Vacinação

FDA deu como "perdido" documentos que mostram dados sobre “vacina” covid de mRNA

Vacinação: Um documento usado pela agência reguladora americana, Food and Drug Administration (FDA) para aprovar a “vacina” de mRNA do coronavírus(Cov...

Fabio Allves
Compartilhe:
Nos Apoie
FDA deu como perdido documentos que mostram que a “vacina” covid de mRNA é prejudicial

Um documento usado pela agência reguladora americana, Food and Drug Administration (FDA) para aprovar a “vacina” de mRNA do coronavírus(Covid-19) produzida pela Pfizer e Moderna foi apagado da Internet sem explicação.

O documento foi obtido pelo Epoch Times antes de desaparecer do site da FDA, e o grupo de mídia enviou perguntas à agência sobre isso. Esta foi a resposta de um porta-voz da FDA:

“Estamos cientes do problema e esperamos que o documento seja republicado o mais rápido possível.”

Segundo relatos, a Base Resumida continha detalhes sobre como os reguladores chegaram à sua decisão de aprovação. Ele também incluiu referências a uma análise não publicada que descobriu que as taxas de inflamação cardíaca pós-injeção são significativamente mais altas do que o que está sendo relatado.

O Times entrou em contato novamente por telefone para pedir mais detalhes, apenas para ser informado de que não havia mais informações disponíveis no momento.[ Isso é suspeito, bem parecido com o apagão do site do Ministério da Saúde aqui no Brasil, que supostamente foi hackeado. O que ocorreu possivelmente  um apagão de dados importantes,]

Desde então, uma solicitação do Freedom of Information Act (FOIA) foi enviada solicitando o documento e várias análises não publicadas referenciadas nele, incluindo a meta-análise do FDA.

Barbara Loe Fisher, presidente do National Vaccine Information Center (NVIC), diz: “O público tem o direito de revisar as evidências que a FDA está usando para licenciar novas vacinas de mRNA como seguras e eficazes”.

“A falta de transparência só gera desconfiança nos órgãos governamentais encarregados de proteger a saúde pública. A FDA deve liberar imediatamente todas as informações relacionadas à incidência de miocardite e outros eventos adversos graves após as vacinações de mRNA COVID-19, sejam essas informações fornecidas à agência pelos fabricantes de vacinas ou descobertas por meio de análises internas de dados adicionais coletados por autoridades federais ”, escreveu ela ainda.

Agências de saúde estão com conflitos de interesses e mentem para o público sobre a segurança da "vacina"


A meta-análise da FDA analisou dados de quatro bancos de dados de reivindicações de assistência médica, estimando que as taxas de miocardite entre homens injetados com mRNA da Moderna com idades entre 18 e 25 anos foi de 148 por um milhão de homens vacinados.

Esse número é substancialmente maior do que outras estimativas do governo, incluindo uma dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, que afirma que apenas 10,7 casos de miocardite por um milhão de homens injetados estão ocorrendo com a primeira injeção Moderna e 56 casos por um milhão com o segundo.

A miocardite, como temos relatado, é um tipo de inflamação do coração extremamente comum entre aqueles que recebem injeções para a gripe Covid, especialmente os homens.

Apesar dos riscos cardíacos envolvidos com a injeção de Moderna, a FDA a aprovou em 31 de janeiro sem pensar duas vezes. O comitê consultivo de vacinas do CDC estava programado para revisar os dados usados ​​pelo FDA em 4 de fevereiro.

Pesquisadores britânicos descobriram em dezembro que homens com menos de 40 anos são “muito mais propensos” – mulheres com menos de 40 anos são apenas “mais propensas” – a sofrer inflamação cardíaca após a segunda injeção de Moderna do que a própria “covid”.
Publicidade
Publicidade
Explore mais em: Coronavírus , Covid-19 , dinheiro , Governo , Indústria farmacêutica , Vacina , Vacinação
Compartilhe:
Nos Apoie com um donativo
Este artigo pode conter afirmações que refletem a opinião do autor

Para impulsionar sua saúde:

MAIS RECENTES