Substância Levedura nas vacinas, ligada a doenças autoimune

Não é apenas o timerosal, mercúrio , alumino, que torna as vacinas venenosas: Levedura e outros compostos causam sérios problemas de saúde, também

Não é apenas o timerosal, mercúrio, e alumínio, que torna as vacinas perigosas: Levedura e outros compostos causam sérios problemas de saúde, também


O mercúrio, agora conhecido sobre o nome, timerosal é um dos ingredientes mais usados nas vacinas de supostamente “imunizar”, mas não é a única substância venenosa que os consumidores precisam se preocupar. As vacinas contêm uma mistura de compostos potencialmente prejudiciais; adjuvantes, conservantes células de rim de macaco verde, células de abortos humanos “geneticamente modificados” e outros produtos químicos tóxicos que são rotineiramente adicionados aos coquetéis de inoculação, embora pouco se saiba sobre os efeitos a longo prazo da exposição a esses coquetéis de químicos no corpo humano. 

Um crescente corpo de pesquisas indica que ingredientes inusitados e aparentemente inócuos, como a levedura, podem desencadear todos os tipos de problemas de saúde—incluindo doenças autoimunes, no qual é a falha em uma divisão funcional do sistema imunológico chamada de autotolerância, que resulta em respostas imunes contra as células e tecidos do próprio organismo. 

Leveduras - são organismos unicelulares microscópicos, classificados no reino dos fungos - promovem a fermentação, tais como em bebidas alcoólicas e na panificação 

Apesar da indústria “afirmar” que o timerosal foi “eliminado” de algumas vacinas devido a grandes denúncias e danos, muitos ingredientes nocivos ainda estão presentes nas vacinas. O potencial para o dano é real—e é hora das massas acordarem para a verdade sobre os ingredientes perigosos para a saúde que espreitam em suas vacinas. 

A levedura usada nas vacinas estar ligada à doença autoimune 


Como os relatórios de Defesa da Saúde Infantil relata, uma levedura comum usada em vacinas estar ligada à doença autoimune. Sacccharomyces cerevisiae, também conhecida como levedura de padeiro ou levedura de cerveja (Fermentação), é adicionada a muitas vacinas de imunizações como um adjuvante. Isso significa que, como ingrediente de vacina, a levedura é adicionada para irritar o sistema imunológico no qual acaba se voltando contra se mesmo. 

Como você pode imaginar, a agitação proposital do sistema imunológico nem sempre termina bem. Como defesa da saúde infantil explica ainda: 

A parte específica de S. cerevisiae que e preocupante é a manana, que é encontrada nas paredes celulares de leveduras e também em glicoproteínas de mamíferos. Essas glicoproteínas são encontradas nas paredes celulares, nos tecidos conjuntivos, como colágeno, secreções mucosas gastrointestinais e plasma sanguíneo. Eles executam muitas funções. Obviamente, se o sistema imunológico ataca o manano, pode ser devastador. 

Como explica o Defesa da Saúde da Criança, essas doenças acontecem quando o próprio sistema de defesa do corpo se volta, resultando em condições de vida como artrite reumatoide, doença de Crohn, doença inflamatória intestinal, lúpus eritematoso sistêmico, síndrome antifosfolipídica, esclerose múltipla, diabetes mellitus tipo 1 e até doença do coração. 

A levedura é usada na vacina contra hepatite B, que é administrada na maioria dos bebês recém-nascidos, antes mesmo de terem um dia inteiro de idade. Não é de admirar que pesquisas recentes tenham vinculado a vacinação à autoimunidade. 

Como um relato de caso publicado em 2014 explica, enquanto alergias “clássicas” a vacinas contendo leveduras parecem ser bastante raras, pesquisas mais recentes indicaram que a levedura em vacinas pode estar causando o aumento súbito na doença autoimune. Em seu relatório, a equipe de cientistas descreve um paciente do sexo masculino adulto que de repente desenvolveu autoimunidade após ser inoculado com a vacina contra hepatite B. 

Outros ingredientes nocivos em vacinas para tomar cuidado 


O alumínio é um dos adjuvantes de vacinas mais preocupantes, e ainda é amplamente utilizado. O alumínio são adicionadas nas vacinas, para supostamente, fazer as vacinas funcionarem melhor, mas na real é um metal neurotóxico que pode se acumular no cérebro e no corpo, levando ao autismo e outros problemas neurológicos.

Múltiplos estudos descobriram que o alumínio pode causar deficit na função cerebral e alterações no comportamento em animais que espelham a doença de Alzheimer ou a demência. Alguns pesquisadores até suspeitam que os efeitos nocivos do alumínio são pelo menos em parte devido à maneira como ele interage com o sistema imunológico. 

Além do alumínio, existem vários ingredientes estranhos nas vacinas que você não vai acreditar possa ter lugar no corpo humano. Esses incluem: 

  • Glifosato - O famoso veneno da Monsanto 
  • Antibióticos - podem ser encontrados em vacinas em quantidades de vestígios 
  • Metais como chumbo, cádmio e níquel - chumbo, cádmio e níquel também foram encontrados em vacinas 
  • Corante alimenta - Para mudar a cor da vacina 
  • Glutamato monossódico (MSG) - um aditivo alimentar tóxico 
  • Látex - um alérgeno conhecido 
  • Sulfato de amônio - um fertilizante químico 
  • Óleo de amendoim - um alérgeno conhecido 
  • Adoçantes artificiais - aditivos alimentares mais tóxicos 
  • Mycoplasma - organismos microscópicos que podem causar pneumonia 
  • Células renais de macaco - potencialmente tóxicas para os seres humanos 

Muitos desses ingredientes são usados ​​para cultivar (ou “desenvolver”) vacinas, ou adicionados posteriormente no processo como adjuvantes. De qualquer maneira, esses compostos prejudiciais não têm nenhum propósito como “remédio”. 


Fabio Allves

Fundador: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Ao longo da vida busquei explorar os mistérios e os conhecimentos ocultos que cercam o planeta e as origens da humanidade, questionando as raízes do que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao despertar a sociedade (Saber Mais)