Vacinação

Abortos e câncer aumentam 300%, problemas neurológicos aumentam 1.000% após “vacinas” covid, revelam dados

Vacinação: Em 24 de janeiro, o advogado Thomas Renz  dos Estados Unidos, membro da equipe jurídica da America's Frontline Doctors (AFLDS), revelou...

Coletividade Evolutiva
Compartilhe:
Nos Apoie
Abortos e câncer aumentam 300%, problemas neurológicos aumentam 1.000%  após “vacinas” covid, revelam dados

Em 24 de janeiro, o advogado Thomas Renz dos Estados Unidos, membro da equipe jurídica da America's Frontline Doctors (AFLDS), revelou em uma reunião de painel Covid que as “vacinas” do coronavírus Covid-19 são extremamente perigosas, apesar das constantes garantias fraudulentas dos que possuem conflitos de interesses afirmarem falsamente que são completamente “seguros e eficazes”.

Três médicos militares do Departamento de Defesa (DoD) que têm acesso a dados de vacinação que foram retidos do público em geral obtiveram as informações. Eles são a tenente-coronel Theresa Long, o Dr. Samuel Sigoloff e o tenente-coronel Peter Chambers.

“Todos os três me deram esses dados em declarações que afirmavam que isso está sob pena de perjúrio, pretendemos enviar isso aos tribunais”, disse Renz.

O que esses três denunciantes mostraram com os dados é que os abortos aumentaram 300% no ano passado, assim como os cânceres. Os problemas neurológicos aumentaram 1.000 por cento durante o mesmo período.

“Nossos soldados estão sendo feridos, experimentados e, às vezes, possivelmente mortos”, explicou Renz. Assista as denúncias completa aqui

O tenente-coronel Long é um cirurgião de voo sênior do Exército dos EUA com treinamento especializado em doenças infecciosas. Ela testemunhou sob a Lei de Proteção a Denunciantes Militares, que protege membros que divulgam ilegalmente irregularidades a membros do Congresso ou ao Inspetor Geral.

Long disse ao senador Ron Johnson (R-Wisc.) que ela realmente teve que interromper os pilotos vacinados para colocá-los sob monitoramento de sintomas de miocardite, que incluem fadiga crônica, para evitar que eles morressem potencialmente de insuficiência cardíaca no ar.

Em 3 de novembro de 2021, o Washington Times informou que Long havia feito “numerosos esforços para fazer com que os líderes médicos seniores pelo menos informassem os soldados sobre esse risco”, no entanto, foi ignorada.

Long inicialmente decidiu falar depois que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA anunciaram em junho uma “reunião de emergência para discutir miocardite em jovens de 16 a 24 anos”.

Long então apresentou uma declaração juramentada contra o regime do governo americano sob controle de Biden sobre seu mandato de vacinação forçada para militares da ativa, alertando que efeitos colaterais cardíacos podem causar a morte de pilotos em pleno voo.

Long é a responsável direta, aliás, por certificar a aptidão de 4.000 aviadores prontos para o voo na 1ª Brigada de Aviação em Ft. Rucker, Ala. O trabalho dela, em outras palavras, é ficar atenta a coisas que possam prejudicá-los, incluindo vacinas de covid.

“As vacinas podem causar inflamação dos músculos do coração em homens jovens na faixa etária da maioria dos pilotos prontos para voar e… o Departamento de Defesa não seguiu seus próprios protocolos exigindo uma ressonância magnética de cada aviador após a vacinação”, diz o depoimento.

“A maioria dos jovens aviadores do Exército está na casa dos vinte anos. Sabemos que há um risco de miocardite com cada vacinação de mRNA.”

Um processo também foi aberto, mas o regime de Biden até agora ignorou tanto a declaração juramentada quanto o arquivamento legal.

O Dr. Peter McCullough apoiou tudo isso quando falou em uma segunda reunião de opinião, revelando que a miocardite “não é leve” e não é algo a ser ignorado.

“Quando eles fazem uma ressonância magnética nesses indivíduos com suspeita de miocardite, 100% estão com danos no coração”, explicou.

Estudos científicos mostram que cerca de 13% das vítimas de miocardite induzida por vacinas covid terão lesão cardíaca permanente, enquanto 32% nunca voltarão ao normal.

“Estamos vendo um número sem precedentes de atletas morrendo em campo na Europa ”, acrescentou. “Dessas paradas cardíacas, metade delas não volta.”


As fontes para este artigo incluem: DailyExpose.uk /  NaturalNews.com
Publicidade
Publicidade
Explore mais em: Coronavírus , Covid-19 , Governo , Mundo , saúde , Vacina , Vacinação
Compartilhe:
Nos Apoie com um donativo
Este artigo pode conter afirmações que refletem a opinião do autor

Para impulsionar sua saúde:

MAIS RECENTES