TERRAFORMANDO: Máquina de sucção de carbono, removerá CO2 da atmosfera a cada ano, prejudicando florestas tropicais e plantações de alimentos

Meio ambiente: TERRAFORMANDO: Máquina de sucção de carbono, removerá CO2 da atmosfera a cada ano, prejudicando florestas tropicais e plantações de alimentos... Orca usa um filtro para extrair e remover permanentemente o CO2 do ar circundante

Coletividade Evolutiva
Compartilhe:
TERRAFORMANDO: Máquina de sucção de carbono ligada na Islândia, removerá 4.000 toneladas de CO2 da atmosfera a cada ano, prejudicando florestas tropicais e plantações de alimentos

É chamado de Engenharia de Carbono e usa uma combinação de ventiladores gigantes e processos químicos complexos para remover o dióxido de carbono do ar em um procedimento conhecido como Captura Direta de Ar.

A maior máquina de sucção de carbono do mundo, chamada Orca, é um dispositivo de US $ 15 milhões que pode capturar 4.000 toneladas de CO2 por ano para reverter a suposta mudança climática (mas, na verdade, prejudica florestas tropicais e plantações de alimentos ao reduzir o dióxido de carbono na atmosfera).

A máquina de “captura direta de ar” foi criada pela empresa Climeworks com sede em Zurique e foi lançada na Central Elétrica de Hellisheiði na Islândia. Mas essa ideia não é nova, Bill Gates também está envolvido nesse processo com outras empresas.

O Orca usa um filtro para extrair e remover permanentemente o CO2 do ar circundante. Estima-se que ele capture 4.000 toneladas métricas de dióxido de carbono por ano - o equivalente às emissões anuais de 790 carros.

Embora o feito seja notável, esse total é uma mera fração das emissões globais de CO2, que totalizaram 34,7 bilhões de toneladas no ano passado, segundo a Agência Internacional de Energia. É importante ressaltar que as emissões de dióxido de carbono (CO2) são boas para o planeta e ajudaram a torná-lo “verde” nos últimos 30 anos.

O Orca tem uma pilha de “purificadores de ar” de metal que sugam o CO2 do ar (ambiente) ao redor usando ventiladores. Em seguida, é extraído com um filtro químico. O CO2 é armazenado no subsolo, reduzindo a quantidade de gases de efeito estufa que chega à atmosfera. O gás pode ser armazenado permanentemente em formações geológicas profundas ou usado para fazer combustíveis, produtos químicos, materiais de construção e outros produtos. ( VEJA: Globalistas planejam retirar a "molécula da vida" , para produzir combustíveis)

Jan Wurzbacher, cofundador e co-CEO da Climeworks, disse que a Orca forneceu um projeto escalonável, flexível e replicável para a expansão futura da empresa.

“Alcançar as emissões globais líquidas zero ainda é um longo caminho a percorrer, mas com o Orca, acreditamos que a Climeworks deu um passo significativo mais perto de atingir esse objetivo”, disse ele. 

Wurzbacher não comentou sobre a fome global que resultaria da redução dos níveis de CO2, prejudicando as safras de alimentos e as florestas tropicais. A Climeworks também encomendou a abertura da primeira planta DAC em escala comercial na Suíça em 2017, e foi baseada em protótipos de laboratórios da universidade de pesquisa ETH Zurich .

A Islândia também usava a tecnologia anteriormente, mas a de Hellisheidi é a maior até agora. O design radical pretende incorporar uma “interconexão entre natureza e tecnologia” na paisagem islandesa.

Orca diminui as emissões


O Orca começou a construção em maio de 2020 e é formado por oito grandes unidades coletoras do tamanho de contêineres que são empilhadas em duas. Cada uma das pilhas tem mais de 6 metros de comprimento. As unidades coletoras capturam CO2 aspirando o ar usando um ventilador. nos coletores, estão materiais de filtro químico que coletam o CO2 e permitem que o ar limpo saia do outro lado.

Uma vez que o filtro está saturado com CO2, o coletor é fechado para que nenhum ar possa entrar. Dentro do coletor, o CO2 capturado é aquecido usando a energia da usina geotérmica Hellisheiði, e o CO2 do filtro é liberado e extraído em uma forma concentrada. “Por meio da mineralização natural, o CO2 reage com a rocha basáltica e se transforma em pedra em poucos anos”, explicou Climeworks.

Isso remove o CO2 do ar e o devolve à Terra, privando as plantações de alimentos, árvores, gramíneas e outras plantas de acesso ao dióxido de carbono de que precisam para sobreviver ou para realizar a fotossíntese.

Climeworks observou que a tecnologia pode ser replicada em diferentes locais do mundo em escalas ainda maiores para aumentar a quantidade de captura de CO2.

A fábrica está muito longe da meta original da Climework de capturar um por cento das emissões globais anuais de CO2, ou mais de 300 milhões de toneladas até 2025; no entanto, ainda tem como meta 500.000 toneladas até o final da década.

A empresa ainda espera atingir sua meta de 300 milhões de toneladas, mas observou que o cronograma mudou, pois, levou mais tempo do que o previsto originalmente para construir uma indústria inteira.

A demanda por remoção de carbono na Orca é tão alta que a empresa decidiu expandir a planta e construir uma quase dez vezes maior em cerca de três anos. Os investimentos já estão chegando à medida que empresas e governos encontram maneiras de mitigar o falso aquecimento global propagado como verdade.

O principal desafio da Climeworks é reduzir o custo do seu serviço. Indivíduos que desejam adquirir compensações de carbono podem pagar à empresa até US $ 1.200 por tonelada de CO2. Para compras na granel, o custo é mais próximo de US $ 600 por tonelada.

A Climeworks quer reduzir o custo para US $ 200 a US $ 300 por tonelada até 2030, e para US $ 100 a US $ 200 até a metade da próxima década, quando as operações estiverem em grande escala. Recomendado: MAIS DE 31.000 CIENTISTAS DIZEM QUE O AQUECIMENTO GLOBAL É UMA FARSA

Quando estiver totalmente operacional, isso significa que seus clientes estarão “lavando com o verde” suas próprias emissões, contratando a Climeworks para queimar eletricidade para operar enormes máquinas de depuração de carbono que alteram a atmosfera de uma forma que prejudica as plantações de alimentos e torna o planeta menos verde (e mais frio). Somente em um mundo insano isso poderia ser considerado bom para o meio ambiente.

Explore mais sobre:

Compartilhe:
RELATAR ERROS:
Coletividade Evolutiva

Autor: Coletividade Evolutiva

O Coletividade Evolutiva, esta ligado ao dever e justiça de informar a sociedade de forma que ajudarão a viver melhor, enxergar através das cortinas que nos limitam o pensamento, quebrando assim as velhas formas de pensar. Examinamos o que percebemos como os problemas mais importantes em nossa sociedade atual, discutimos possíveis soluções e alternativas que podem nos ajudar a reconstruir nossa sociedade.Publicamos informações que nos desafiam o pensamento e os nossos preconceitos.