Notícias Recentes

Abelhas em extinção : E de efeito cascata a cultura alimentar e a humanidade

Abelhas em extinção : E de efeito cascata a cultura alimentar e a humanidade

A próxima vez que você se sentar para uma refeição deliciosa, considere o fato de que as abelhas são responsáveis ​​por cada terceira mordida que você come. As abelhas cuidam de cerca de 80% de toda a polinização, com apenas uma colônia de abelhas polinizando mais de 300 milhões de flores em um único dia. De fato, 70% das culturas alimentares mais importantes do mundo dependem totalmente da polinização por abelhas. 

Umas séries de estudos tem detalhado a extrema importância dos serviços que as abelhas prestam ao ecossistema, incluindo sua capacidade de aumentar em cerca de 25% o rendimento das colheitas – e, consequentemente, dos alimentos que comemos. 

Se você vê uma fruta deformada, é geralmente porque as abelhas visitaram apenas um lado da flor. A planta investe mais recursos na flor que foi polinizada, e isso significa que a fruta que nasce desta flor terá maior valor nutricional e um sabor melhor, e esse é um dos motivos das frutas OGMS, serem tão ruins. O problema é mais grave em plantas que dependem exclusivamente de abelhas ou de outros polinizadores, como amendoeiras ou pés de maracujá. 

Polinização é o sistema de transação entre planta “macho e fêmea” 


Todas as plantas que têm flor precisam ser polinizadas para produzir sementes e sobreviver. E cerca de dois terços da dieta dos seres humanos vêm de plantas polinizadas. 

É por meio da polinização que os grãos de pólen são transferidos da parte masculina para a feminina da planta, ou de uma planta para outra da mesma espécie, resultando nas sementes que dão origem às frutas e legumes que comemos.

Ou seja, com exceção de alimentos básicos como trigo, arroz ou milho, que na maior parte são polinizados pelo vento, todos os outros alimentos ricos em micronutrientes dependem das abelhas.. 

Em resumo, sem polinização não é a segurança alimentar que corre risco, mas a própria garantia de ingestão de nutrientes levanta a humanidade fraca e desnutrida, e conseguem temente vulnerareis a doenças, levando assim a morte. 

Efeito cascata da falta de polinização das abelhas 


A polinização é crucial não só para os alimentos que comemos diretamente. É também vital para a reprodução de plantas usadas para alimentar o gado e outros animais, e para manter a diversidade genética das plantas com flores. 

É fundamental ainda para plantas utilizadas na produção de biocombustíveis (como canola e azeite de dendê) e de fibras (como algodão), e para plantas medicinais e ecossistemas como bosques, essenciais à preservação dos recursos hídricos. 

"A falta de abelhas provocaria um efeito em cascata: se não temos sementes, não temos pasto, flores, frutas, nem animais que se alimentam de frutas. As abelhas e os demais polinizadores desempenham um papel fundamental na regulação dos ecossistemas", explica Carolina Starr, consultora de biodiversidade e serviços aos ecossistemas da FAO (braço da ONU para alimentação e agricultura). 

O que está causando a morte das abelhas e outras espécies polinizadoras 


Empresas do grande Agri como Monsanto/Bayer, DuPont e Syngenta são as principais assassinas das abelhas e outras espécies em extinção no mundo todo. Estes são os maiores destruidores do ecossistema, não só das abelhas e outras espécies, mas também da vida humana, - por conta da venda e uso de pesticidas neonicotinóides que produzem, como foi confirmado por um estudo publicado na revista Science

Pesquisadores da York University e da Université Laval, no Canadá, investigaram os efeitos desses pesticidas nocivos nas populações de abelhas estudando colônias naturalmente expostas a neonicotinóides durante sua estação ativa. 

Sua conclusão? 

“Experiências realistas mostraram que os neonicotinóides aumentaram a mortalidade das abelhas trabalhadora e foram associados com declínios na imunidade social e aumento da falta de rainha ao longo do tempo. Também descobrimos que a toxicidade aguda dos neonicotinóides para as abelhas duplica na presença de um fungicida comumente encontrado. Nosso trabalho demonstra que a exposição realista em campo aos neonicotinóides pode reduzir a saúde das abelhas em regiões de cultivo de milho”. 

Então, quais são exatamente esses produtos químicos nocivos ? Os neonicotinóides - ou neônicos, como são comumente conhecidos - são os pesticidas mais amplamente usados ​​na agricultura convencional. Eles afastam os insetos, afetando seu sistema nervoso central, causando paralisia e morte. Os Neonicos são pulverizados em sementes ou diretamente nas plantações, onde são levados diretamente para as flores, folhas, raízes, caules, pólen e néctar das plantas. Isso representa um perigo óbvio para os polinizadores, como as abelhas e as borboletas. 

O Centro de Segurança Alimentar relata que existe uma correlação direta entre o uso do neonético e o declínio nas populações de abelhas. Na verdade, os estados com o uso mais difundido de neônicos, incluindo Illinois, Indiana, Iowa, Kansas e Missouri, também experimentaram os declínios mais dramáticos nas populações de abelhas

As abelhas expostas ao neonato exibiram problemas de aprendizado, problemas de fertilidade, problemas com memória, dificuldade para forragear e atividade motora prejudicada 

Parece razoável esperar que o Ministério do Meio Ambiente, encarregada de preservar o meio ambiente de nosso país, esteja tomando medidas ativas para evitar a crise alimentar iminente que certamente ocorrerá se medidas urgentes não forem tomadas para salvar as abelhas. Embora o Ministério do Meio Ambiente sabem sobre os efeitos devastadores dos pesticidas á décadas, nada é feito, eles não apenas não fizeram e não fazem nada para evitar o desastre, mas tomaram medidas para silenciar os cientistas que tentavam soar o alarme sobre o assunto, como aconteceu com o ex-cientista da Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos EUA, Evaggelos Vallianatos, afirma que a agência reagiu “com fúria” quando um de seus cientistas descobriu esferas plásticas neurotóxicas dentro de uma rainha das abelhas e apontou que o mel estaria, portanto, contaminado. Vallianatos também afirma que os cientistas que se atreveram a falar sobre o ligação de extinção de pesticidas / abelhas foram forçados a sair do laboratório e trabalhar em Washington. 

Receba as notícias do Coletividade Evolutiva em primeira mão. Siga-nos nas redes sociais! Facebook - Twitter - Instagram - Receber por e-mail



Fabio Allves

Fundador:Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Ao longo da vida busquei explorar os mistérios e os conhecimentos ocultos que cercam o planeta e as origens da humanidade, questionando as raízes do que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao despertar a sociedade (Saber Mais)