Tomar Azeite de oliva uma vez por semana reduz risco de coágulos sanguíneos

Tomar Azeite de oliva uma vez por semana reduz risco de coágulos sanguíneos

Em um novo estudo, pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Nova York descobriram que o consumo de azeite reduz a atividade plaquetária em adultos obesos. O que significa que ao consumir azeite uma vez por semana reduz o risco de formação de coágulos sanguíneos arteriais em adultos obesos. 

As plaquetas são pequenos fragmentos de células sanguíneas que formam aglomerados quando ativadas. Quando um vaso sanguíneo é danificado, as plaquetas correm para o local da lesão para formar coágulos e parar o sangramento . No entanto, por mais benéficos que sejam, essas plaquetas também contribuem para o acúmulo de placas nas artérias, o que leva a uma condição chamada aterosclerose. 

De acordo com Sean Heffron, principal autor do estudo, a aterosclerose é a causa subjacente da maioria dos ataques cardíacos e derrames. 

A ingestão regular de azeite de oliva impede a agregação excessiva de plaquetas 

Usando pesquisas de frequência alimentar, os pesquisadores determinaram com que frequência 63 participantes obesos, não fumantes e não diabéticos, com um IMC médio de 44,1, consumiam azeite de oliva. Eles descobriram que aqueles que consumiam azeite uma vez por semana tinham menor ativação plaquetária do que aqueles que comiam menos azeite. Além disso, os participantes que comiam mais azeite tinham a menor quantidade de agregação plaquetária. 

Os pesquisadores acreditam que, além dos antioxidantes encontrados no azeite de oliva , seu efeito anti-plaquetário está ligado à sua estrutura molecular. 

“As pessoas que são obesas correm maior risco de ter um ataque cardíaco, derrame ou outro evento cardiovascular, mesmo que não tenham diabetes ou outras condições associadas à obesidade. Nosso estudo sugere que a escolha de comer azeite de oliva pode ter o potencial de ajudar minimizar esse risco, potencialmente diminuindo a ameaça de uma pessoa obesa de ter um ataque cardíaco ou derrame ”, disse Heffron. 

Co-autor Ruina Zhang explicou ainda: "Para o nosso conhecimento, este é o primeiro estudo para avaliar os efeitos da composição da dieta, especificamente, o azeite, na função plaquetária em pacientes obesos." 

Os pesquisadores apresentaram suas descobertas preliminares na Sessão Científica Epidemiologia e Prevenção / Estilo de Vida e Saúde Cardiometabólica da American Heart Association em Houston. 

Alimentos tipicamente consumidos na dieta mediterrânea 


O azeite é um componente chave da Dieta Mediterrânea, que promove a saúde do coração. Inspirada na alimentação típica de regiões como o sul da Itália, o sul da Espanha e a Grécia. Nesses locais, mesmo consumindo alimentos ricos em gordura, as pessoas apresentam menores índices de doenças cardiovasculares.

Esta dieta é baseada nos alimentos tradicionais que as pessoas da Itália e da Grécia, Espanha comeram durante a década de 1960. A Dieta Mediterrânea envolve uma alta ingestão de alimentos saudáveis ​​à base de plantas e um consumo mínimo de alimentos de origem animal. 

O segredo para uma boa saúde do coração está no fato de que as gorduras da dieta mediterrânea são essencialmente benéficas para o nosso organismo – e um dos principais alimentos desse cardápio é o azeite de oliva, muito utilizado em diversas preparações.

Azeite 

  • Tamanho da dose : 1 colher de sopa 
  • Calorias por porção : 120 
  • Nutrientes por porção : 13 gramas (g) de gordura, dos quais 2 g são saturados 
  • Benefícios / s : O azeite de oliva pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares 


Fabio Allves

Fundador: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Ao longo da vida busquei explorar os mistérios e os conhecimentos ocultos que cercam o planeta e as origens da humanidade, questionando as raízes do que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao despertar a sociedade (Saber Mais)