GABRIEL PENSADOR- "TO FELIZ MATEI O PRESIDENTE" MICHEL TEMER - COLETIVISMO OLIGÁRQUICO

GABRIEL PENSADOR- "TO FELIZ MATEI O PRESIDENTE" MICHEL TEMER - COLETIVISMO OLIGÁRQUICO

O capitalismo, o comunismo, o socialismo, o fascismo, o imperialismo, o corporativismo, o autoritarismo, o monarquismo, o colonialismo pós-moderno e qualquer forma de "ismo" do governo que você possa imaginar, todos acabam se degradando ao longo do tempo para se tornarem coletivismo oligárquico - o tipo de ismo que beneficia os poderosos à custa dos muitos fracos para simplifica dos pobres.
O ismo de todos os ismos, o coletivismo oligárquico é o resultado da oposição contrastante dentro de uma sociedade, isto é, a criação e a luta contra ameaças percebidas para a sociedade. Para consolidar o seu poder, as ameaças são criadas e resolvidas por aqueles que estão no poder, de modo a incentivar a sociedade a renunciar gradualmente à sua soberania e liberdade ao estado que a "protege". No entanto, o sistema projetado para combater as ameaças percebidas é tão extremo quanto as próprias ameaças - e tão extremo quanto o que a sociedade e seus indivíduos podem ser condicionados a tolerar.
As instituições governamentais e corporativas em nossa sociedade estão, sempre, procurando impulsionar cada vez mais tolerâncias; não tolerância para as diferenças entre nós, mas tolerância de irregularidades. Ao longo do tempo, fomos tolerar a guerra, a corrupção governamental, a personalidade corporativa, a vigilância da nossa vida privada e a degradação ambiental, tudo como partes "normais" de uma sociedade institucionalizada. E à medida que a institucionalização prossegue, sem restrições pelas liberdades individuais, continuamos desistindo (não exercício) em nome da "segurança" e do "nacionalismo", essas instituições eventualmente se endurecem no coletivismo oligárquico.

Se você tem socialismo sem capitalismo, torna-se comunismo. Se você tem capitalismo sem socialismo, torna-se fascista. E, finalmente, todos os ismos se tornam um coletivismo oligárquico. Não importa a sua forma de início, a liberdade individual é eliminada à medida que o poder e a influência são colocados nas mãos de instituições megalíticas (sejam elas corporativas, governamentais ou não) que são controladas por muito poucos, e de alguma maneira ou de outra - dependendo dos tempos , tecnologia e tolerâncias do dia - acabamos imersos no coletivismo oligárquico, onde a mente do grupo governado é orientada a sacrificar voluntariamente a soberania individual para defender e proteger o ismo de ameaças falsamente percebidas. Como?

"É chamado de divisão e conquista. É por isso que há duas festas e apenas duas - e elas são controladas pelas mesmas pessoas no topo . O Conselho das Relações Exteriores, o grupo Bilderberg, as Nações Unidas e a Comissão Trilateral; estas são as pessoas que controlam o seu mundo, tornando as políticas globais que você nunca vota e quem servem ambas as partes ... Mas dividir e conquistar só pode funcionar se as pessoas não estiverem conscientes das divisões falsamente criadas. Se você souber sobre isso, não funciona mais. 
"Infelizmente o povo esta adormecido controlado,manipulado que esta aceitando praticamente tudo,nesse vídeo logo a baixo Gabiel pensado mostra a realidade dos nossos governos e como tudo poderia mudar com o poder das massas unidas contra o poder.

Gabriel Pensador polemica?

Depois de 25 anos, o cantor Gabriel O Pensador lançou uma segunda versão da música Tô Feliz (Matei o presidente). Assim como a gravação de 1992, crítica ao então presidente da República, Fernando Collor de Mello, a nova roupagem do rap que mira o presidente Michel Temer, e sua falta de importancia com o povo e nação 

Circula no Facebook e no WhatsApp, desde a última segunda-feira, o rumor de que o gabinete da Presidência teria notificado o cantor para que retirasse o vídeo do YouTube, onde já foi visto cerca de 3,2 milhões de vezes:

O boato sobre censura da nova música de Gabriel O Pensador . Na segunda-feira, o cantor publicou em sua conta no Facebook uma postagem em que afirma que recebeu “um recado de um amigo de Brasília de que ‘estão tentando tirar a música do ar’. Não sei mais do que isso”. Como se vê, Gabriel não disse em nenhum momento ter sido notificado oficialmente pelo gabinete da Presidência e ainda ressaltou que a única informação que recebeu a respeito foi a do tal amigo.

Em seu post no Facebook, Gabriel O Pensador também lembrou a atuação de órgãos e integrantes do governo Fernando Collor para que a primeira versão da música fosse retirada das rádios, como, de fato, foi.

Author Image

Autor: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Finalmente, como muitos de vocês, eu min sentir carregado, irritado e descrente, e decidir parar de assistir, e fazer algo positivo para ajudar a mudar o status do qual vivemos. Esse foi o dia em que o Coletividade Evolutiva nasceu! Saber Mais