Mais de um em cada 4 crianças vacinadas contra sarampo, desenvolvem sarampo: Revela estudo

Mais de um em cada 4 crianças vacinadas contra sarampo, desenvolvem o sarampo

Você sabia que a maioria dos surtos de sarampo ocorrem onde 99% da população foram vacinados? E não adianta pensar que o surto veio dos não vacinados, pois se 99% se encontra supostamente imunizado contra o sarampo, então não há mais o que temer não é mesmo? Pois bem, sinto em lhe dizer, que na verdade tem algo errado e muito maquiavélico nessa história das vacinas que a indústria das vacinas com a mídia convencional paga para fazer o marketing do medo e que convence as massas que são 100% seguras - dizem para o publico, no qual a maioria acredita piamente que o sistema está querendo o bem dos tais. 

Em tal ação que promove em massa, e dando lhes coquetéis de vacinas, sem falta, no qual existem investidores que na verdade buscam entorpecer o público-alvo de venenos altamente prejudiciais mesmo que sejam como pequenas quantidades de conservantes ou não, vírus, células de macaco verde, e soro de abortos humanos, que cedo ou mais tarde se revelão estranhamente em silêncio nos corpos de todos aqueles que receberam uma inoculação de autodestruição - É verdadeiramente uma redução populacional intencional em pleno acontecimento, no qual muitos não percebem. 

Tão essa verdade, que um novo estudo inovador publicado na revista Vaccine descobriu que, apesar do que as autoridades de saúde, mídia convencional, e órgãos supostamente reguladores afirmam diariamente, as vacinas contra o sarampo não são uma proteção real contra o sarampo, nem contribuem para o mítico conto de fadas de “imunidade de rebanho”. que supostamente deveria proteger todos em uma comunidade contra o sarampo, porque a maioria das pessoas é vacinada (“protegidas”). Recomendado: Confirmado - As vacinas contra sarampo matam mais crianças do que o sarampo

Crianças que recebem vacina contra sarampo ainda desenvolvem sarampo


A China tem uma das populações que mais vacinam no mundo. De fato, a vacina contra o sarampo é obrigatória. Então, por que eles tiveram mais de 700 surtos de sarampo em 2009 e 2012? A resposta óbvia é que as vacinas contra o sarampo simplesmente não são tão eficazes quanto o anunciado, e estão se tornando cada vez menos ao longo do tempo. 

Intitulado “Avaliando o fracasso da vacina contra o sarampo em Tianjin, China”, o estudo analisou crianças chinesas com idades entre oito meses e 19 anos, 97% das quais receberam a primeira e a segunda dose da vacina contra o sarampo. Eles descobriram que, apesar de receber a vacina, muitas dessas crianças ainda desenvolveram sarampo. 

Um chocante 25% ou mais dos casos de sarampo analisados ​​como parte do estudo ocorreram em crianças que "receberam 1 dose (da vacina contra o sarampo) antes de contrair a doença", o que levou os pesquisadores a concluir "que uma vacina é insuficiente". 

Mas mais de uma vacina também foi considerada insuficiente, já que “um número substancial daqueles que contraíram o sarampo receberam pelo menos uma dose da vacina contra o sarampo” (nossa própria ênfase na parte “pelo menos” dessa afirmação). Recomendado: A China comunista censura notícias de escândalos de vacina em todo o pais, assim como a mídia Brasileira censura notícias de riscos de vacinas

“Embora o tempo de diagnóstico após a vacinação aumente com o recebimento de cada dose sucessiva da vacina contra o sarampo, o fato de 8,5% dos casos no conjunto de dados de vigilância e 26% na série de casos terem contraído sarampo apesar de duas ou mais doses da vacina contra o sarampo é surpreendente, O estudo prosseguiu explicando. 

Em outras palavras, mais de uma em cada quatro crianças chinesas que recebem duas ou mais doses da vacina contra o sarampo ainda acabam desenvolvendo o sarampo, de acordo com este estudo. 

Esqueça a ideia de que as doses de “reforço” aumentam a imunidade


O maior resultado deste estudo, além do fato de provar que duas ou mais doses da vacina contra o sarampo ainda têm pelo menos 26% de taxa de falha, é o outro fato de que obter os chamados "reforços" é uma completa perda de tempo. porque não funciona.

Embora o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) afirme que “as doses de vacina MMR são cerca de 97% eficazes na prevenção do sarampo”, este estudo chinês prova definitivamente que se trata de uma mentira descarada.

Também sabemos que é uma mentira baseada no que foi revelado após o infame surto de sarampo da Disneylândia, principalmente que foram as crianças vacinadas que foram responsáveis ​​por desencadear o sarampo, além de espalhar o sarampo para outras crianças por meio de “derramamento” de vacinas.

Mais recentemente, foi mostrado que a vacina MMR da Merck & Co. contra sarampo, caxumba e rubéola também foi a causa de um surto de sarampo em New Hampshire, um inconveniente que levou autoridades a interromperem uma intervenção planejada de saúde pública que presumivelmente Envolvendo os pais a vaciná-los com MMR ou revacinando-os com um reforço MMR.

“Claramente, uma taxa de falha de 26% naqueles que recebem duas ou mais vacinas contendo sarampo não é apenas surpreendente, mas demonstra como o mito atual de que a recepção da vacina contra o sarampo (incluindo múltiplos reforços) equivale à imunidade legítima ( ou qualquer vacina, para esse assunto) não é mais sustentável, conforme julgado pela própria evidência, especialmente dada uma longa história registrada de surtos de sarampo em populações altamente vacinadas ”, 

Notícia Em: / / / /

Fabio Allves

Fundador: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais