Monsanto é condenada a pagar US$ 80 milhões por conta do Roundup causar câncer

Infelizmente o glifosato não é o único herbicida que causa danos ao meio ambiente e à vida do povo brasileiro. Estudos recentes indicam que cerca de 30% dos herbicidas usados no Brasil são proibidos na Europa.

Agora que a Monsanto tem geneticamente modificado plantações para resistir a doses pesadas do produto químicoQuanto Roundup você consumiu esta semana? Essa pergunta pode soar como uma piada, mas a quantidade do herbicida tóxico que as pessoas consomem involuntariamente certamente não é motivo de riso.

A maioria das pessoas não tem idéia do quão amplamente utilizado é esse produto químico. Agora que a Monsanto tem geneticamente modificado plantações para resistir a doses pesadas do produto químico, ele está sendo pulverizado em mais plantações de alimentos do que nunca. É então absorvido pelas plantas que comemos - assim como os animais da fazenda que muitas vezes acabamos comendo também.

Um estudo em questão foi conduzido por Gilles-Eric Séralini. O estudo de alimentação ao longo da vida , publicado em 2012, revelou numerosos problemas chocantes em ratos alimentados com milho OGM, incluindo tumores massivos e morte prematura. Os ratos que receberam glifosato em sua água potável também desenvolveram tumores. No ano seguinte, a editora retirou o estudo dizendo que “não atingia os padrões científicos”, embora uma investigação longa e cuidadosa não tenha encontrado erros ou deturpação de dados.

No Brasil, o glifosato é amplamente empregado pelo agronegócio, principalmente nos plantios de soja e milho transgênicos. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária que deveria ser a primeira nos proteger e alertar sobre os problemas desse químico altamente prejudicial a saúde e o meio ambiente em geral (Anvisa) afirma que a substância não causa câncer, mutações, e não é tóxica para reprodução ou provoca malformação no feto.

Apesar de a OMS ter classificado o glifosato como provavelmente cancerígeno, agências reguladoras como a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA, na sigla em inglês), a Agência Europeia dos Produtos Químicos (ECHA) e a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) não seguiram a decisão.

A Bayer nega que o herbicida cause câncer e questiona as conclusões da OMS.

No ano passado, a Monsanto também perdeu um caso contra um funcionário de uma escola da Califórnia que sofria de linfoma não-Hodgkin e processou a empresa por conta dos herbicidas Roundup e Ranger Pro, ambos baseados em glifosato. A Monsanto recebeu ordem de pagar 289 milhões de de dólares a Dewayne Johnson, mas a penalidade foi reduzida para 78,5 milhões. A Bayer também entrou com recurso.

Monsanto é responsável pelo câncer de um homem da Califórnia 


Um júri federal determinou que a Monsanto era responsável pelo câncer de um homem da Califórnia e ordenou que o fabricante do Roundup pagasse US $ 80 milhões em danos.

A decisão de quarta-feira, que responsabiliza a empresa pelos riscos de câncer de seu popular herbicida, é a primeira do tipo no tribunal federal dos EUA e um grande golpe para a Monsanto e sua empresa controladora, a Bayer. Um representante disse que a Bayer iria apelar.

Em um veredicto durante uma fase anterior do julgamento, o júri em San Francisco decidiu por unanimidade que o herbicida era um “ fator substancial ” para causar o câncer de Edwin Hardeman

Hardeman, um homem de Santa Rosa de 70 anos, foi a primeira pessoa a desafiar o herbicida da Monsanto em um julgamento federal, alegando que sua exposição ao herbicida glifosato o levou a desenvolver linfoma não-Hodgkin (NHL), um câncer que afeta o sistema imunológico.

O caso atraiu a atenção internacional e levantou novas questões sobre os potenciais riscos à saúde do Roundup. Também desafiou a conduta da Monsanto, agora pertencente à empresa farmacêutica alemã Bayer. A corporação está enfrentando mais de 9.000 processos semelhantes nos EUA que alegam que o Roundup causou câncer.

O júri determinou que o projeto do Roundup era "defeituoso", que o produto não tinha avisos suficientes sobre o câncer e que a Monsanto foi negligente ao não advertir Hardeman sobre o risco da NHL. Os jurados ordenaram que a empresa pagasse a Hardeman US $ 75 milhões em indenizações punitivas, US $ 200 mil em perdas econômicas passadas e US $ 5,6 milhões em perdas não econômicas.





Notícia Em: / / / / / /

Fabio Allves

Fundador: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais