Dra. Stephanie Seneff do MIT emite alerta urgente contra a vacinação Covid em crianças

“Quando você olha para o dano potencial dessas vacinas, não faz nenhum sentido”, explicou ela (assista ao segmento completo abaixo).


Dra. Stephanie Seneff do MIT emite alerta urgente contra a vacinação Covid de crianças

A apresentadora da Fox News , Laura Ingraham, apresentou a Dra. Stephanie Seneff do MIT para um breve segmento sobre as “vacinas” do coronavírus Wuhan (Covid-19), que Seneff alerta que são extremamente perigosas, especialmente para crianças.

Seneff, que trabalha no Laboratório de Ciência da Computação e Inteligência Artificial do MIT, espera um grande aumento nas doenças de príons, como o Parkinson, devido à maneira como essas injeções funcionam.

“Através da ação semelhante ao príon da proteína spike, provavelmente veremos um aumento alarmante em várias doenças neurodegenerativas importantes… com prevalência crescente entre populações cada vez mais jovens”, escreveu Seneff com a ajuda de Greg Nigh em 3 de janeiro na Revista Internacional de Teoria, Prática e Pesquisa de Vacinas (IJVTPR sigla inglês).

Seneff disse ainda a Ingraham que, com base em tudo o que ela aprendeu até agora sobre as vacinas, é absolutamente ultrajante administrá-las a crianças, especialmente porque elas têm risco quase zero de morrer de covid.

“Quando você olha para o dano potencial dessas vacinas, não faz nenhum sentido”, explicou ela (assista ao segmento completo abaixo). “E reforços repetidos serão muito devastadores a longo prazo.”

Como está se tornando amplamente conhecido, as injeções não ficam no braço. Essas substâncias chamadas vacinas perturbam as células musculares, o que gera uma resposta imune substancial. Essas células imunes então absorvem as nanopartículas das substâncias, fazendo com que gerem grandes quantidades de proteínas spike.

“Eles começam a produzir proteína de pico, as partículas basicamente fazem com que suas células produzam muitas e muitas proteínas de pico rapidamente – o pico é a parte mais tóxica do vírus”, diz Seneff.

“E essas células imunológicas correm para o sistema linfático, muitas delas acabam no baço, que é onde você quer que elas estejam para produzir os anticorpos, esse é o objetivo”.

Isso então invoca uma resposta imune que faz com que os anticorpos sejam produzidos, mas os perigos associados a isso são imensos.

“O problema é que esses centros germinativos no baço são realmente o local central onde a doença de Parkinson se desenvolve e provavelmente muitas outras doenças neurodegenerativas”, alerta Seneff.

“Mas, para o Parkinson, foi muito bem definido que você obtém proteínas semelhantes a príons, mesmo de infecções no intestino, as células imunológicas as levam para o baço, para esses centros germinativos, e então começam a expelir exossomos, são pequenas partículas lipídicas. que são liberados pela célula, descarregando essa proteína tóxica e enviando-a ao longo do nervo vago para o cérebro”.

Seneff é um respeitada como especialista nesta área de estudo e passou muito tempo mergulhando profundamente nas implicações dessas injeções para a saúde humana. Com base em tudo o que ela descobriu, ela diz que as injeções são “uma configuração perfeita” para o desenvolvimento de Parkinson e outros distúrbios neurodegenerativos, e que os pais “devem fazer tudo o que puderem para evitar” que seus filhos sejam submetidos a essas injeções venenosas.

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Uma pequena pausa antes de continuar


Este site usa cookies e outros serviços para melhorar sua experiência. Ao usar nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade e Termos.