Jejum intermitente: o que é e como fazer?

Jejum intermitente: o que é e como fazer?

Quem pesquisa sobre dietas para emagrecimento provavelmente já ouviu falar na prática do jejum intermitente. Entretanto, pode muitas vezes não saber o que significa. A palavra “intermitente” expressa o ato de cessar e recomeçar após um intervalo. Ou seja, neste tipo de jejum, a pessoa deve intercalar os períodos de alimentação com outros em que não come nada.

Tipos de jejum intermitente

Existem três tipos de jejuns: de 16/8, 5/2 e o de 24 horas.

  • O primeiro, de 16/8, indica que a pessoa deve jejuar por 16 horas, tendo 8 horas de intervalo em que pode se alimentar.
  • A segunda possibilidade é o de 5/2, na qual é possível ingerir apenas de 500 a 600 calorias por dia, em dias não consecutivos. Este deve ser acompanhado por um nutricionista, já que ele precisa calcular corretamente quantas calorias poderão ser ingeridas.
  • O jejum de 24 horas pode ser feito em dois dias da semana, também intercalando os dias em que você fica sem se alimentar. Por exemplo, a pessoa pode tomar o café da manhã normalmente e almoçar por volta de 12h. Depois disso, ela só voltará a se alimentar às 12h do dia seguinte.
Quem pode fazer jejum intermitente?

É importante saber que os protocolos de jejuns mais prolongados possuem algumas restrições. Por exemplo, grávidas, mulheres em período de pós-parto, mulheres amamentando crianças em período de crescimento, diabéticos e pessoas que sofrem de enxaqueca ou que tenham histórico de transtornos alimentares não devem jejuar.

Caso você não se enquadre em nenhum destes casos, procure a indicação de um profissional adequado para saber qual tipo de jejum pode funcionar bem em seu organismo.

Jejum fisiológico x jejum metabólico

Existem dois tipos de jejum: o fisiológico, que é não comer absolutamente nada, e só ingerir líquidos não calóricos, como água, chás e café, sem adoçante algum. E o jejum metabólico, que é quando se pode ingerir alimentos que não provocam picos de insulina.

Por exemplo, se você acordou correndo e tomou um café com óleo de coco, e só vai comer lá pelas 13h, não deixa de estar fazendo um jejum. Mas, se sua meta é perda de peso, é melhor que você deixe seu corpo tirar energia da gordura estocada nos seus adipócitos e não do café com óleo de coco. Portanto, os alimentos que não quebram o jejum fisiológico são a água, café e chás, todos sem açúcar.

Penso que o jejum metabólico pode ser uma alternativa para quem já está em manutenção de peso. Ou quando você está sem tempo de comer, porque está numa atividade que não quer parar no momento, e sente fome. É o momento em que você sabe que logo terá acesso à comida, mas não quer parar para comer naquela exata hora.

A partir daí você tem duas opções: segue sem comer, prolongando o intervalo entre as refeições, de forma natural, sem se sentir mal, ou ingere uma bebida – que não quebra o jejum – para ajudá-lo a chegar bem até a próxima refeição.

O que comer nos intervalos?

O que você come na sua janela de alimentação também é muito importante. Quem já está fazendo uma alimentação sem açúcar, carboidratos refinados e industrializados tem mais facilidade, porque há uma diminuição natural da fome quando se elimina esses alimentos.

Caso sua alimentação esteja muito desregrada, não pense em começar a fazer jejum. Primeiro, aprenda a comer, para depois experimentar o jejum de forma natural, como mais uma ferramenta para cuidar da sua saúde.

Fonte:
Author Image

Autor: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Finalmente, como muitos de vocês, eu min sentir carregado, irritado e descrente, e decidir parar de assistir, e fazer algo positivo para ajudar a mudar o status do qual vivemos. Esse foi o dia em que o Coletividade Evolutiva nasceu! Saber Mais