Vacinação

SEUS FILHOS EM PERIGO: Documentos revelam a ocultação de MORTES POR VACINAS DA PFIZER... eles sabem que as vacinas estão matando pessoas... três vezes mais MULHERES do que HOMENS

Vacinação: Graças aos esforços de um grupo chamado Public Health and Medical Professionals for Transparency , agora temos documentos confidenciais que...

Fabio Allves
Compartilhe:
Nos Apoie: Doação
Documentos revelam a ocultação de MORTES POR VACINAS... eles sabem que as vacinas estão matando pessoas ... três vezes mais MULHERES do que HOMENS

Graças aos esforços de um grupo chamado Public Health and Medical Professionals for Transparency, agora temos documentos confidenciais que mostram que a Pfizer e a agência reguladora americana FDA, semelhante à decaída Anvisa do Brasil, sabiam no início de 2021 que as vacinas de mRNA da pfizer estavam matando milhares de pessoas e causando abortos espontâneos enquanto prejudica três vezes mais mulheres do que homens.

Um documento confidencial em particular foi parte de uma liberação de arquivos da FDA ordenada pelo tribunal contra a qual a FDA lutou alegando que a agência deveria ter 55 anos para divulgar essas informações. Um juiz do tribunal discordou e ordenou a liberação de 500 documentos por mês, e o primeiro lote de documentos continha esta bomba intitulada, "Análise cumulativa de relatórios de eventos adversos pós-autorização".

Venha aqui | Ou aqui, espelhado em outros servidores:

O documento revela que em apenas 90 dias após o lançamento da vacina de mRNA da Pfizer nos EUA, a empresa já estava ciente de relatórios de reações adversas voluntárias que revelaram 1.223 mortes e mais de 42.000 relatórios adversos descrevendo um total de 158.893 reações adversas. Os relatórios foram originados de vários países, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Itália, Alemanha, França, Portugal, Espanha e outras nações.

Além de “distúrbios gerais”, a categoria nº 1 mais frequentemente relatada de reações adversas à vacina de mRNA foi distúrbio do sistema nervoso, com 25.957 notificações.



A Pfizer reteve o número total de doses liberadas em todo o mundo, citando segredos comerciais corporativos. Isso é indicado por “(b) (4)” no documento, onde números e fatos específicos são redigidos.

Mesmo esses números - já bastante chocantes, dada a insistência do FDA de que as vacinas de mRNA são “seguras e eficazes” - mal arranham a superfície dos danos e mortes causados ​​por essas vacinas. “Os relatórios são enviados voluntariamente e a magnitude da subnotificação é desconhecida”, diz a Pfizer na página 5.

Três vezes mais mulheres feridas em comparação aos homens


Surpreendentemente, o documento revela que mais de três vezes mais mulheres foram afetadas pela vacina Pfizer, em comparação com os homens. Houve 29.914 eventos adversos registrados em mulheres, com apenas 9.182 registrados em homens. Não se sabe se o mesmo número de homens e mulheres tomaram a vacina, mas esse número expõe a possibilidade muito real de um risco de dano à vacina específico de gênero que o FDA fez de tudo para encobrir.

Curiosamente, a maioria dos danos neurológicos que vimos em pessoas que foram danificadas pela vacina - convulsões, dormência, dor, etc. - foi retratada em mulheres, não em homens. Parece que o FDA sabe que a vacina de mRNA exibe um perfil de dano desproporcional, específico de gênero, que também afeta as mulheres em termos de abortos espontâneos (também coberto no relatório).



A Pfizer disse ao regulador americano, FDA, que suas vacinas covid de mRNA podem causar "doenças intensificadas", tornando a covid pior


Também para o choque de muitos observadores que agora estão investigando este documento fumegante, a Pfizer disse ao FDA em "Questões de segurança" (seção 3.1.2) que sua injeção de mRNA poderia causar, "Doença intensificada associada à vacina (VAED), incluindo doença respiratória intensificada associada à vacina (VAERD). ”

Isso significa que o FDA sabia que a vacina poderia adoecer e matar pacientes que mais tarde foram infectados com covid .

Sob o rótulo de "informações ausentes", a Pfizer também disse ao FDA que não possui informações sobre "Uso na gravidez e lactação" nem abrange "Uso em indivíduos pediátricos <12 anos de idade".

“Eficácia da vacina” também foi listada como “Informação em falta” pela Pfizer.

Em outras palavras, a Pfizer disse ao FDA que suas vacinas podem matar pessoas e que ela não tem informações sobre a eficácia da vacina, mas o FDA fraudulentamente promoveu a vacina como "segura e eficaz" de qualquer maneira. A Pfizer até disse ao FDA que não tinha informações de segurança sobre o uso em mulheres grávidas, mas o FDA (Anvisa, o CDC, etc.) empurrou a vacina para mulheres grávidas, apesar da total falta de informações de segurança.

Com base neste documento, parece que a própria FDA está envolvida até o pescoço em uma conspiração criminosa para esconder a verdade sobre as lesões e mortes da vacina, ao mesmo tempo que concede aprovações de uso às mesmas corporações que disseram abertamente à FDA que seus produtos estavam matando pessoas.

Observe, também, que todo o complexo da mídia corporativa mentiu desde o primeiro dia, alegando falsamente que a vacina não matou ninguém. Eles são, é claro, cúmplices do holocausto da vacina .

Abortos espontâneos, morte neonatal e outros efeitos em mulheres grávidas


Na seção rotulada, "Uso na gravidez e lactação", o relatório discute relatórios da vacina de mRNA sendo associada a:

aborto espontâneo (23), desfecho pendente (5), nascimento prematuro com morte neonatal, aborto espontâneo com morte intrauterina (2 cada), aborto espontâneo com morte neonatal e evolução normal (1 cada).

Observe que o “aborto espontâneo” representa de longe o número mais alto nesses relatórios. Em outras palavras, o FDA sabia que essa vacina mataria bebês em gestação , mas mesmo assim a empurrou para mulheres grávidas.

Todas as vacinas de mRNA devem ser suspensas imediatamente e os burocratas da FDA devem ser indiciados e presos


Este documento confidencial - apenas o primeiro de milhares ainda a ser lançado - revela duas coisas críticas:

1) O FDA cometeu fraude criminal e deturpação ao aprovar vacinas de mRNA como "seguras e eficazes". Isso significa que os principais tomadores de decisão do FDA agora devem enfrentar prisão e processo criminal.

2) A vacina de mRNA era conhecida pela Pfizer por ser mortal, mesmo em seus primeiros três meses de uso de emergência. Isso significa que a Pfizer também é cúmplice das mortes contínuas de vítimas inocentes, já que a própria Pfizer deveria ter retirado sua vacina mortal e interrompido todas as vendas e distribuição. Saiba mais em: Naturalnews.com
Publicidade
Explore mais: Coronavírus , Covid-19 , Vacina , Vacinação
Compartilhe:
Nos Apoie com um donativo
Este artigo pode conter afirmações que refletem a opinião do autor
Siga Coletividade Evolutiva nas redes sociais!

RECENTES