A verdadeira face da comemoração de natal, interesses comerciais, paganismo ou nascimento do Messias?

A verdadeira face da comemoração de natal, interesses comerciais, paganismo ou nascimento do Messias?/

É incrível, mas a escolha da data não tem nada a ver com o nascimento de Jesus. Os romanos aproveitaram uma importante festa pagã realizada por volta do dia 25 de dezembro e "cristianizaram" a data, comemorando o nascimento de Jesus pela primeira vez no ano 354. Aquela festa pagã, chamada de Natalis Solis Invicti ("nascimento do sol invencível"), era uma homenagem ao deus persa Mitra, popular em Roma. As comemorações aconteciam durante o solstício de inverno, o dia mais curto do ano. No hemisfério norte, o solstício não tem data fixa - ele costuma ser próximo de 22 de dezembro, mas pode cair até no dia 25, é o que vamos entender mais a frente

Muitas religiões na história reivindicaram o solstício de inverno como um dia sagrado.


Na astronomia, solstício é o momento em que o Sol, durante seu movimento aparente na esfera celeste, atinge a maior declinação em latitude, medida a partir da linha do equador. Os solstícios ocorrem duas vezes por ano: em junho e dezembro. O dia e hora exatos variam de um ano para outro

 O natal é uma combinação de diferentes tradições. Inclui o culto ao sol e as religiões da natureza pagã que têm venerado o ciclo natural terra por muitos milhares de anos. 

Muitas coisas tradicionais do Natal são anteriores ao cristianismo. Hoje em dia ela é descrita por várias histórias cristãs, e os cristãos até dizem, erroneamente, que inventaram o Natal. Em combinação com essas fontes religiosas, existe uma grande dose de interesses comerciais por parte das grandes empresas que nunca deixam passar em branco- muitas "tradições" são, na verdade, inventadas por empresas comerciais que tentam encontrar boas maneiras de vender mercadorias - tais como um marketing comemorativo .

Uma história pagã geral do Natal 


Muitos elementos tradicionais do Natal são anteriores ao cristianismo. Em outras palavras, o Natal era pagão antes de ser adotado (e renomeado) pelos cristãos. A Enciclopédia Católica de 1908 afirma que "o Natal não estava entre os primeiros festivais da Igreja. Irineu e Tertuliano omitem-no de suas listas de festas"  - esses autores viveram no século III.  Quando cristãos posteriores adotaram a data de 25 de dezembro para o nascimento de Jesus, "a abundância de festivais análogos de inverno pode ter ajudado indefinidamente na escolha da data de dezembro, o mesmo instinto que estabeleceu Natalis Invicti no solstício de inverno". terá bastado, além da adaptação deliberada ou cálculo curioso, para definir a festa cristã lá também ". Prof Hutton, respeitado e cuidadoso historiador de fontes primárias, menciona o Natal em seu valioso livro sobre a história do paganismo moderno.

Também é absolutamente correto que alguns costumes folclóricos britânicos descendem diretamente de rituais pagãos, como a [...] entrega de presentes e decoração de casas com vegetação no meio do inverno. ” ")( Livro - O triunfo da lua: uma história da feitiçaria pagã moderna" por Ronald Hutton (1999)

A maioria dos costumes de Natal são, de fato, baseados em antigos festivais pagãos, a Saturnália romana e a escandinava e teutônica Yule. Os cristãos adotaram estes durante o período mais antigo da história da Igreja. A Igreja, no entanto, deu esse reconhecimento e incorpora-o ao ano da Igreja sem muitas dúvidas. Apenas os elementos fundamentalistas mais radicais em algumas igrejas protestam de tempos em tempos sobre essa mistura de elementos 'pagãos' na religião ”. "(Livro - O fenômeno da religião: uma abordagem temática"Moojan Momen (1999) [Resenha do Livro] 

O verdadeiro significado do Natal 


 O culto do sol formou a base do mitraísmo, do zoroastrismo, de outras religiões romanas e de muitas outras tradições pagãs. É a razão pela qual o dia do sol é um dia sagrado em muitas religiões, e porque grandes festivais são realizados na primavera e nos solstícios. O verdadeiro significado do Natal é a adoração do sol; um lembrete para toda a vida na Terra de que devemos tudo ao sol. A adoração do sol é um dos principais pilares de toda a religião, especialmente das religiões mais antigas.

Os adoradores do sol e as religiões da natureza realizaram grandes celebrações no Solstício de Inverno, a vitória da força do Sol sobre as forças das trevas que tentam suprimi-lo. Osíris-Dionísio era representado pelo sol, assim como Jesus o é , a quem o pai da Igreja Clemente de Alexandre chama de "O Sol da Justiça". Quando velhas relíquias e símbolos religiosos (como rostos humanos) recebem um pano de fundo claro de raios de luz ou uma corola, significa que eles representam o sol.

Sir James Frazer diz: "O maior culto religioso pagão que promoveu a celebração de 25 de dezembro como feriado ... foi o culto do sol pagão, o mitraísmo ... Este festival de inverno foi chamado ..." a Natividade do SOL. ' [...] 
Franz Cumont, talvez o maior estudioso do mitraísmo, escreveu, citando Minucius Felix, "Os mitraístas também observaram o dia de sol e mantiveram sagrado o 25 de dezembro como o aniversário do sol. Muitos eruditos têm apontado como os mitraístas adoradores do sol, os maniqueístas adoradores do sol e os cristãos foram todos sincretizados e reconciliados quando Constantino liderou a tomada do cristianismo [...] "
No entanto, outros grupos adoradores do Sol também foram incluídos, devido à importância geral e popularidade do Sol Invencível, a divindade do Sol Invencível. 

Mario Righetti, um renomado liturgista católico, escreve, 

"a Igreja de Roma, para facilitar a aceitação da fé pelas massas pagãs, achou conveniente instituir o 25 de dezembro como a festa do nascimento temporal de Cristo, para desviá-los de a festa pagã, celebrada no mesmo dia em homenagem ao 'Sol Invencível', Mitras. [...] 

A mistura do culto pagão ao Sol e do cristianismo é exemplificada pelo testemunho de um schiasta sírio em Bar Salibi, que disse: 

"Era costume dos pagãos celebrar no mesmo dia 25 de dezembro o aniversário do Sol, no qual acenderam luzes em sinal de festa. Nestas solenidades e festividades, os cristãos também participaram. "Praticamente todas as deidades conhecidas do Sol nasceram no dia 25 de dezembro. 

Em SE Titcomb, mitos do Sol Ário, a Origem das Religiões, encontramos citados,  de fontes primárias, que todas as divindades do Sol nasceram em 25 de dezembro, de acordo com suas lendas: Crishna (Vishnu), Mitra (Mithras), Osíris, Hórus, Hércules, Dioniso (Baco), Tamuz, Indra, Buda. A deusa escandinava Frigga em homenagem a um festival da "noite da mãe" foi realizada no solstício de inverno (+ - 25 de dezembro), bem como uma grande festa de Yule, onde um javali foi oferecido no solstício de inverno em honra de Frey. "
www.iahushua.com/ST-RP/xmas.htm, accessed 2005 Dec 06




Notícia Em: / / /
Fabio Allves

Fundador: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais