Vacinação

Cientistas provam como a vacina da AstraZeneca causa coágulos sanguíneos mortais que já fez milhares de vítimas

Vacinação: Adenovírus usado na vacina se combina com proteína do sangue e dispara reação do sistema imunológico, afirmam. Uma equipe de cientistas do R...

Coletividade Evolutiva
Compartilhe:
Nos Apoie: Doação
Cientistas provam como a vacina da AstraZeneca causa coágulos sanguíneos mortais

Adenovírus usado na vacina se combina com proteína do sangue e dispara reação do sistema imunológico, afirmam.

Uma equipe de cientistas do Reino Unido e dos Estados Unidos revelaram o mecanismo que faz com que a vacina contra covid-19 da empresa AstraZeneca provoca o desenvolvimento de coágulos sanguíneos que tem provocado em milhares de vítimas da vacina.

A equipe publicou seus resultados no jornal americano Science Advances, revelaram que uma proteína no sangue é atraída por um componente-chave da vacina, o que por sua vez gera uma reação anormal do sistema imunológico em que leva à chamada trombocitopenia trombótica imune (PTI).

A vacina da AstraZeneca já foi banida em alguns países por conta desses efeitos mortais, sobretudo na Europa, por fazer milhares de vítimas com reações adversas de coágulos sanguíneos, o que levou vários países a restringir o uso dela. 

Não subestime os efeitos negativos dessas substâncias experimentais chamadas de vacinas, a verdade é que ninguém sabe quando esses eventos aparecerão, se vão levar curto, médio ou longo prazo para desencadear no corpo, -  quando as autoridades dizem serem "casos raros", na verdade, é que nem eles sabem quanto isso atingirá a população, portanto, culpar as injeções, entra em conflito de interesses é claro.

Componente-chave adenovírus ataca seu próprio corpo


A vacina Vaxzevria, desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca, tem em sua composição um adenovírus (especificamente, um vírus do resfriado comum de chimpanzés).

Estudos anteriores descobriram que as pessoas que desenvolvem coágulos sanguíneos após receberem a vacina da AstraZeneca desenvolvem anticorpos incomuns, que atacam a proteína conhecida como fator plaquetário 4 das plaquetas do sangue da pessoa.

De acordo com a nova pesquisa, é justamente o adenovírus, que atua como mensageiro na vacina da AstraZeneca, que pode estar ligado ao desenvolvimento dos coágulos, já que tudo indica que sua superfície externa atrai a proteína fator plaquetário 4 (PF4), unindo-se a ela.

Então, o sistema imunológico gera anticorpos para atacar a proteína PF4 agregada ao adenovírus. À medida que esses anticorpos também se ligam à proteína, os coágulos se desenvolvem, indica a pesquisa.

Embora as vacinas sejam injetadas no músculo, às injeções da Covid se mostram que não ficam no local da injeção, então, elas podem vazar para a corrente sanguínea e consequentemente para os órgãos do corpo, onde o processo pode começar comprometer todos resto.

Os efeitos mortais não param somente em coágulos sanguíneos


Apesar desse estudo verificar apenas uma reação adversa da vacina da AstraZerneca, ela também pode causar problemas neurológicos graves. Em teleconferência privada com investidores, o CEO da farmacêutica, Pascal Soriot, informou que uma paciente de um estudo final, apresentou sintomas neurológicos consistentes com os de uma síndrome inflamatória que afeta a medula espinhal, chamada mielite transversa.

A doença pode causar fraqueza muscular, paralisia, dor e problemas na bexiga. Vacinas desencadearam casos de mielite transversa em raras situações, embora a síndrome também possa ser causada por infecções virais. Veja mais tudo sobre o que publicamos sobre a AstraZeneca aqui
Publicidade

Explore mais em: Coronavírus , Covid-19 , Vacina , Vacinação
Compartilhe:
Nos Apoie com um donativo
Este artigo pode conter afirmações que refletem a opinião do autor

MAIS RECENTES