Notícias Recentes

Médica corajosa soa o alarme da epidemia de efeitos colaterais da vacina HPV

Médica corajosa soa o alarme da epidemia de efeitos colaterais da vacina HPV

Como temos incansavelmente alertado aqui sobre os perigos das vacinas, mas nesse caso em especial a vacina HPV, agora parece está vindo a tona, graças à médicos não corruptos, e que realmente presam a ética. 
Além disso a inimiga da sociedade, a grande mídia está totalmente em silencio com os fatos que estão acontecendo no Acre, igualmente a Anvisa, entre outros que trabalham para o favorecimento do estabelecimento da indústria de vacinas e farmacêuticas. 

Essa vacina é altamente problemática contra o papilomavírus humano (HPV) , Gardasil, que é administrada a jovens garotas ostensivamente para supostamente defender-se contra o início precoce da única forma de câncer contagioso. De fato a vacina HPV é responsável por causar uma série de efeitos colaterais graves, no Brasil e no mundo.

Segundo a Folha do Acre, Dra. Maria Emilia Gadelha Serra, médica formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1988, Presidente da Sociedade Brasileira de Ozonioterapia Médica (SOBOM) e Pós-Graduanda em Perícias Médicas e Medicina Legal, foi até o Acre a pedido do deputado Jenilson Leite (PSB), que também é médico. Pais e mães de adolescentes que apresentaram diversos efeitos colaterais e sequelas, e mortes causadas pela vacina HPV procuram os deputados para pedirem ajuda ao verem suas filhas com vários problemas de saúde após a vacinação. Os deputados se propuseram a convocar uma reunião com a especialista para buscar a resposta e um tratamento imediato para as garotas acreanas. Recomendado: Uma menina de 12 anos fica paralisada apos ser vacinada com Gardasil.

Durante reunião com Comissão da Saúde na ALEAC, a médica Emília Gadelha denunciou os médicos que vieram representando o Ministério da Saúde para cuidar de casos de reações adversas em adolescentes vitimas da vacina HPV no Acre, por conflitos de interesses com a indústria da vacina. “Abafaram os casos graves” disse a especialista.

A médica apresentou um slide aos participantes da reunião mostrando que a vacina contra a HPV pode causar, sim, várias reações adversas nas adolescentes. Ela chegou a dizer que na China o uso da vacina foi proibido por decisão do governo. Segundo a médica, qualquer medicamento pode, sim, causar efeitos colaterais. Emília conta que o Brasil registrou 93 mil casos suspeitos de sequelas causadas pela vacina HPV.

“Qualquer medicamento pode causar efeitos colaterais. O Brasil registrou 95,7 mil casos de suspeitas de efeitos colaterais à vacina contra HPV, segundo dados da Organização Mundial de Saúde. Desse número praticamente a metade, 41 mil, apresentou desordem neurológica”, diz a médica.

Maria Emília explica que os danos mais comuns entre as adolescentes são convulsões, tremores, paralisia facial, esclerose múltipla, desordem de movimentos, dentre outros.

“A maioria dos casos ocorre convulsões, tremores, paralisia facial, esclerose múltipla, hipertensão, desordem de movimentos. A lista é enorme. Tem também a síndrome funcional complexa que foi uma situação que começou a ocorrer depois da comercialização da vacina. resultado de toda essa pequisa é mostrar que existe, sim, o eventos adversos após a vacinação”, diz.

Segundo as informações, Maria Emília afirmou que a Universidade de São Paulo (USP) foi omissa no tratamento de 12 adolescentes que foram encaminhadas pelo governo do Acre para diagnóstico.
“Querem mostrar que as crises não são epiléticas de verdade, digamos assim, faltaram exames para comprovar essa tese, ou seja, estão fechando possibilidades de diagnósticos o que de certa forma é uma omissão. É preciso abrir o leque e não ficar somente em um único exame que foi o vídeo eletroencefalograma que obviamente só pegam as crises convulsivas corticais e nós estamos falando de crises que são abalos musculares de outras origens dentro do cérebro” relatou Emília.

Segundo os exames feitos por médicos da USP não foram disponibilizados para as famílias das adolescentes destruídas pela vacina, que tinha sido encaminhadas para a universidade. As famílias assinaram um termo de compromisso onde ficaram proibidas até de se comunicar umas com as outras.

Tudo foi demonstrado através de uma exposição de 30 minutos feita pela especialista que apontou também, contaminação por chumbo e gadolínio. O estudo comprova danos ambientais em duas pacientes acreanas examinadas pela médica e centenas de pacientes de outras regiões no sul do Brasil. A pedido da família, os nomes das pacientes examinadas pela doutora Emília não foram divulgados durante a apresentação da tese.


A fraude do HPV, incluem muitos outros efeitos adversos como coágulos sanguíneos no coração e pulmões, choque anafilático, perda de uso muscular e convulsões entre outros como bem disse a Dra. Além do mais, a maioria das infecções do HPV que são digamos assim "raras" são benignas e limpadas rapidamente pelo sistema imunológico humano e nunca progridem para um câncer cervical, nem mesmo lesões pré-cancerosas da vagina, da vulva ou do ânus. Nenhum motivo válido para administrar a vacina contra o HPV já foi estabelecido realmente além de muita propaganda enganosa de medo, para assim, dar a resposta a população com mais vacinas.

Como eu disse no meu artigo já publicado aqui: Questionando os chamados níveis “normais” de substâncias mortais como formaldeído, mercúrio e glifosato – Revelando o seguinte:

Cientistas não independentes, Médicos e a mídia convencional, as agências “reguladoras”, são agora estritamente instruídos a NUNCA culpar vacinas por quaisquer complicações de saúde que as crianças enfrentam, mesmo quando eles mesmo sabem dos perigos e efeitos. Se um desses falar a verdade sobre formaldeído e mercúrio em muitas das vacinas de hoje , eles perdem sua licença médica, já a mídia convencional, perderia muito dinheiro se falar a verdade, pois todos estes citados acima, são financiadas por essas corporações para falarem bem dos seus produtos, e muitas vezes formando notícias falsas contra algum denunciante.Recomendado:adolescentes sofrem paralisia, coágulos de sangue, dano cerebral e dor crônica da vacinação forçada do HPV de Gardasil "tiro no escuro"

Receba as notícias do Coletividade Evolutiva em primeira mão. Siga-nos nas redes sociais! Facebook - Twitter - Instagram - Receber por e-mail



Fabio Allves

Fundador:Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Ao longo da vida busquei explorar os mistérios e os conhecimentos ocultos que cercam o planeta e as origens da humanidade, questionando as raízes do que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao despertar a sociedade (Saber Mais)