Empresa de tráfico de bebês, admite manter os bebês VIVOS para colher corações e cabeças inteiras

Segundo dados da ONG Crianças Desaparecidas , mais 50 mil crianças desaparecem por ano no Brasil, e isso apenas o que foram registrados. Sejamos sinceros, existe o trafico humano, e poucas pessoas falam ou pensam sobre isso. Pessoas não desapar…

 Empresa de tráfico bebês, admite manter os bebês VIVOS para colher corações e cabeças inteiras

Segundo dados da ONG Crianças Desaparecidas, mais 50 mil crianças desaparecem por ano no Brasil, e isso apenas o que foram registrados. Sejamos sinceros, existe o trafico humano, e poucas pessoas falam ou pensam sobre isso. Pessoas não desaparecem do nada, elas são sequestradas para trafico sexual, de órgãos, para rituais satânicos, ou simplesmente são levadas para serem abusadas e por fim assassinadas. Mas para deixar bem claro, a maioria são sequestradas e levadas para o exterior, para tráfico humano, sexual, e de órgãos.

E para que todos tenha consciência dessas barbaridades, conheçam a StemExpress uma empresa que já foi denunciada pelo seu envolvimento no tráfico de partes do corpo de bebês abortadas junto com a Planned Parenthood, dos EUA, que apoiam o aborto, ou melhor que apoiam o assassinato de bebês.

Segundo relatos , o CEO da empresa admitiu, durante uma audiência recente, que o StemExpress lucra com a venda de corações e cabeças fetais colhidos de bebês humanos vivos - o que significa que os bebês são obtidos pela indústria de biotecnologia enquanto ainda estão vivos e são assassinados. A demanda para fornecer carne “fresca” para “pesquisa médica”.

Durante a audiência, Peter Breen, da Thomas More Society, fez uma pergunta que certamente estava na cabeça de todos: onde exatamente o StemExpress está recebendo essas crianças humanas totalmente intactas? E é uma pergunta que exige uma resposta.

“Se você tem um feto com uma cabeça e um corpo intactos, e extremidades intactas, isso é algo que indica que a criança nasceu viva e depois teve seus órgãos cortados ou que a uma criança que foi vítima de um aborto ilegal por nascimento parcial ”, disse Breen ao LifeSiteNews ."Ambos são atos horríveis e violentos", acrescentou.

O CEO da StemExpress riu sobre a extração de partes do corpo de bebês abortados "frescas"


Essa audiência foi na verdade centrada em torno de David Daleiden e Sandra Merritt, do Center for Medical Progress (CMP), o grupo que abriu a tampa do esquema ilegal de tráfico de partes do corpo de bebês da Planned Parenthood. Daleiden e Merritt estão enfrentando 15 acusações criminais de gravação ilegal de informações confidenciais de imagens secretas que eles capturaram de executivos da Planned Parenthood que admitem as atividades ilegais.

Parte dessa investigação secreta também envolveu a gravação secreta do CEO da StemExpress, identificado como "Doe 12", admitindo o conluio da empresa com a Planned Parenthood na obtenção e venda de partes do corpo do bebê abortadas por lucro - filmagens que levaram o StemExpress a cortar completamente os laços com a Planned Parenthood após a divulgação pública.

A equipe jurídica da CMP afirma que é totalmente legal gravar conversas privadas como essa quando o objetivo é investigar crimes violentos como o aborto. Nesse caso, esses crimes violentos acontecem depois que os bebês nascem vivos, o que equivale a infanticídio.

O "Doe 12 foi vista nas imagens rindo sobre a extração de partes “frescas” do corpo de bebês vivos e brincando sobre o fato de que “os olhos estão fechados” nesses bebês antes de serem enviados para os laboratórios de tecnologia .

Durante seu recente testemunho, no entanto, o "Doe 12 não foi tão honesto.


"Uma coisa que observamos ao longo desses procedimentos é que essas testemunhas foram muito mais sinceras quando falaram com David e Susan no vídeo secreto do que no estande", acrescentou Breen em comunicado ao LifeSiteNews .

"No entanto, conseguimos estabelecer certos fatos importantes por meio de seus testemunhos e, quando eles se desviam do vídeo, conseguimos usá-lo para mostrar que eles não estão dizendo a verdade no estande".

Breen declarou ainda perante o tribunal que o StemExpress está vinculado a estudos realizados na Universidade de Stanford que envolveram a utilização de uma técnica conhecida como perfusão de Langendorff, que "requer um coração palpitante".

Em outras palavras, o StemExpress parece ter obtido bebês vivos que, presumivelmente, foram assassinados para extrair seus órgãos vivos. A empresa supostamente vendeu esses órgãos vivos para universidades, laboratórios de pesquisa e quem sabe quais outras entidades, por um lucro considerável.
Publicidade

Notícia Em: / /


Fabio Allves

Fundador: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais