Estudo revela que jogos violentos de vídeo games torna os adolescentes fisicamente agressivos

Estudo revela que jogos violentos de vídeo games torna os adolescentes fisicamente agressivos

Pesquisadores internacionais realizaram um estudo com mais de 17 mil adolecentes, com idades entre nove e 19 anos , de 2010 a 2017. Os dados mostraram um relação direta entre os jogos violentos, tais como Grand Theft Auto, Call of Duty e Manhunt e aumentaram a agressão física com o uso prolongado, nos adolecentes.

Especificamente, os jovens estavam mais inclinados a ser fisicamente agressivos com seus pares e se verem repreendidos por figuras de autoridade na escola. 

Os resultados, publicados no Proceedings of National Academy of Sciences , foram concluídos a partir de 24 estudos em todo o Canadá, Alemanha, Japão e EUA. 

"Embora nenhum projeto de pesquisa seja definitivo, nossa pesquisa pretende fornecer as respostas mais atuais e convincentes para as principais críticas sobre este tópico", disse o principal autor do estudo, Jay Hull, professor associado do departamento de ciências sociais do Dartmouth College. Hanover, New Hampshire.

"Com base em nossas descobertas, sentimos que está claro que o jogo violento de videogames está associado a subseqüentes aumentos na agressão física".

No entanto, Jay Hull também disse que a possibilidade de que os jogos possam ser um sintoma de agressão inerente - e não uma causa.

"A outra possibilidade é que é um sinal muito ruim", disse ele. “Se seus filhos estão jogando esses jogos, esses jogos estão tendo um efeito de distorção no certo e no errado ou eles têm um senso distorcido de certo ou errado e é por isso que eles são atraídos por esses jogos. De qualquer forma, você deveria se preocupar com isso.

Anteriormente, Jay Hull conduziu uma pesquisa que sugeria que os videogames violentos também poderiam causar direção imprudente, consumo excessivo de álcool e até sexo inseguro.

Enquanto isso, um estudo do ano passado descobriu que jogos violentos de 'atirador' também podem danificar o cérebro e até aumentar o risco de doença de Alzheimer.

Pesquisadores da Universidade de Montreal reuniram cerca de 100 pessoas para jogar uma série de jogos populares de tiro, como Call of Duty, Killzone e Borderlands 2, num total de 90 horas. Eles também lhes deram cópias de jogos não violentos da série Super Mario.

Ao final do estudo, eles descobriram que as pessoas que costumavam jogar jogos de ação tinham menos neurônios em seu hipocampo, um centro de memória fundamental no cérebro.

No entanto, aqueles que jogaram jogos não-violentos terminaram o estudo com mais massa cinzenta essencial em seus cérebros.

A descoberta desafia as descobertas anteriores de que todos os videogames têm a capacidade de aprimorar alguns aspectos do processamento mental e impulsionar a memória de curto prazo.
Author Image

Fundador: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu parti em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais