Publicidade

O carcinógeno Glifosato encontrado em cervejas populares e vinhos “orgânicos”

Não é muito difícil perceber como o glifosato entra nos alimentos produzidos a partir de culturas não orgânicas. As plantações para fazerem bebidas são geneticamente modificadas, e o consequentemente são usadas ag…

O carcinógeno Glifosato encontrado em cervejas populares e vinhos “orgânicos”

Não é muito difícil perceber como o glifosato entra nos alimentos produzidos a partir de culturas não orgânicas. As plantações para fazerem bebidas são geneticamente modificadas, e o consequentemente são usadas agrotóxicos , no qual vem embutida nos ingredientes (resíduos ) para a fabricação de qualquer cerveja, como por exemplo milho, trigo, e cevada, um dos principais ingrediente para fazer qualquer cerveja e os mais comuns pulverizados, então não é de se esperar que qualquer cerveja vendida por ai hoje em dia não venha embutida uma quantidade do veneno causador de câncer. 

O Roundup é rotineiramente pulverizado em campos agrícolas. incluindo vinhedos que produzem uvas para fazerem o vinho, inclusive aqui no Brasil, logo esse que é um dos países que mais usam agrotóxicos no mundo. Além de ser usado para matar ervas daninhas, o glifosato às vezes é usado como um dessecante pré-colheita, ou agente de secagem, e é pulverizado diretamente nas plantas! 

Além disso, a contaminação pode ocorrer a partir da água usada para irrigar os campos. Apesar de raramente ouvirmos sobre a questão da água tóxica sendo usada em nosso suprimento de alimentos. O glifosato entra facilmente em cursos de água escoadas, rios e córregos como tenho mostrado  no meu artigo já publicado aqui. 

Mas, a contaminação orgânica é mais difícil de explicar—como cervejeiros orgânicos e viticultores são proibidos de usar o glifosato. Mas os possíveis culpados podem incluir o excesso de pulverização de fazendas vizinhas, o suprimento de água tóxica e a contaminação por Chemtrails—como também revelo no meu artigo aqui - que podem descer com a chuva, levando assim a contaminação. 

E, porque o resíduo de glifosato pode permanecer no solo e na água durante anos, a contaminação pode ocorrer em campos orgânicos que foram convertidos da agricultura convencional.

Relatório revela a contaminação em cervejas populares


Agora, um novo relatório do Grupo de Pesquisa de Interesse Público da Califórnia (CalPIRG), revela que o resíduo do produto da Monsanto, agora controlado pela Bayer, Roundup (glifosato) o principal ingrediente do Roundup, também foi encontrado em uma variedade de vinhos e cervejas comuns vendidos nos Estados Unidos – incluindo aqueles certificados como orgânicos. Como você provavelmente sabe, estudos científicos já ligaram o glifosato a uma série de doenças, incluindo doenças do fígado, danos reprodutivos e câncer. Na verdade, o produto químico é atualmente o tema de milhares de processos estaduais e federais que o ligam ao câncer de linfoma não-Hodgkin. 

Glifosato encontrado em cerveja e vinho orgânicos, revela pesquisa 


Para realizar o teste, os pesquisadores avaliaram 20 amostras de vinhos e cervejas nacionais e importados, todos vendidos nos Estados Unidos. As marcas de vinho incluídas incluíam variedades cultivadas convencionalmente, como Barefoot, Beringer e Sutter Home. E, sim, dois vinhos organicamente cultivados, Frey e Inkarri Estates, foram incluídos. 

Em termos de cerveja, os pesquisadores analisaram Coors, Corona, Heineken, Sam Adams, Stella Artois e Tsingtao. Um par de cervejas orgânicas, Peak e Samuel Smith, também foram testadas. De forma perturbadora, todas as amostras das bebidas continham glifosato - embora em níveis variados. 

Sutter Home Merlot foi o "alto ringer" para o glifosato encontrado, com 51 partes por bilhão. Não muito atrás estava Beringer Cabernet Sauvignon, com 42,6 ppb. 

Entre as cervejas, Tsingtao - com 49,7 ppb - estava mais contaminada. Budweiser, Coors, Corona e Miller tinham menos glifosato, mas muitas marcas ainda tinham uma média de 20 ppb. 

E, enquanto as bebidas orgânicas tinham os níveis mais baixos de glifosato, elas não eram desprovidas do produto químico - como seria de se esperar. 

Inkarri Malbec: Certified Organic tinha 5,2 ppb, Frey Organic Natural Wine continha 4,8 ppb e Samuel Smith Organic Lager tinha 3,5 ppb. Apenas uma amostra - Cerveja Orgânica de Pico - não continha quantidades detectáveis ​​de glifosato . 

Embora essas leituras estejam todas abaixo da tolerância da EPA ao glifosato em bebidas, os autores do CalPIRG apontam que mesmo quantidades infinitesimais de glifosato podem ser perigosas . Em um estudo, apenas uma parte por trilhão de glifosato foi capaz de estimular o crescimento de células de câncer de mama e interromper o sistema endócrino. 

Além disso, a ingestão de quantidades tão pequenas como 0,1 ppb pode destruir as bactérias benéficas do intestino, interrompendo assim o equilíbrio do importantíssimo microbioma intestinal. 

O Glifosato é altamente cârcinógeno  


O Roundup - o produto químico agrícola mais comumente usado no mundo - é atualmente muito pulverizado em plantações de alimentos em quase todo o mundo, incluindo trigo, soja e milho. Embora o glifosato tenha sido classificado originalmente como uma "alternativa saudável" pelas agências corruptas, mas os fatos tem provado totalmente o contrário sobre os perigos do glifosato, Atualmente, muitos defensores e especialistas em saúde natural tem pedido a proibição desse matador silencioso. 

Em 2015, a Organização Mundial da Saúde classificou o glifosato como provável carcinógeno - e declarou que o produto químico poderia representar “riscos significativos” para a saúde humana. Em 2017, o estado da Califórnia concordou, listando oficialmente o pesticida como um provável carcinógeno também. 

E algumas comunidades da Califórnia proibiram completamente o uso de pesticidas à base de glifosato na propriedade da cidade. Sem dúvida, a crescente reação contra o glifosato parece se refletir nos tribunais. 

Fonte:
Publicidade


Notícia Em: / /

Fabio Allves

Fundador: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais