Milhares de produtos de carne contaminados com bactérias mortais são vendidos nos Estados Unidos

As gigantes fábricas de processamento de carne de grandes marcas venderam dezenas de milhares de produtos cárneos contaminados com bactérias mortais


Milhares de produtos de carne contaminados com bactérias mortais são vendidos nos Estados Unidos

De acordo com registros de amostragem do governo, as gigantes fábricas de processamento de carne  de grandes marcas venderam dezenas de milhares de produtos cárneos contaminados com bactérias mortais entre 2015 e 2020. Em termos simples, produtos cárneos – que não são seguros para consumo humano – chegam regularmente às prateleiras das lojas.

Não é somente nos Estados Unidos que estamos vendo isso. O Brasil já tem uma longa lista de contaminação de carne. Por exemplo, o mais recente aconteceu em 8 de Março de 2022, onde a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decretou que a empresa Berfrigo Alimentos recolha do mercado um lote de filé-mignon da marca BR Meat contaminado com salmonela. A infecção foi detectada em inspeção do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Salmonella e campylobacter são duas das formas mais comuns de bactérias transmitidas por alimentos. Eles também são dois dos mais perigosos. A exposição a quantidades excessivamente altas de salmonela e bactérias campylobacter tem consequências graves.

Numerosos relatos de crianças desenvolvendo doenças autoimunes raras e com risco de vida após o consumo desses produtos contaminados demonstram a gravidade desse problema. 

No entanto, as empresas de carne continuam seus negócios como de costume e continuam produzindo produtos que não atendem aos padrões de segurança e, portanto, representam uma séria ameaça para adultos e crianças.

Os produtores de carne violam rotineiramente os regulamentos de segurança alimentar


O USDA tem padrões rígidos que visam regular o número de bactérias (salmonella e outras) que são aceitáveis ​​para carnes e aves que devem ser usadas para consumo humano. Verificou-se que entre 2015 e 2020, muitos dos produtores de carne mais conhecidos tinham níveis de bactérias que excediam os padrões do USDA.

As 
fábricas de processamento de carne dos Estados Unidos aprovaram carnes e produtos cárneos que não apenas continham níveis extremamente altos de bactérias, mas também outros detritos. Em alguns casos, os trabalhadores foram instruídos a processar a carne podre com a fresca.

 Acredita-se que muitas dessas mesmas empresas violaram os regulamentos de segurança alimentar até 145.000 vezes de janeiro de 2015 a agosto de 2019, sem multas ou repercussões do USDA.

O que realmente está entrando na sua carne?


Funcionários das 12 principais fábricas de processamento de carne afirmam que as bactérias não são a única coisa a que os consumidores estão expostos. Muitos dos funcionários disseram aos investigadores que as caixas de carne eram despejadas em moedores sem que a carne fosse limpa ou verificada quanto a bactérias ou deterioração.

O que quer que estivesse na caixa foi para o moedor. Isso incluiu insetos, besouros, insetos e qualquer outro tipo de detritos que possam ter coletado na caixa durante o transporte.

Onde estão os inspetores de alimentos?


Outro grande problema é que os inspetores de alimentos, que são pagos pelo governo federal para inspecionar a carne antes de ser processada, foram encontrados dormindo no trabalho. 
Isso foi testemunhado não apenas pelos funcionários da fábrica de processamento de carne, mas também por outros inspetores.

O que você pode fazer?


O que você pode fazer para proteger sua família da exposição aos perigos de bactérias causadoras de doenças e partículas de insetos que possivelmente pode afetar as fabricantes brasileiras também?

Primeiro, você pode estimular o sistema imunológico de seus filhos para combater os diversos patógenos encontrados em seu ambiente. Adicione o mel de Manuka  ou mel Silvestre, que comprovadamente combate as formas de bactérias resistentes aos medicamentos.

Em seguida, esqueça a compra dos grandes produtores. Compre sua carne de uma pequena fazenda ou mercado de agricultores locais. Existem mercados de carne em quase todas as comunidades que fornecem carnes cultivadas localmente (100% alimentadas com capim) que não são expostas às inúmeras formas de bactérias à medida que são transportadas por longas distâncias.

A carne que você obterá é tão fresca quanto possível e terá quantidades mínimas de bactérias em comparação com o que você compraria em seus supermercados “regulares” ou grandes varejistas.

As fontes incluem:
naturalhealth365.com/
ChildrensHealthDefense.org
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Uma pequena pausa antes de continuar


Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.