Publicidade

Novamente: Johnson & Johnson condenada a indenizar mulher, por talco cancerígeno

Em um juri no estado de Nova York ,  decidiu  que a Johnson & Johnson,- uma empresa americana e com atuação em vários países, inclusive no Brasil, fundada em 1886, especializada na produção de farmacêuticos, ut…

Novamente: Johnson & Johnson condenada a indenizar mulher, por talco cancerígeno

Em um juri no estado de Nova York , decidiu que a Johnson & Johnson,- uma empresa americana e com atuação em vários países, inclusive no Brasil, fundada em 1886, especializada na produção de farmacêuticos, utensílios médicos e produtos pessoais de higiene - deve indenizar uma mulher que afirma ter sido prejudicada com produtos talco de bebê em pó da empresa, que anteriormente já avia relatos que foram identificados como sendo contaminados com amianto uma substância causadora de câncer de ovário.

A Johnson & Johnson teria sido condenada a pagar US $ 300 milhões em indenizações para a Donna Olson, como punição, que desenvolveu um raro câncer relacionado ao amianto que ela insiste ter sido causado pelo “pozinho” da Johnson & Johnson. A decisão segue outra semelhante no início do mês, também decidida por um júri do estado de Nova York, que concedeu US $ 25 milhões em danos a Donna Olson, uma mulher de 66 anos que também desenvolveu câncer. 

Enquanto isso, outro caso foi ouvido na Carolina do Sul no mesmo dia em que a Donna Olson foi demitida, mas o júri liberou a empresa de toda a responsabilidade. 

“Com este veredicto, outro júri rejeitou as alegações enganosas da Johnson & Johnson de que seu talco estava livre de amianto”, afirmou Jerome Block, o principal advogado do julgamento no último caso de Nova York. 
“Os documentos internos da Johnson & Johnson que o júri viu, mais uma vez revelaram a chocante verdade de décadas de encobrimento, dissimulação e ocultação da Johnson & Johnson do amianto encontrado em talcos em pó”, ele acrescentou sobre os méritos do caso. 

Esses três casos são apenas a ponta do iceberg, já que a Johnson & Johnson está supostamente enfrentando mais 13 mil casos, todos alegando que os produtos de talco da empresa contêm amianto causador de câncer. A Johnson & Johnson , no entanto, continua a negar essas alegações, insistindo que vários estudos e testes conduzidos por reguladores de todo o mundo confirmam que os produtos de talco da Johnson & Johnson são seguros e livres de amianto, e claro todos comprados para alegar maketing enganoso. 

"Este julgamento sofreu erros legais e probatórios significativos que a Johnson & Johnson acredita que justificarão uma reversão na apelação", disse a Johnson & Johnson à CNBC . "Décadas de testes de especialistas independentes e instituições acadêmicas confirmam repetidamente que o pó de bebê de Johnson não contém amianto ou causa câncer." 
“De todos os veredictos contra a Johnson & Johnson que passaram pelo processo de apelação, todos foram derrubados”, continuou a empresa. 

É lamentável que tenham sido necessários milhares de ações judiciais e incontáveis ​​clientes com câncer para a Johnson & Johnson finalmente reformular seus produtos para bebês e conter menos toxinas


Como parte de um esforço massivo de controle de danos, a Johnson & Johnson no ano passado relançou toda a sua linha de produtos para bebês , que foi duramente atingida pela mídia negativamente implacável. 

Desde 2011, as vendas da marca, caíram em 20% - que somaram US $ 1,9 bilhão no ano passado. No primeiro trimestre de 2018, as vendas nos Estados Unidos caíram 14%. 

Os relatórios indicam que as novas variedades estão sendo comercializadas para “mães milenares” que preferem produtos para bebês que contenham “ingredientes mais naturais”. 

"Eu tento evitar produtos que contêm sulfatos, parabenos, ftalatos e fragrâncias artificiais", diz Meg Conrad, mãe de uma filha de três anos que disse à CNBC que sempre verifica as etiquetas dos produtos para garantir que seus produtos sejam livres desses aditivos - e é por isso que ela não compra produtos para bebês da Johnson & Johnson, pelo menos em sua forma atual. 
"Tudo o que você coloca em sua pele é absorvido em sua corrente sanguínea, então eu quero proteger minha filha de quaisquer substâncias químicas nocivas e toxinas que possam estar em produtos". 

Em 2015, a Johnson & Johnson removeu todos os parabenos e ftalatos de sua linha de produtos para bebês. No entanto, os críticos disseram que a empresa ainda tem um longo caminho pela frente, e é por isso que anunciou que planeja remover os corantes sintéticos e sulfatos de seus produtos. 
Publicidade


Notícia Em: / / /

Fabio Allves

Fundador: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais