Notícias Recentes

Alumínio nas vacinas, na sua cozinha, indo direto para seu cérebro

Alumínio nas vacinas, na sua cozinha, indo direto para seu cérebro

O alumínio é uma substância que também contém na maioria das vacinas, e é classificada como uma neurotoxina altamente perigosa – e essa é verdadeira razão por que as crianças vacinadas estão virando crianças autistas. E isso, a Agência para Substâncias Tóxicas e Registros de Doenças, já tem a classificado oficialmente como uma neurotoxina, que é capazes de lesar o sistema nervoso, podendo ainda agir sobre outras partes do organismo, mesmo que seja em pequenas concentrações como nas vacinas. 

Sendo este o terceiro elemento mais comum na Terra, e entra no seu sistema com bastante facilidade. Você vai encontrá-lo em tudo, desde medicamentos e nas vacinas até mesmo em produtos de beleza, mas é na cozinha que você precisa estar especialmente vigilante. 

Se você acha que o dano potencial é mínimo, considerando que você não consome alumínio, pense novamente: com o tempo, ele se acumula no cérebro, na tireóide, nos rins e no fígado, onde pode causar inflamação, oxidação e danos aos tecidos. Pode afetar o seu humor, sono e cognição, e está mesmo sendo ligado à demência. Exposições prolongadas a baixos níveis de alumínio têm sido associadas ao envelhecimento cerebral e neurodegeneração, e cria emaranhados neurofibrilares não diferentes daqueles vistos nos cérebros das patentes de Alzheimer. 

Os sintomas da exposição ao alumínio incluem dores de cabeça, pele seca, constipações frequentes, problemas gastrointestinais e depressão - problemas frequentemente atribuídos a outras causas. Uma vez que se torne mais grave, no entanto, você pode sofrer de perda de memória, confusão e condições musculares paralíticas. 

Os papeis de alumínio, e panelas de alumínio soltam essa substância neurotóxica 


De fato, um estudo publicado no International Journal of Electrochemical Sciencedes cobriu que usar papel alumínio para cozinhar contribui significativamente para a sua ingestão diária de alumínio, liberando na sua comida em níveis que excedem os permitidos pela Organização Mundial da Saúde. Por exemplo, cozinhar ou assar em papel alumínio aumentou a concentração de alumínio na carne em 89 a 378 por cento, enquanto o intervalo para frango foi de 76 a 215 por cento. Cozinhar a temperaturas mais altas leva a maiores concentrações. 

Eles também descobriram que cozinhar alimentos ácidos como tomates e limões no alumínio causou maiores concentrações de alumínio do que alimentos mais alcalinos. Esta é uma informação útil não apenas quando você está grelhando, mas também se você tem o hábito de revestir a bandeja do forno com papel alumínio. Os pesquisadores disseram que simplesmente "não é adequado para cozinhar", acrescentando que há um "sério risco para a saúde" de ingerir muitos alimentos cozidos em papel alumínio. 

O que você pode fazer sobre a exposição ao alumínio?


Se você acabou de prometer jogar todo o alumínio em sua casa no lixo e trocar por panelas mais seguras, como por exemplo, panelas de barro - esse é um ótimo primeiro passo, mas o que você pode fazer sobre todo o alumínio que vem se acumulando em seu corpo e cérebro até agora?

Vegetais crucíferos como brócolis, repolho e couve-de-bruxelas têm demonstrado desintoxicar seu corpo de alumínio e outras toxinas, assim como os alimentos do tipo alho e cebola . Além disso, coentro, vitamina C e chlorella também podem ajudar a desintoxicar metais pesados. Açafrão, entretanto, pode ajudar a aliviar os efeitos negativos da exposição ao alumínio.

Alumínio pode ser conveniente, mas simplesmente não vale a pena colocar sua saúde em risco. O melhor a fazer, é remover essa esta neurotoxina da sua cozinha, e começar a substituí-la por métodos de cozinha mais saudáveis.

Receba as notícias do Coletividade Evolutiva em primeira mão. Siga-nos nas redes sociais! Facebook - Twitter - Instagram - Receber por e-mail



Fabio Allves

Fundador:Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Ao longo da vida busquei explorar os mistérios e os conhecimentos ocultos que cercam o planeta e as origens da humanidade, questionando as raízes do que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao despertar a sociedade (Saber Mais)