Notícias Recentes

O glifosato aumenta o risco de câncer em mais de 40 por cento, segundo novo estudo

Como pano de fundo, o glifosato é o ingrediente ativo do produto da Monsanto, o Roundup - o herbicida mais utilizado no mundo. E, pesquisas recentes descobriram que a exposição aumentou drasticamente o risco de linfoma não-Hodgkin

Tem ocorrido uma série de casos de pessoas obtendo câncer por conta do Glifosto. E por conta disso tem ocorrido nos últimos anos uma série de preocupações sobre o glifosato do herbicida da Monsanto. Agora, uma nova meta-análise da Universidade de Washington mostra que a exposição à substância química aumenta o risco de câncer em 41% .

Como pano de fundo, o glifosato é o ingrediente ativo do produto da Monsanto, o Roundup - o herbicida mais utilizado no mundo. E, pesquisas recentes descobriram que a exposição aumentou drasticamente o risco de linfoma não-Hodgkin em particular, que é um câncer do sistema imunológico.

Para aqueles que se perguntam se isso é realmente 'científico' ou não, o estudo apresentado neste artigo foi publicado na revista Mutation Research . Só não espere que a grande mídia faça um grande negócio sobre isso - por razões óbvias.

A Organização Mundial da Saúde sabe sobre o risco de câncer


Esses resultados estão de acordo com todas as metanálises realizadas até o momento. No entanto, tem havido bastante debate sobre as propriedades cancerígenas do glifosato .

É claro que, como esperado, a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) e a Autoridade Europeia de Segurança Alimentar afirmaram que o produto químico “não é provável” causar câncer em seres humanos. Além disso (não surpreendentemente), a Monsanto - agora propriedade da corporação Bayer - considera seu próprio produto “seguro e eficiente” para o controle de ervas daninhas.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) segundo eles concluiu sua reavaliação toxicológica do glifosato, e seu parecer da área técnica é de que seu uso pode continuar sendo permitido no Brasil, já que não causa prejuízos à saúde, sendo que estudos e mais estudos comprovam os seus malefícios tanto para a saúde do ser humano quanto para o meio ambiente.  E segundo a agencia, ela irá  abrir uma consulta pública por 90 dias para que a sociedade possa se manifestar segundo a Anvisa.

Mas, alguém realmente confia mais nessas empresas ?!


Em contraste, a Organização Mundial de Saúde (geralmente bastante conservadora em suas declarações) disse, em 2015, que o glifosato era “provavelmente carcinogênico” para os humanos expostos a ele regularmente. E, em 2017, a CNN informou que mais de 800 pessoas com linfoma não-Hodgkin estavam processando a Monsanto .

Na verdade, atualmente existem milhares de pessoas processando a Monsanto. Não admira que tenham conquistado o título de "corporação mais odiada do mundo".

No ano passado, informamos sobre um acordo de US $ 289 milhões que foi concedido a um zelador - que processou a Monsanto depois de ter câncer de exposição regular ao Roundup. É surpreendente como uma corporação pode continuar a chamar seu produto de "seguro" depois que um caso legal disser o contrário.

Pesquisadores estão 100% convencidos de que o glifosato causa câncer


A meta-análise da Universidade de Washington incluiu um estudo de 2018 com mais de 54.000 participantes que trabalharam como aplicadores de pesticidas. Estudos em animais também foram avaliados. Os autores do estudo disseram que estavam "convencidos" de que o glifosato causava câncer.

Novamente (como esperado), a Bayer divulgou uma declaração em nome da Monsanto chamando os resultados de uma "manipulação estatística" com "falhas graves". Eles mantêm a evidência "não é cientificamente válida" e que o glifosato é seguro.

Embora os pesquisadores admitam que não avaliaram todos os estudos disponíveis sobre o assunto e houve algumas inconsistências no nível de exposição dentro dos grupos, eles mantêm a conclusão de que o glifosato é perigoso.

Verdade inegável: resíduo de glifosato está aumentando em nossa oferta de alimentos


Um estudo de 2017 da Universidade da Califórnia em San Diego descobriu que, desde a década de 1990, os níveis de glifosato em humanos aumentaram em 1.208%. Os pesquisadores também descobriram uma ligação entre a exposição ao glifosato e um aumento do risco de doença hepática gordurosa não-alcoólica.

Resíduo de glifosato está sendo detectado em nossa oferta de alimentos em níveis cada vez mais altos. Alimentos como aveia, alimentos processados, sal de cozinha, vinho e até mesmo vacinas deram positivo para essa substância tóxica.

Com tantos processos sendo julgados pela Monsanto e pela Bayer, só podemos esperar que eles analisem mais de perto seus produtos. Enquanto isso, os resultados da pesquisa servem como um lembrete para os consumidores usarem soluções naturais de controle de pragas e comerem alimentos orgânicos - o máximo possível.

Receba as notícias do Coletividade Evolutiva em primeira mão. Siga-nos nas redes sociais! Facebook - Twitter - Instagram - Receber por e-mail - Ajudar o Site



Fabio Allves

Fundador:Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. Ao longo da vida busquei explorar os mistérios e os conhecimentos ocultos que cercam o planeta e as origens da humanidade, questionando as raízes do que constitui aparentemente nossa “realidade”, e como o condicionamento social afeta nossa busca coletiva pela verdade em todos os aspectos da vida. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao despertar a sociedade (Saber Mais)