Nova Hampshire (EUA) Admitem publicamente que a vacina MMR causa sarampo

Com tanta loucura da grande indústria da vacina, correndo para vacinar a todos, e ainda grátis para populações inteiras, grátis assim, pois tem sempre um financiador por trás, e que tal a fundação Gates, pois Bill Gates disse, que a melhor forma de exterminar a humanidade seria através das vacinas, então não me é de admirar que existe um coluio globalistas para favorecer a inoculação de vacinas em todo o mundo, com a agenda de redução populacional em pleno curso. Mas estamos conseguindo furar essa blindagem que tanto protege a indústria das vacinas, e outros, revelando suas ações anti-humanos saudáveis, e anti-vida. 

É bem provável que a maioria das pessoas nunca ouvira casos como esse, porque as revelações como essa contradiz a agenda do poder, e da mídia corporativa da indústria pro-vacina. Mas nós aqui no Coletividade Evolutiva, fará nosso melhor para revelar os fatos, e torna-los conhecidos para o maior número possível de pessoas que queiram realmente ouvir - e você também pode compartilhar artigos como este para seus amigos e seguidores, e sua família. Recomendado: Vacina MMR é investigada, e os resultados são perturbadores

O que é realmente é incrível sobre essa admissão por parte das autoridades de saúde pública em Nova Hampshire é que destrói completamente um dos princípios fundamentais usados ​​pelos defensores da vacinação: a ideia de que é impossível para as vacinas causar as doenças que supostamente previnem.
Consultar mais informações

Perigo de drogas: Estatinas demonstram causar desordem do sistema nervoso

Perigo de drogas: Estatinas demonstram causar desordem do sistema nervoso fatal

Aproximadamente 50 milhões de pessoas em todo o mundo usam a estatina diariamente. Mas o que é a estatina e o que ela faz no organismo? Estatina é o nome dado a um conjunto de medicamentos dedicados a reduzir o colesterol ruim. 

Segundo o sistema convencional de saúde, as estatinas são destinadas a "proteger" diminuindo o seu colesterol. Mas, o que muitos as vezes não são informados, é que esses medicamentos contem uma série de efeitos colaterais. 

Segundo pesquisas, essa droga popular tem levado a efeitos como, a doença que é clinicamente conhecida como esclerose lateral amiotrófica (ELA), ou ALS – Só para esclarecer , é uma doença do sistema nervoso que causa perda de força muscular progressiva irreversível. Também conhecida como doença de Lou Gehrig, ela causa a morte das células nervosas dentro da medula espinhal e do cérebro que controlam seus músculos voluntários. Pode começar com fraqueza em uma perna ou braço e alterações de fala antes de levar a espasmos musculares e, eventualmente, impedir que as pessoas se movam, falem, comam e respirem. Não há cura e a doença é fatal. 

Os pesquisadores chegaram a essa conclusão com base em seus dados: "Esses achados ampliam evidências anteriores mostrando que a notificação de ELA significativamente elevada se estende a agentes estatina individuais, e aumenta as preocupações sobre a potencial ocorrência elevada de condições semelhantes à ELA em associação com o uso de estatina." 
Consultar mais informações

10 Maneiras de desintoxicar seu corpo e se livrar das toxinas

10 Maneiras de desintoxicar seu corpo e se livrar das toxinas

Detox, abreviação de desintoxicação, é a purificação do corpo através da remoção de toxinas. Nossos corpos naturalmente eliminam toxinas através de nossa pele, fígado, rim e pulmões. No entanto, devido à enorme quantidade de toxinas no nosso ar, água e abastecimento alimentar, hoje nossos corpos são incapazes de "acompanhar a tendencia" e a quantidade de toxinas que nos invadem diariamente. Isso leva a fadiga, ganho de peso e uma série de doenças. Portanto, é necessário que tomemos medidas para desintoxicar nossos corpos, a fim de recuperar nossa saúde e vitalidade natural. 

Uma maneira de evitar todo o perigo dos alimentos transgênicos é o uso de ogânicos, porem sabemos que hoje com o poder da indústria, fica difícil encontra´los hoje por ai. No entanto, é provável que alguma exposição ocorra quando comer em um restaurante, tomar alguns suplementos e até mesmo comer alguns alimentos rotulados erroneamente como “livres de OGM”. Por causa disso, saber desintoxicar os transgênicos do corpo se torna realmente importante. 

Toxinas da comida que comemos ao ar que respiramos para a água em que nós bebemos e banhamos. 


A indústria da dieta é uma indústria multi-bilionária. Essas empresas estão no negócio para ganhar dinheiro como qualquer outra, não para nos tornar magros ou felizes, ou qualquer outra coisa que eles propagam na mídia corporativas deles. Eles gastam mais dinheiro em propaganda e marketing do que em desenvolver produtos que funcionam. Pense nisso: se os produtos funcionassem, a indústria da dieta estaria afundada a anos, isso incluindo a Grande Pharma (Indústria farmacêutica) e muitas outras... As toxinas são armazenadas em nossa gordura corporal. As toxinas fazem com que os nossos fígados fiquem sobrecarregados e não funcionem adequadamente. Isso faz com que nossos órgãos parem de metabolizar a gordura efetivamente, levando a problemas de saúde e ganho de peso. Quanto toxinas que acumulamos, mais doentes ficamos.
Consultar mais informações

Estudo - Restaure seus hormônios intestinais com uma dieta vegana - orgânica

Restaure seus hormônios intestinais com uma dieta vegana - orgânica

Como disse o pai da medicina - Hipócrates - Que nosso alimento seja nosso remédio. E nosso remédio seja nosso alimento!


Um estudo realizado por pesquisadores do Instituto de Medicina Clínica e Experimental da República Tcheca descobriu que os alimentos à base de plantas podem aumentar a produção de bons hormônios no intestino. De fato, uma única refeição vegana pode melhorar a saúde de uma pessoa de várias maneiras. 


Em seu estudo, os pesquisadores tchecos avaliaram os efeitos de diferentes tipos de refeições nos níveis de hormônio intestinal de machos adultos. Esses participantes eram homens saudáveis, homens que sofriam de obesidade ou homens que foram diagnosticados com diabetes tipo 2

Os participantes receberam aleatoriamente uma das duas refeições que continham a mesma quantidade de energia e macronutrientes. Uma refeição consistia em carne processada e queijo. O outro era uma refeição vegana que incluía tofu. 

Os pesquisadores usaram uma escala visual analógica para avaliar a saciedade dos participantes depois de comer. Eles também mediram os níveis dos hormônios intestinais amilina, peptídeo -1 semelhante ao glucagon e peptídeo YY no sangue dos participantes imediatamente após a refeição e 30, 60, 120 e 180 minutos depois. 

Seus resultados mostraram que o consumo de uma refeição vegana aumenta os níveis de hormônios intestinais, independentemente de a pessoa ser saudável, obesa ou ter diabetes tipo 2. Além disso, as melhorias nas concentrações hormonais causadas pela refeição vegana excederam as encontradas nos participantes que ingeriam carne processada. 
Consultar mais informações

Estudo revela nova droga para o vírus letal Nipah, um patógeno dos mais letais do mundo

Estudo revela nova droga para o vírus letal Nipah, um patógeno dos mais letais do mundo

Um dos vírus mais letais do mundo pode ser completamente parado por uma droga experimental, afirmaram cientistas. Quatro macacos infectados com uma dose letal do vírus Nipah sobreviveram após receberem uma injeção intravenosa de remdesivir. No entanto, quatro macacos verdes que foram infectados com o vírus letal, mas não tratados com a droga morreram no prazo de oito dias, em seres humanos a morte entra em até 24 horal apos a infecção. 

O vírus Nipah é considerado um dos mais letais do mundo, e é listado como um dos patógenos prioritários da Organização Mundial da Saúde, o que significa que é necessária uma ação urgente contra ele apos a infecção. O vírus Nipah (NiV) é um tipo de henipavírus, que são encontrados naturalmente em morcegos frugívoros. O vírus pode causar doenças em porcos e seres humanos, e pode ser transmitido para seres humanos a partir de animais, alimentos infectados e outras pessoas com o vírus. 

Os sintomas podem aparecer entre cinco e 14 dias após a infecção e podem durar até duas semanas. Eles incluem: febre, dor de cabeça, sonolência, desorientação e confusão mental. Os sintomas podem evoluir para um coma e em alguns pacientes podem apresentar problemas respiratórios. O vírus é considerado fatal em cerca de 75% dos casos segundo a OMS. Não há vacina ou cura, mas os pacientes podem receber tratamento de suporte para aliviar os sintomas como sempre. 
Consultar mais informações

A abordagem da Medicina Celular baixa a pressão arterial

A abordagem da Medicina Celular baixa a pressão arterial

A hipertensão, ou pressão alta, é a principal causa do infarto e de outras doenças do coração – as que mais matam no Brasil. Cerca de 300 milhões de pessoas morrem por ano dessas doenças. A hipertensão é a causa de 60% dos infartos e 80% dos AVCs (acidente vascular cerebral), segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Além da hipertensão, os outros fatores de risco das cardiopatias são o colesterol alto e o diabetes. De acordo com a SBC, 94% das pessoas que sofrem de hipertensão não têm a doença controlada. 

No entanto, a pesquisa de Medicina Celular do Dr. Matthias Rath mostra que uma deficiência em certos micronutrientes chave é a causa raiz da pressão alta. Em muitos casos, simplesmente corrigir a deficiência pode ajudar a reverter esse problema (naturalmente) - sem a necessidade de medicamentos tóxicos. A pressão alta é particularmente perigosa porque muitas vezes não apresenta sintomas. É por isso que é chamado de " o assassino silencioso ".

 Descubra como a Medicina Celular pode ajudar 


Como a hipertensão arterial é muitas vezes imperceptível, fazer check-ups regulares é uma boa ideia - especialmente à medida que envelhecemos. A leitura envolve a avaliação de dois números: sistólica para determinar o nível de pressão quando o coração se contrai e diastólica para medir a pressão à medida que o coração relaxa. 
Consultar mais informações