Siga-nos nas redes para atualizações| Instagram | Facebook |Twitter |Telegram

Pacientes deficientes de vitamina D é duas vezes mais suscetíveis a desenvolver sintomas graves do covid-19

Pacientes deficientes de vitamina D é duas vezes mais propensos a desenvolver sintomas graves do covid-19

Aproximadamente 80% da necessidade diária de vitamina D pode ser adquirida pela exposição diária ao sol, de 15 a 20 minutos sem produtos químicos no corpo, e 20% pela ingestão alimentar, ou pode também optar por um suplemento alimentar. A vitamina D é uma das vitaminas essenciais para manter organismo saudável e forte, como uma fonte de ajuda na prevenção do novo coronavírus covid-19. Já está provado, que o covid-19 tem maior força sobre pessoas idosas, no qual são obviamente pessoas vulneráveis em quesito sistema imunológico fraco. São fontes de vitamina D alimentos de origem animal, como leite e seus derivados (queijo, iogurte), além de fígado e peixes de águas profundas como salmão e atum.

A vitamina D, é importante para o bom funcionamento do nosso organismo, para a regulação do sistema imunológico, que é nosso sistema principal de defesa contra infecções e vírus, e faz parte do processo de tratamento e prevenção, inclusive, de doenças autoimunes, como artrite reumatoide e a esclerose múltipla. E o que acontece quando uma pessoa está com deficiência de Vitamina D no organismo? A Coordenadora Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Lívia Faller, destaca que pode aparecer problemas aumentados de ocorrências de infecções virais. Portanto, pessoas deficientes desse pro-hormônio essencial, são mais suscetíveis a vírus como, por exemplo, gripes, e covid-19. “A falta de vitamina D também está associada ao aumento de risco de ocorrência de doenças cardiovasculares, diabetes e síndrome metabólica, obesidade e câncer” entre outros relacionados. Suplemento alimentar de vitamina D clique aqui.

Um novo estudo analisa mais de perto a correlação entre deficiência severa de vitaminas e taxas de mortalidade relacionadas ao covid-19. Uma equipe de pesquisadores, liderada pela Northwestern University, analisou dados de clínicas e hospitais da Alemanha, Espanha, China, Itália, Coréia do Sul, Reino Unido, Suíça, Estados Unidos, França e Alemanha. Ao examinarem esses dados, observaram que os países com as maiores taxas de mortalidade por covid-19 - como Reino Unido, Itália e Espanha - também apresentavam baixos níveis de vitamina D quando comparados a outros países que não foram tão afetados. 

Muitos se perguntaram a diferença no número de mortos de país para país, e alguns levantaram a hipótese de que eram as diferenças na idade da população, várias cepas do vírus, taxas de testes ou mesmo diferenças na qualidade da assistência médica. No entanto, o que os pesquisadores descobriram foi uma correlação significativa entre a deficiência de vitamina D e uma maior taxa de mortalidade.

Ao analisar os dados de pacientes de todo o mundo, eles descobriram que havia um vínculo entre os níveis de vitamina D e a tempestade de citocinas, uma condição hiperinflamatória causada quando o sistema imunológico reage exageradamente. É a tempestade de citocinas que pode causar danos aos pulmões, resultando em síndrome do desconforto respiratório agudo e até morte.


Como a deficiência da vitamina D pode alterar a eficácia do nosso sistema imunológico


A razão pela qual os níveis de vitamina D provavelmente desempenham um papel aqui é porque a vitamina D não apenas melhora o sistema imunológico, mas também trabalha para impedir que o sistema imunológico se torne hiperativo. Ter níveis saudáveis ​​de vitamina D pode ajudar a prevenir, e ajudar no tratamento dos pacientes com covid-19 das graves complicações que ocorrem como resultado da tempestade de citocinas.

De fato, de acordo com a análise, os pesquisadores acreditam que isso poderia reduzir a taxa de mortalidade pela metade. Embora não ajude a prevenir a infecção completamente, mas pode ajudar a impedir a morte, reduzindo as complicações por quem contrai o vírus.

Como muita vitamina D pode causar efeitos colaterais negativos, é importante evitar consumir quantidades excessivas dessa vitamina. No entanto, considere conversar com seu médico sobre como testar os níveis de vitamina D e, em seguida, tomar um suplemento, se necessário.

Fontes:
Blog.saude.gov.br/
Naturalhealth365.com/
Estamos preocupados com a censura e exclusão da nossa página no Facebook. Por isso, incentivamos todos que desejam continuar a receber nosso conteúdo valioso , a se inscreverem na nossa lista de e-mail. - Depois de se increver acesse sua caixa de entrada ou de spam para confirmar.
Siga-nos nas redes para atualizaçõe | Instagram | Facebook |Twitter |Telegram