Vacinação

Escândalo na Eslovênia: Enfermeira chefe denuncia que as elites recebem vacinas de solução salina em vez de vacinas reais da Covid

Vacinação: Assistir; Está vindo a palavra da Eslovênia que, se confirmada, causará uma reação mundial inimaginável. No sábado, 20 de novembro, a Enfer...

Fabio Allves
Compartilhe:
Nos Apoie
Assistir;


Está vindo a palavra da Eslovênia que, se confirmada, causará uma reação mundial inimaginável. No sábado, 20 de novembro, a Enfermeira Chefe do Centro Médico Universitário, Centro Clínico de Ljubljana, que trata da administração de frascos de vacinas e administra tudo, pediu demissão, e foi em frente as câmeras de TV denunciou tudo sobre a fraude de vacinas.

A informação bomba atingiu o país da Europa Oriental, a Eslovênia, com uma enfermeira denunciante dizendo ao público que os políticos e outros cidadãos de alto escalão que estavam encenando diante as TVs se vacinando, para incentivar as massas, recebem na verdade, solução salina em vez da injeção experimental de mRNA produzida pela Pfizer e Moderna.

A enfermeira-chefe
, que era responsável pelo recebimento de frascos de injeções, que pediu demissão, foi para a frente das câmeras para revelar ao público que todos estão sendo enganados pelas elites. Ela revelou para às pessoas que os códigos nas doses, cada uma com 1, 2 ou 3 dígitos no código, e então explicou o significado dos números.

* Número 1 é placebo, solução salina.

* O número 2 é o frasco clássico de RNA.

* O número 3 é um bastão de RNA que contém o gene onc, que está ligado a um adenovírus que contribui para o câncer. No caso desses frascos, o número 3 diz que as pessoas que os receberem em até 2 anos terão câncer de tecidos moles.

Ela diz que testemunhou pessoalmente todos os políticos e magnatas sendo picados e todos eles receberam a picada número 1, ou seja, a solução salina, um placebo. E isso explica porque alguns políticos estão tão ansiosos para aparecer de frente as câmeras da grande mídia, para incentivar as massas  a cometerem suicídio pela vacina mortal real.

Em um vídeo no Facebook , que foi excluído pelo YouTube, a mulher que afirma ser enfermeira-chefe do Centro Médico Universitário de Ljubljana, que cuida do recebimento e gerenciamento das doses de vacinas para políticos, renunciou e deu entrevista coletiva sobre o escândalo.
Publicidade
Publicidade
Explore mais em: Coronavírus , Covid-19 , Vacina , Vacinação
Compartilhe:
Nos Apoie com um donativo
Este artigo pode conter afirmações que refletem a opinião do autor

Para impulsionar sua saúde:

MAIS RECENTES