Notícias Recentes

Azeite extra virgem pode proteger contra várias demências

Azeite extra virgem pode proteger contra várias demências

O alto nível de antioxidantes, e o fato de ser uma gordura “saudável”, fazem do azeite de oliva extra virgem um alimento completo no quesito prevenção de inúmeros males. Vários estudos sugerem que o azeite extra-virgem também traz benefícios cognitivos e neuroprotetores. O consumo contínuo de azeite virgem promove a estabilidade do HDL e melhora as lipoproteínas plasmáticas. O azeite também é rico em polifenois, responsáveis pelo seu sabor característico, e que possuem ação antioxidante, ajudam na prevenção de doenças cardiovasculares, protegem contra alguns tipos de câncer, e tem papel importante na produção de compostos que mediam a inflamação no organismo. Além disso, o teor de antioxidantes determina a estabilidade do azeite, ou seja, sua conservação e sua resistência.

O azeite de oliva é obtido a partir da prensagem de azeitonas maduras, que é tratado exclusivamente por processos físicos: lavagem, moagem, prensa fria e centrifugação. Não são adicionados produtos químicos para agilizar a extração, por isso, o resultado é um produto de boa qualidade, não fermentado e de baixa acidez. Por sofrer prensagem a frio, são necessários 6 kg de matéria-prima para se obter 1 litro de azeite. Um estudo informou que descobriram que o óleo de oliva extra virgem reduziu primeiros sinais neurológicos da doença de Alzheimer em camundongos.

A intervenção extra com azeite de oliva melhorou a autofagia - ou seja, a capacidade das células cerebrais de eliminar resíduos tóxicos - e ajudou a manter a integridade das sinapses dos roedores, que são as conexões entre os neurônios.

O Dr. Domenico Praticò - professor dos Departamentos de Farmacologia e Microbiologia e do Centro de Medicina Translacional da Escola de Medicina Lewis Katz da Temple University, na Filadélfia, PA - liderou essa pesquisa, que foi publicados suas descobertas em Aging Cell.

Recentemente, ele liderou uma nova equipe em um estudo dos benefícios neurológicos do azeite extra-virgem. Como parte deste estudo, os pesquisadores analisaram o efeito do óleo nas "tauopatias". Estas são condições cognitivas relacionadas à idade em que a proteína tau se acumula a níveis tóxicos no cérebro, desencadeando várias formas de demência .

Estudo da proteína tau em camundongos


Os pesquisadores usaram um modelo de rato de tauopatia. Eles modificaram geneticamente os roedores, de modo a tenderem a acumular quantidades excessivas da proteína tau normal. Na doença de Alzheimer e em outras formas de demência, como a demência frontotemporal, a proteína tau se acumula no interior dos neurônios na forma de "emaranhados" tóxicos.

Por outro lado, em um cérebro saudável, níveis normais de tau ajudam a estabilizar os microtúbulos, que são estruturas de suporte para os neurônios. Nas tauopatias, o acúmulo de emaranhados no interior dos neurônios impede que as células nervosas recebam nutrientes e se comuniquem com outros neurônios. Isso acaba levando à morte deles. Neste estudo, os ratos propensos ao acúmulo de tau consumiram uma dieta rica em azeite extra-virgem a partir dos 6 meses de idade. Segundo algumas estimativas, isso equivale a cerca de 30 anos de idade humana. Os ratos de controle também eram propensos a acumulações de tau, mas consumiam uma dieta regular.

Azeite protege contra várias demências


"Azeite virgem extra  faz parte da dieta humana há muito tempo e traz muitos benefícios para a saúde, por razões que ainda não entendemos completamente", explica o Dr. Praticò.

"A percepção de que o azeite extra-virgem pode proteger o cérebro contra diferentes formas de demência nos dá a oportunidade de aprender mais sobre os mecanismos pelos quais atua para apoiar a saúde do cérebro", diz ele, destacando algumas direções para futuras pesquisas.

"Estamos particularmente interessados ​​em saber se o azeite extra-virgem  pode reverter os danos da tau e, finalmente, tratar a tauopatia em camundongos mais velhos", conclui o Dr. Praticò.

Outros benefícios do azeite de oliva extra virgem



Azeite de oliva emagrece


O azeite de oliva emagrece e pode ser consumido em dietas para perda de peso. Esse efeito ocorre devido ao seu poder de aumentar a sensação de saciedade, já que demora mais tempo para ser digerido. Além disso, a ação anti-inflamatória do azeite pode auxiliar no tratamento da obesidade, uma doença pró-inflamatória. Para esses efeitos, o azeite deve estar associado com a prática de exercícios físicos e dieta equilibrada, pois apesar de ser uma gordura boa, se consumido em excesso o azeite engorda.

Qual o melhor azeite de oliva?


Os azeites de oliva extravirgem são considerados os melhores para consumo devido à baixa acidez. No momento da compra, deve-se preferir aqueles com embalagem de vidro e escuros, pois a incidência de luz pode oxidar o óleo. Em casa, também devem ser armazenados em local escuro, longe do calor.

Azeite de oliva para o cabelo


O azeite de oliva no cabelo também oferece muitos benefícios, pois atua como hidratante, aumentando a umectação natural dos fios. Por ser fonte de vitamina E, retarda o envelhecimento e ressecamento do cabelo.

Como consumir azeite?


O azeite de oliva pode ser utilizado apenas na finalização dos pratos ou refogados simples, que não ficam muito tempo expostos ao calor, já que altas temperaturas alteram as características e benefícios do azeite. Apenas uma ou duas colheres de sopa ao dia já oferecem todos os seus benefícios.

Receba as notícias do Coletividade Evolutiva em primeira mão. Siga-nos nas redes sociais! Facebook - Twitter - Instagram - Receber por e-mail - Ajudar o Site



Fabio Allves

Fundador:Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Ao longo da vida busquei explorar os mistérios e os conhecimentos ocultos que cercam o planeta e as origens da humanidade, questionando as raízes do que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao despertar a sociedade (Saber Mais)