TRÊS FATOS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O MERCÚRIO DENTAL


Por Academia Internacional de Medicina Oral e Toxicologia (IAOMT) , reimprimidas pelo o  (CE) do Projeto Mercúrio Mundial .
1. Todos os recheios dentários de cor prata, também chamados de amálgamas, contêm aproximadamente 50% de mercúrio, e o mercúrio dental ainda está sendo usado nos EUA.
Em 2013, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) formalizou uma convenção global para reduzir o uso de mercúrio , que inclui iniciativas para reduzir gradualmente o uso do mercúrio dental. A convenção do mercúrio do PNUMA entrará em vigor em 16 de agosto de 2017 e, como parte desse esforço, a União Européia está agindo no mercúrio dentário. Uma nova regulamentação da UE em matéria de mercúrio prevê proibir o uso de amálgama para populações vulneráveis ​​(mulheres grávidas ou amamentando, crianças com menos de 15 anos) e fornecer uma discussão sobre a viabilidade de finalizar o uso de amálgama dentária na União Europeia até 2030.
Antes da ratificação de 2017 do tratado de mercúrio do PNUMA, outros países já haviam tomado medidas de proteção contra o mercúrio dental. Por exemplo, a Noruega e a Suécia proibiram a amálgama dentária, e a Dinamarca, a Estônia, a Finlândia, a Itália, a Holanda e o Japão limitaram seu uso a menos de 5% das restaurações dentárias. No entanto, os recheios de mercúrio ainda são utilizados em cerca de 45% das restaurações dentárias diretas em todo o mundo, inclusive aqui no Brasil.
Todos os recheios dentários de prata, que ainda estão sendo usados ​​nos EUA, contêm cerca de 50% de mercúrio.
2. O vapor de mercúrio é liberado desses recheios no corpo humano, e este mercúrio dental tem sido associado a riscos para a saúde.
O vapor de mercúrio é continuamente emitido por amálgama dental, o que significa que as pessoas estão diretamente expostas ao mercúrio na boca. A saída de vapor de mercúrio pode ser intensificada pelo número de recheios e outras atividades, como mastigação, trituração de dentes e o consumo de líquidos quentes. Mercúrio também é conhecido por ser lançado durante a colocação, substituição e remoção de recheios de amálgama para mercúrio dental.
Pesquisadores científicos associaram este mercúrio em enchimentos de amálgama com doença de Alzheimer, esclerose lateral amiotrófica , resistência a antibióticos, ansiedade, distúrbios do espectro do autismo, distúrbios autoimunes / imunodeficiência, problemas cardiovasculares, síndrome da fadiga crônica, depressão, perda auditiva, infertilidade, Doença renal, esclerose múltipla, doença de Parkinson e uma série de outros problemas de saúde. Clique aqui para saber mais sobre os potenciais riscos para a saúde do mercúrio dental.

3. As medidas de segurança podem reduzir a quantidade de vapor de mercúrio liberada durante a remoção de enchimentos de amálgama.
Alguns pacientes exigem a remoção de enchimentos de amálgama de prata devido à falha do dispositivo, enquanto outros optam pela remoção de enchimentos de amálgama de prata devido a propósitos cosméticos (os recheios de cor branca combinam melhor com os dentes) ou porque eles preferem ter recheios dentários que não contenham mercúrio. No entanto, o processo de perfuração de enchimentos de amálgama liberta quantidades de vapor de mercúrio e partículas finas que podem ser inaladas e absorvidas através dos pulmões, e isso é potencialmente prejudicial para pacientes, dentistas, profissionais dentários e seus fetos.
A aplicação de medidas de segurança específicas pode reduzir os possíveis efeitos negativos para a saúde da exposição ao mercúrio durante o processo de remoção de amálgama. É crucial que os pacientes saibam quais são essas medidas de segurança para que possam garantir que essas práticas sejam implementadas durante a remoção de recheios de amálgama.
Esses escritores co-autor de um capítulo sobre os riscos para a saúde do mercúrio dental que foi publicado em um livro de texto sobre epigenética de Springer em 2016.



Amanda Just, MS: A Sra. Just é a Diretora de Programa da Academia Internacional de Medicina Oral e Toxiciologia . Ela também é escritora independente e consumidor dentário que compartilhou seus escritos sobre o impacto dos recheios de amalgama de mercúrio dental com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, o Departamento de Estado dos EUA, a US Food and Drug Administration (FDA) e várias ONGs.
John Kall, DMD: Dr. Kall atua como Presidente do Conselho de Diretores da Academia Internacional de Medicina Oral e Toxiocologia . Ele é membro da American Dental Association, um colega da Academia de Odontologia Geral (AGD), ex-presidente do capítulo KY da AGD, membro da Louisville Dental Society e membro da Kentucky Dental Association.


Author Image

Autor: Fabio Allves
Fundador do Coletividade Evolutiva; Um autodidata ávido pensador livre, eu partir em uma missão em busca da verdade de qualquer forma que ela venha. Desde meu despertar há vários anos, minha paixão por conhecimento e justiça me levou a uma jornada em busca de pesquisas profundas. A informação está livremente correndo nas mãos do público, então o meu objetivo é ajudar a facilitar o fluxo complexo de informações, de modo que outros posam facilmente alcançar seu próprio despertar e fazer parte da inevitável mudança que acontece ao desperta a sociedade. Saber Mais