Privatização da água - A ameaça das corporações de privar a vida do mineral mais importante do planeta

Privatização da água - o golpe  das corporações de privar o ser humano do mineral mais importante do planeta

Não se deixe enganar, quando o momento chegar, e não demora muito, a maior fazedora de notícias falsas está na sua TV, utilizando falácias de “crise hídrica” para fazê-lo acreditar que o melhor é privatizá-la.

Não é de hoje que as maiores corporações de alimentos e bebidas, estão de olho na água potável de nosso planeta. Na mídia convencional, não param de bater na tecla “crise hídrica” como se isso fosse verdade! Não existe crise hídrica, basta olhar para as corporações ao qual vendem água potável, ganham rios de dinheiro, e não existe crise pra elas, já se perguntou o porque? O planeta esta constantemente em desenvolvimento assim como a humanidade, e por todo o mundo exitem milhares de fontes de água doce que estão sendo assaltadas por corporações, e o que existe realmente é a manipulação do sistema natural da terra com armas climáticas contra produtores agrícolas e pessoas das grandes cidades de regiões pobres, causando o causa total.

 Além de tudo, se falta de água potável fosse realmente o caso de preocupação dos governos, das corporações, e forças do estado profundo para com o povo, hoje já existem tecnologias altamente, eficaz e suficientemente capaz de dessalinizar a água do mar, deixando-a perfeitamente potável para o mundo. 

Um exemplo disso é a USAID, Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, que realizou uma competição global para o prêmio Desal. A ideia da competição era criar um sistema que pudesse remover o sal da água e cumprir três critérios: tinha que ser econômico, ambientalmente sustentável e energeticamente eficiente. Os vencedores do primeiro prêmio de US $ 140 mil foram um grupo do MIT e da Jain Irrigation Systems. 

O grupo criou um método que usa painéis solares para carregar um banco de baterias. As baterias então alimentam um sistema que remove o sal da água através de eletrodiálise, o que significa que partículas de sal dissolvidas, que têm uma leve carga elétrica, são retiradas da água quando uma pequena corrente elétrica é aplicada. Usar o sol em vez de combustíveis fósseis para alimentar uma usina de dessalinização não é uma ideia totalmente nova. Usinas de dessalinização solares maiores estão sendo seriamente investigas em áreas onde a água está se tornando um recurso escasso, incluindo o Chile e a Califórnia. Mas a tecnologia atual é cara. 

A equipe do MIT desta nova tecnologia de dessalinização “eletrodiálise” é comparativamente menos dispendiosa. Tanto a eletrodiálise como a osmose reversa requerem o uso de membranas, mas as membranas em um sistema de eletrodiálise são expostas a pressões mais baixas e podem ser depuradas do acúmulo de sal simplesmente pela reversão da polaridade elétrica.

O que acontece com tanta falácia de “crise hídrica”, é apenas um golpe na humanidade para justificar as corporações privatizá-la 


Uma pequena cidade de Michigan nos (EUA), revela a verdadeira face do que é a privatização do mineral mais importante do planeta, a água. Essa verdade nos mostra um futuro próximo o qual o Brasil está na linha de frente para um golpe das corporações, para privatizar a nossa água. Levando em conta que o Brasil tem a maior quantidade de água doce do planeta. Segundo uma pesquisa, o aquífero possui reservas hídricas estimadas preliminarmente em 162.520 km³ --sendo a maior que se tem conhecimento no planeta. "Isso considerando a reserva até uma profundidade de 500 metros. O aquífero Guarani que era considerado maior, tem 39 mil km³ era considerado o maior do mundo 

A luta da comunidade Evart em Michigan contra a privatização da água potável pela NESTLÉ- descobriram que seus futuros estavam na linha de frente de uma ameaça a privatizar a única coisa que toda a vida requer no planeta: a água. A crescente ameaça da privatização da água, a comunidade viram, o que acontece quando o governo tem uma função crítica, como fornecer água potável, como  um negócio. Após anos de medidas de corte de custos progressivamente prejudiciais que favorecem os interesses corporativos em todo o estado de Michigan, a crise hídrica dá comunidade tomou as notícias internacionais. 

Corporações quanto mais gastam água menos pagam por ela

A empresa que lucra com a fonte de água na comunidade de Evart MIchigan, é a Nestlé, a multinacional de alimentos que, em meio a várias controvérsias, ficou famosa pela declaração do seu ex-CEO , quando disse que não acreditava que a água fosse um direito humano básico. . A Nestlé é a maior produtora de água engarrafada do mundo, são mais de 100 fábricas de água engarrafada da Nestlé em 34 países ao redor do mundo - colhendo quase US $ 8 bilhões em lucro no ano passado somente com a água. Em sua instalação em Evart, a empresa fatura entre US $ 500 milhões e US $ 1,5 milhões por dia, pagando apenas US $ 200 mil por ano para extrair essa água. Também foi encontrado nessa água engarrafa, produtos altamente carcinógeno. As corporações não pagam impostos, e quando pagam são uma michária, e quanto mais elas usam a água menos elas pagam por ela, isso é fato. 

Mas a empresa recuou um pouco nas campanhas de privatizações com as palavras do CEO Emérito, Peter Brabeck, alegando que a Nestlé está preocupada com o suprimento de água global e com a escassez que enfrentaremos em breve se continuarmos com nossos desperdícios.

Enquanto a empresa apregoa o fato de ter reduzido seu uso total de água em 60%, o fato é que a água engarrafada é um processo intensivo em água e energia. De fato, requer entre 1,2 a 1,4 litro de água para engarrafar um único litro de água, sem mencionar a energia necessária para transportá-la e a poluição subsequente esse processo gera. 

Em um vídeo divulgado pela corporação em 2013, Peter Brabeck diz que ele sempre apoiou o direito humano à água, apesar de contradizer suas palavras em um documentário de 2005, We Feed The World, no qual ele afirma que as ONGs estão "brigando" com os seres humanos. O direito à água é uma solução extrema em comparação com a privatização corporativa da água. 

Conclusão 

Sem duvida com uma privatização de um bem natural de extrema importância para todo ser vivo em nosso planeta, é algo muito sério. Imagine você com seu carro ou moto, se você dirige muito,  precisa encher o tangue do seus carro ou moto, e como vemos, as taxas dos combustíveis estão sempre subindo chegando a ponto de não poder mais usá-lo, agora imagine você , a água privada.

O aumento da taxa seria comum, pois o objetivo de uma corporação é maximizar o lucro. O sucesso de uma empresa é normalmente medido como aquele que continua a aumentar a receita, portanto, os aumentos das taxas seriam comuns e frequentes. Uma corporação não deveria ser capaz de reter algo que é essencial para a vida em um resgate. Isso inevitavelmente afetaria desproporcionalmente as famílias de baixa renda levando a morte a muitos. 

Controle reduzido do setor público. Uma vez que damos à corporação os direitos sobre nossa água, eles podem fazer o que quiserem. Corrupção entre a corporação e o governo. Nós já vimos o que está acontecendo em Michigan, se uma empresa quiser um contrato melhor, eles poderiam usar a fonte de água essencial como uma ferramenta de alavancagem com os políticos para conseguir o que querem. 

Author Image

Autor: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu partir em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais