Vacinação

Dr. Bryan Ardis divulga novas revelações: O vírus covid-19, vacinas e alguns tratamentos são todos derivados do VENENO DE COBRA

Vacinação: Em entrevista bombástica logo abaixo, o Dr. Bryan Ardis após sua extensa investigação, soa o alarme, com alegações de que o vírus covid-19,...

Fabio Allves
Compartilhe:
Nos Apoie
Dr. Bryan Ardis divulga novas revelações: O vírus covid-19, vacinas e alguns tratamentos são todos derivados do VENENO DE COBRA

Em entrevista bombástica logo abaixo, o Dr. Bryan Ardis após sua extensa investigação, soa o alarme, com alegações de que o vírus covid-19, na verdade, pode não ser um vírus, mais um veneno de cobra, as “vacinas” covid e pelo menos um tratamento covid com remdesivir se originaram de moléculas de veneno de cobra (a Cobra Rei, para ser específico), ou seja, os vacinados com mRNA da Pfizer ou Moderna, estão sendo envenenados com veneno de cobra sintetizado.

O veneno de cobra contém toxinas peptídicas que são usadas para atingir canais iônicos e receptores de membrana. Esses peptídeos de veneno têm como alvo várias vias hemostáticas com alta seletividade e afinidade. ( Relacionado: A própria enzima que está associada a mortalidade por covid-19 é bloqueada por um composto ANTI-VENENO)

No vídeo legendado abaixo, Bryan Ardis expressa preocupação de que moléculas relacionadas ao veneno de cobra (peptídeos ou proteínas) possam ter sido jogadas no abastecimento de água (ou liberadas por outros métodos, como aerossolização) para criar um cenário de medo de “surto” de covid-19 que acabou levando as pessoas a vacinas de mRNA contendo esse veneno de cobra, bloqueios, mandatos de máscaras e outras formas de histeria médica em massa.

O Dr. Ardis compartilhou sua extensa pesquisa ligando veneno de cobra a anticorpos, produção de vacinas e efeitos colaterais estranhamente semelhantes observados em vacinas de mRNA e tratamentos de covid. Como o Dr. Ardis explica no vídeo (abaixo), cada efeito colateral atribuído ao covid-19 também é um efeito conhecido da exposição ao veneno tóxico de cobra.

Para quem ainda não percebeu que o veneno de cobra é usado rotineiramente para desenvolver produtos farmacêuticos e intervenções médicas, confira o anúncio de uma empresa chamada “VenomTech”. Eles estão se gabando, “As bibliotecas Target-Venom Discovery Array™ (T-VDA™) fornecem aos pesquisadores uma solução direta para rastrear rapidamente milhares de fragmentos de veneno individuais, com cada matriz projetada especificamente para maximizar acertos para um alvo específico”.

O CEO da VenomTech, Paul Grant, ainda continuou:

“A Venomtech está na vanguarda da pesquisa de venenos para descoberta de medicamentos há mais de uma década. Por meio desse relacionamento com a Charles River Laboratories – líder global em pesquisa de contrato para descoberta de medicamentos – agora podemos mostrar nossa tecnologia inovadora, apresentando à indústria em geral o potencial dos venenos para a entrega bem-sucedida de mais leads, mais rapidamente, para uma ampla gama de alvos”.

Em 2018, o Fórum Econômico Mundial (WEF) publicou um artigo anunciando que os cientistas haviam encontrado uma maneira de sintetizar artificialmente peptídeos de veneno de cobra para fins de desenvolvimento de medicamentos.

Os avanços na tecnologia de DNA e RNA, explica o artigo, tornam possível sintetizar o veneno de cobra em vez de extraí-lo do animal, como era necessário anteriormente.

O portal da InfoWars também cobriu essa história emergente. “Uma rápida pesquisa na Internet revela muitas publicações da mídia convencional admitindo no início do surto de Covid que pode ter sido derivado de cobras”, relata InfoWars.com . “Da Scientific American à CNN, a teoria da cobra foi amplamente divulgada no início.”

Essa história cita a Scientific American e seu artigo de 2020, “ As cobras podem ser a fonte original do novo surto de coronavírus na China ”.

Essa história cita a semelhança entre o SARS-CoV-2 e o material genético da cobra, afirmando:

Cobras – a krait chinesa e a cobra chinesa – podem ser a fonte original do coronavírus recém-descoberto que desencadeou um surto de uma doença respiratória infecciosa mortal na China neste inverno.

O Dr. Ardis acredita que o veneno de cobra foi usado como ponto de partida para o aumento do ganho de função do SARS-CoV-2, transformando efetivamente o vírus em um sistema de entrega de carga útil semelhante ao veneno que envenena o corpo como uma picada de cobra.

Também da história da Scientific American:

Os pesquisadores usaram uma análise dos códigos de proteínas favorecidos pelo novo coronavírus e os compararam com os códigos de proteínas dos coronavírus encontrados em diferentes hospedeiros animais, como pássaros, cobras, marmotas, ouriços, manis, morcegos e humanos. Surpreendentemente, eles descobriram que os códigos de proteínas no 2019-nCoV são mais semelhantes aos usados ​​em cobras.

Como informa o InfoWars:

Um estudo de 2021 também conectou o Krait chinês e a Cobra Rei à proteína de pico Covid-19, explicando: “a descoberta de um motivo semelhante a superantígeno na proteína S1 Spike, bem como dois outros motivos semelhantes a neurotoxinas que têm semelhanças peptídicas com neurotoxinas dos gêneros Ophiophagus (cobra) e Bungarus.”

Mais tarde, durante a entrevista, o Dr. Ardis abordou o fato de que a hidroxicloroquina, difamada pela mídia, é conhecida por bloquear os receptores de nicotina no tronco cerebral de serem feridos por veneno de cobra e víbora (vacinas).

Esse estudo citado é intitulado “ Peptídeos semelhantes a toxinas em amostras de plasma, urina e fezes de pacientes com COVID-19 ”. Conclui: (grifo nosso)

A presença de peptídeos semelhantes a toxinas pode estar potencialmente ligada à infecção por SARS-CoV-2. Sua presença sugere uma possível associação entre a doença COVID-19 e a liberação no corpo de (oligo-)peptídeos quase idênticos aos componentes tóxicos de venenos de animais .

Veja as entrevistas do Dr. Ardis aqui


Publicidade
Publicidade
Explore mais em: Ciência , Coronavírus , Covid-19 , Hidroxicloroquina , Indústria farmacêutica , Pandemias , Remdesivir , Vacina , Vacinação
Compartilhe:
Nos Apoie com um donativo
Este artigo pode conter afirmações que refletem a opinião do autor

Para impulsionar sua saúde:

MAIS RECENTES