Mais razões para os Brasileiros tomarem as ruas por conta da desigualdade e privação de riquezas - Coletividade Evolutiva

Mais razões para os Brasileiros tomarem as ruas por conta da desigualdade e privação de riquezas


A ONG Oxfam revelou que, de toda a riqueza gerada no mundo no ano passado, 82% ficaram concentradas nas mãos da população 1% mais rica do mundo. Ao mesmo tempo, a metade mais pobre, que equivale a 3,7 bilhões de pessoas, não ficou com nada.

Cinco brasileiros concentram, em patrimônio, o equivalente à metade da população mais pobre do País. A constatação foi revelada por meio de estudo da ONG (Organização Não Governamental) britânica Oxfam,. De acordo com a pesquisa sobre desigualdade social, 12 pessoas passaram a compor o grupo de bilionários brasileiros, passando do total de 31 para 43.

Segundo a diretora executiva da Oxfam Brasil, Katia Maia, ïsso significa que há mais pessoas concentrando riqueza. A gente não encontrou ainda um caminho para enfrentar essa desigualdade". A pesquisa ainda apurou que o patrimônio brasileiro chegou a R$ 549 bilhões em 2017, o que significa um crescimento de 13% em relação ao ano anterior.

Embora a variação possa indicar uma melhora econômica no País, o estudo constatou que na verdade, os 50% mais pobres tiveram a sua fatia da renda reduzida em 0,7 ponto percentual no intervalo, ao passar de 2,7% para 2%. Para se ter uma ideia da situação, um brasileiro que ganha um salário mínimo precisa trabalhar 19 anos para acumular o que uma pessoa do grupo de 0,1% mais ricos recebe em um mês.

Dos cinco nomes mencionados no início da matéria, três são de sócios do 3G Capital, que possui participação em grandes empresas como Burger King, Kraft Heinz e AB InBev: Jorge Paulo Lemann (1º da lista dos brasileiros mais ricos), Marcelo Herrmann Telles (3º) e Carlos Alberto Sicupira (4º). Já os outros integrantes da lista são Joseph Safra (2º), do Banco Safra, e Eduardo Saverin (5º), um dos fundadores do Facebook.


Os Americanos

Quase 15% da riqueza total da nação dos EUA - US $ 14 trilhões! - foi sistematicamente transferido da América de classe média para pessoas com patrimônio líquido médio de US $ 75 milhões.

Isso está começando a acontecer, enquanto professores de todo o país estão lutando contra a desigualdade de renda e riqueza. Pelo menos 3 de cada 4 americanos foram retirados de uma parcela da produtividade dos EUA desde os anos 80. Os cerca de um dos quatro americanos que prosperaram, especialmente os que estão entre os 5% melhores, geralmente não parecem se importar muito com a desigualdade e, em vez disso, se prendem a ilusões sobre sua própria autoestima e as lutas de pessoas que "não trabalhe duro o suficiente. ” 

De várias fontes confiáveis ​​surgem fatos enlouquecedores sobre a implacável expansão da divisão da riqueza. A desigualdade é uma perversão da conduta humana, já que a maioria dos novos benefícios da sociedade derivou da automação e, portanto, de décadas de contribuição pública, financiamento do contribuinte e pesquisa do governo. Mas os beneficiários são aqueles que estão bem conectados aos processos corporativos e financeiros que exploram esse crescimento, principalmente através da posse de ações.
Se inscreva por e-mail e receba nossas novas atualizações em seu e-mail


Author Image

Autor: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um ávido pensador livre, eu partir em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais


Deixe um comentário sobre isto!