Vimeo censurou documentário expondo o poder das grandes Indústrias Farmacêuticas sobre a Organização Mundial de Saúde

Vimeo censurou documentário expondo o poder das grandes Indústrias Farmacêuticas sobre a Organização Mundial de Saúde

Este ano, o Coletividade Evolutiva publicou notícias extensivamente sobre a pandemia de coronavírus. Nós expusemos muitos fatos sub-relatados, como a " terapia bem-sucedida", e vitamina C usada na China à "atividade suspeita" de Bill Gates em programas de vacinação e monitoramento em massa. Edward Snowden revelando evidências, que agências de inteligência viam relatórios que estavam planejando pandemias, o que significa que o coronavírus foi intencionalmente espalhado como arma biológica, e de consequência, formas de manipular a sociedade para fazê-las ceder suas liberdades ao governo, no qual nunca mais serão devolvidas.

Agora outra atividade "estranha" ocorreu recentemente, o Vimeo, um site de compartilhamento de vídeos, que até então era uma alternativa ao YouTuber, no qual censura vídeos que expões evidências que ameaça interesses corporativos, financeiros, político, elitistas, ou que expõe corrupções de organizações ― o Vimeo parece ter entrado também no processo Orweliano de censura. Excluiu um documentário chamado "trustWHO" tradução literal (Confie na Organização Mundial De Saúde), um filme dirigido por Lilian Franck. 

O documentário simplesmente investiga como a eficiência e a transparência da Organização Mundial da Saúde são prejudicadas pelas influências corporativas e pela falta de financiamento público. É uma investigação jornalística baseada em fatos - e longe do que o Vimeo faz parecer. O Vimeo afirmou que não apoia "Vídeos que retratam ou incentivam a automutilação, alegam falsamente que tragédias em massa são trotes, ou perpetuam alegações falsas, ou enganosas sobre segurança de vacinas".


Recomendados



Segundo os cineastas, a alegação do Vimeo é “enganosa e falsa. "TrustWHO" foi pesquisado exaustivamente por 7 anos; foi verificada e aprovada por advogados, especialistas na área médica e até por executivos-chave da própria OMS. O documentário simplesmente investigou como a eficiência e a transparência da OMS são prejudicadas pelas influências corporativas e pela falta de financiamento público. É uma investigação jornalística baseada em fatos e longe do que o Vimeo faz parecer. Esta é a nossa declaração completa sobre o assunto, apresentada por Robert Cibis (cineasta, co-autor e produtor de "trust WHO").

A Wikileaks expõe a influência que as "grandes indústrias farmacêuticas" têm na Organização Mundial da Saúde


O Wikileaks publicou recentemente sobre a OMS em suas contas de mídia social, e o fez sob a forma de documentos confidenciais divulgados há quase uma década, destacando a influência que as grandes empresas farmacêuticas exercem sobre a OMS. Como o Wikileaks afirma,
A compilação de documentos mostra a influência das “Grandes Indústrias Farmacêuticas” nas decisões da OMS, órgão da ONU que protege a saúde pública. Esses documentos confidenciais foram obtidos pela indústria farmacêutica antes de sua divulgação pública aos estados membros da OMS. O documento também ilustra que o grupo de especialistas da OMS foi altamente sensível ao lobby do setor - um resultado que os grupos de saúde pública temiam desde o início de 2009, quando o grupo de especialistas se reuniu com o setor, mas se recusou a se reunir com grupos de saúde pública conhecidos por serem críticos do setor. . O público provável desses documentos inclui países, formuladores de políticas de saúde pública, sociedade civil, indústria, academia, mídia, pacientes e público em geral. ( fonte )

Se você deseja ler os documentos, pode acessá-los aqui .

O relacionamento entre a OMS e as empresas farmacêuticas não são revelados pela grande mídia, que obviamente também é controlada financeiramente pela gigante farmacêutica, portanto, as pessoas permanecem as cegas quanto o quartel criminoso. Vemos o mesmo tipo de coisa quando se trata de "grandes empresas farmacêuticas" e sua influência nas agências supostamente reguladoras de saúde. Apesar de essas relações e exemplos de corrupção não serem expostos pela grande mídia, eles são e foram destacados por muitos anos.

“A profissão médica está sendo comprada pela indústria farmacêutica, não apenas em termos de prática da medicina, mas também em termos de ensino e pesquisa. As instituições acadêmicas deste país estão se permitindo ser os agentes pagos da indústria farmacêutica. Eu acho vergonhoso. - Arnold Seymour Relman (1923-2014), professor de medicina de Harvard e ex-editor-chefe do The New England Medical Journal ( fonte )

Quando se trata dos Estados Unidos em geral, Robert F. Kennedy Jr, um homem que tem trabalhado muito nessa área por toda a sua vida, explica:

“As empresas farmacêuticas puderam comprar o congresso. Eles são a maior entidade de lobby em Washington DC. Eles têm mais lobistas em Washington DC do que congressistas e senadores juntos. Eles dão duas vezes ao congresso qual é a próxima maior entidade de lobby, que é petróleo e gás ... Imagine o poder que exercem sobre republicanos e democratas. Eles os capturaram (nossas agências reguladoras) e os transformaram em fantoches de meia. Eles comprometeram a imprensa ... e destruíram as publicações que publicam ciência real ”( Fonte )

Robert F. Kennedy Jr, ㅡ O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC dos EUA) tem operado como o padrão para os esforços de vacinação do país desde então. No entanto, uma análise detalhada do comportamento da agência - e das declarações dos denunciantes internos - revela que, para todos os efeitos, o CDC funciona como uma subsidiária de uma indústria farmacêutica “voraz” em parceria com a Food and Drug Administration (Administração de Alimentos e Medicamentos )dos EUA (FDA). ) e numerosos “partidos externos e interesses desonestos” que todos se beneficiam de seu endosso de uma ortodoxia vacinal altamente lucrativa. O poderoso "evangelho" da vacina tem atraído reguladores, associações de médicos, médicos, jornais científicos, a imprensa popular e outros "em uma espécie de dogma de consenso” Que se tornou“ mais importante do que as crianças [essas instituições deveriam] proteger”.

Abaixo está uma mensagem da Oval Media, produtora da Trust WHO. No vídeo, você pode ver um trecho do documentário. Possui vários cientistas e médicos, e ex-funcionários da Organização Mundial da Saúde. Se você estiver interessado em assistir à versão completa, pode assistir  aqui enquanto ele não for Removido.
Estamos preocupados com a censura e exclusão da nossa página no Facebook. Por isso, incentivamos todos que desejam continuar a receber nosso conteúdo valioso , a se inscreverem na nossa lista de e-mail. - Depois de se increver acesse sua caixa de entrada ou de spam para confirmar.
Siga-nos nas redes para atualizações - (Instagram) (Facebook) (Twitter)

Meu Trabalho Online - Guia passo a passo de como ganhar dinheiro trabalhando em casa através da internet, usando seu Celular ou Notebook!- Quer Saber Como? Clique Aqui!